sexta-feira, 3 de março de 2017

Alerta aos paraibanos sobre o caso do jovem que morreu com febre amarela

Aleta aos paraibanos sobre o caso do turista, que veio para João Pessoa e é oriundo do Espírito Santo, que apresentou um quadro clínico da febre amarela.  A recomendação para a população é redobrar os cuidados ao enfrentamento ao Aedes aegypti, até porque a febre amarela urbana também é transmitida pelo mosquito. Segundo agente da 3ª Regional de Saúde do Estado, Tatiana Medeiros
Medeiros recomendou  que as pessoas que sentirem os sintomas, tanto da febre amarela como a zika e a febre chikungunya, procurem uma unidade de saúde em 24h.

Destacou também que pelo fato da Paraíba estar fora da zona de risco da doença, a vacina é voltada para aqueles que viajam para locais onde há epidemia. A vacina é encontrada no Hospital Doutor Edgley, em Campina Grande.

– A febre amarela, a zika e a chikungunya são doenças de notificação imediata, que devem acontecer em até 24h. Como a Paraíba é um estado que está fora da recomendação da vacina, aquelas pessoas que viajam para regiões onde a doença é endêmica devem se dirigir ao Hospital Doutor Edgley com até dez dias de antecedência da viagem. A vacina vale por dez anos e, após a segunda dose, a pessoa fica imune por toda vida – elucidou.

Tatiana ressaltou também que a febre amarela não é contagiosa e só transmitida através do mosquito, tendo porém uma curta duração, apesar de um índice de letalidade maior, que varia de 5% a 10% nos casos simples, e 50% nos casos graves.

O governador da PB juntamente com o dep Genival Matias e prefeitos visita obras da Transposição

O deputado estadual Genival Matias (PTdoB) acompanhou a comitiva de deputados e secretários estaduais que, ao lado do governador Ricardo Coutinho (PSB), visitou, nesta sexta-feira (3), as obras no eixo leste da transposição do rio São Francisco. Na ocasião, o parlamentar reuniu prefeitos e aliados da região que comemoraram a chegada das águas.
A caravana foi recepcionada no aeroporto de Monteiro e seguiu para o município de Sertânia, em Pernambuco, onde está localizada a estação de bombeamento EBV6. Em seguida, o governador, auxiliares e deputados visitaram o Açude Poções, em Monteiro, encerrando a programação na Barragem de Camalaú, no mesmo município.
“Reuni nossos prefeitos aliados e lideranças da região que queriam agradecer pessoalmente ao governador pela execução das obras complementares que possibilitam a chegada das águas da transposição nessas cidades. O Governo executou um conjunto de obras hídricas completo com objetivo de otimizar a distribuição e o atendimento ao maior número de pessoas possível para desfrutar ao máximo da chegada das águas do São Francisco”, destacou Genival Matias.

As obras
As águas da transposição do Rio São Francisco estão chegando na Paraíba pelo Eixo Leste, e a ele interligado está o Canal das Vertentes Litorâneas (Acauã-Araçagi), considerada a maior e mais importante obra hídrica da história da Paraíba. A obra tem orçamento de R$ 1 bilhão e vai beneficiar mais de 600 mil habitantes de 38 municípios paraibanos, incluindo irrigação de 16 mil hectares. Dividida em três lotes, a primeira etapa tem 42 km de extensão e vai atender os municípios de Itatuba, Mogeiro, Itabaiana e São José dos Ramos, será concluída já em junho de 2017.

Vazamento compromete a chegada da transposição na Paraíba

Um vazamento identificado na manhã desta sexta-feira (3) em parte da estrutura da barragem de Barreiro, em Sertânia, Sertão pernambucano, pode comprometer a chegada da transposição na Paraíba. Barreiros é a última barragem a receber a transposição antes das águas seguirem para o açude de Poções, em Monteiro, Cariri paraibano, a 310 km de João Pessoa.

Em nota, o Ministério da Integração afirmou que técnicos das empresas responsáveis pelas obras do Projeto São Francisco na região estão tomando medidas necessárias para conter a água.

Questionado se o problema na barragem Barreiro pode afetar a chegada das águas na Paraíba, o ministério não se pronunciou até a publicação desta matéria.

Ainda segundo a nota, não foi identificado risco estrutural ao reservatório, mas as famílias residentes nas proximidades foram alertadas. 

NOTA NA ÍNTEGRA

O Ministério da Integração Nacional vem a público informar que registrou na manhã desta sexta-feira (3) um vazamento no reservatório Barreiro, localizado em Sertânia (PE), entre as estações de bombeamento 5 e 6 (EBV-5 e EBV-6) do Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco.
Técnicos das empresas responsáveis pelas obras do Projeto São Francisco na região estão em campo tomando todas as medidas necessárias para fazer a contenção da água. Até o momento não foi identificado nenhum risco estrutural ao reservatório.
As comunidades do entorno estão sendo alertadas sobre medidas de segurança por técnicos da área Ambiental e de Fiscalização do Projeto São Francisco.
O Ministério da Integração reforça a moradores de áreas rurais na região de abrangência o pedido para estarem alertas e seguirem as orientações fornecidas por equipes técnicas.

Comportas de barragem abertas para chegada da transposição, em Monteiro que estava previsto para 30 de Março a chegada da água.

Confira no vídeo: 

 Correio

Maternidade Candida Vargas deixa adolescente morrer por falta de atendimento mais eficaz na hora do parto

Uma adolescente de 15 anos morreu na noite dessa quinta-feira (2) na Maternidade Cândida Vargas, em João Pessoa, três dias após o parto. A família acusa o hospital e, revoltados, parentes quebraram os vidros da unidade.
Segundo informações da polícia, a menor deu à luz na segunda e depois começou a sentir fortes dores na barriga. Familiares disseram que a garota reclamava de dores, mas os médicos disseram que era normal e seria gases.
Nessa quinta, as dores aumentaram e a menina foi levada às pressas para a UTI, mas não resistiu e morreu após várias paradas cardíacas. Os parentes da vítima revoltados provocaram um tumulto dentro do hospital e quebraram os vidros das portas.
Cerca de 15 homens da Polícia Militar e guardas municipais compareceram ao hospital para controlar a fúria das pessoas. Um documento apresentado pela guarda constatava que a adolescente morreu em decorrência de infecção generalizada.
A família diz que havia resto de parto e avisou que vai acionar o hospital judicialmente. 



Este ano a vacina contra a gripe inclui os professores de todo o país

Os professores da rede pública e privada de todo o país serão incluídos como público-alvo da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe neste ano. Além deles, também devem ser imunizados crianças com idade entre 6 meses e menores de 5 anos, idosos, gestantes, puérperas (mulheres até 40 dias após o parto), trabalhadores da saúde e pessoas com algum tipo de comorbidade.
“Professores da rede pública e privada. Não haverá diferenciação. Basta comprovar que é professor e ele terá acesso à vacinação”, explicou a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações, Carla Domingues. “Nossa expectativa é vacinar 54 milhões de brasileiros – quase 3 milhões a mais do que o previsto no ano passado”, completou.
De acordo com o ministro da saúde, Ricardo Barros, a vacina contra a gripe estará disponível para toda a população a partir de 17 de abril. Alguns estados, entretanto, vão receber as doses mais cedo – sobretudo os da Região Sul, em razão das baixas temperaturas registradas no período – e poderão antecipar o início da imunização.
Portal Correio

No Conde pavimentação das cinco vias no litoral sul acesso as praias estão em ritmo acelerado

 
As obras de pavimentação dos acessos às Praias de Tabatinga I e II, Carapibus I e II e Praia do Amor, seguem em ritmo acelerado. O projeto, uma parceria da Prefeitura Municipal de Conde com o Governo do Estado e o Departamento de Estradas e Rodagem (DER) prevê a pavimentação em paralelepípedos de cinco ruas que dão acesso às praias, beneficiando diretamente, moradores e turistas que frequentam o litoral do Estado.

De acordo com o Secretário de Infraestrutura Fabiano Medeiros, “a pavimentação das vias é muito aguardada pela população que mora nestas áreas, como também os turistas que frequentam as nossas praias. Estas obras melhorarão a qualidade de vida das pessoas, além de eliminar de vez o problema das lamas no inverno e da poeira no verão” disse.
Com um investimento de mais de R$ 2,4 milhões, o conjunto de obras tem extensão de 3,7km e previsão de entrega no mês de junho. Estão sendo realizados, além da pavimentação das vias, os serviços de terraplanagem, aterros, drenagem para águas pluviais e subterrâneas e sinalização vertical e turística. As obras estão sendo realizadas pela Empresa Engetech Construções, que foi a ganhadora da licitação pública realizada pelo DER.
Assinatura da Ordem de Serviço
O Governador Ricardo Coutinho, a Prefeita de Conde, Márcia Lucena e o Superintendente do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), assinaram a ordem de serviço de pavimentação das cinco vias de acesso às praias no dia 20 de janeiro, em Jacumã. Em seu discurso, o Governador disse que “as obras vão tornar a região um melhor lugar para se viver. Com a pavimentação das cinco vias, os avanços nesta área serão imensos”, disse Ricardo Coutinho.
Matéria de SECOMD 


PF deflagra 2ª fase da operação que apura desvios de recursos na UFPR

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta sexta-feira (3), a 2ª fase da Operação Research, que apura uma fraude milionária no repasse de bolsas e de auxílios à pesquisa na Universidade Federal do Paraná (UFPR). Segundo as investigações, pessoas sem vínculos com a instituição, como um motorista e um cozinheiro, receberam recursos públicos federais.
Cerca de 50 policiais federais, além de servidores do Tribunal de Contas da União (TCU) e da Controladoria-Geral da União (CGU), cumpriram 19 mandados judiciais em cidades de quatro estados: Curitiba, no Paraná; Campo Grande, no Mato Grosso do Sul; Sorocaba, em São Paulo; e Erechim, no Rio Grande do Sul.
Um dos alvos desta fase é uma ex-funcionária aposentada da UFPR. Ela trabalhava no mesmo setor que a secretária da pró-reitoria de Planejamento e Orçamento, Tânia Márcia Catapan, e Conceição Abadia de Abreu Mendonça, que é chefe do setor de Orçamento e Finanças do mesmo setor.
Tânia e Conceição são apontadas como as principais responsáveis pelo desvio milionário e foram presas na 1ª fase da operação.
Dos 19 mandados judiciais, seis são de busca e apreensão; cinco, de prisão temporária; e oito, de condução coercitiva.
Nessa nova fase, também são cumpridos mandados de condução coercitiva contra outros três supostos beneficiários, antes desconhecidos da investigação, além de outros suspeitos de envolvimento no esquema fraudulento.
Primeira fase
A 1ª fase da Operação Research, que apura o desvio de pelo menos R$ 7,3 milhões da universidade, foi deflagrada em 15 de fevereiro; 28 pessoas foram presas temporariamente.

Dois dias depois, 26 delas foram soltas. De acordo com o juiz federal Marcos Josegrei da Silva, da 14ª Vara Federal de Curitiba, tudo o que se pretendia esclarecer em relação a elas havia sido feito e, portanto, não havia justificativa para que elas seguissem presas.
Porém, Tânia e Conceição Abadia continuam presas. A princípio, o mandado de prisão era temporário. No entanto, no dia 24 de fevereiro, o juiz federal decretou a prisão preventiva de ambas, que é por tempo indeterminado.
De acordo com as investigações, os beneficiários do esquema de desvio dos recursos públicos faziam parte do "círculo de amizades" de Tânia e de Conceição. O advogado de 11 suspeitos  Marlon Bizoni Furtado, chegou a dizer que os clientes eram "laranjas".

O que acontece com a chapa Dilma/Temer após os depoimentos da Odebrecht?

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) deu início nesta semana aos depoimentos de ex-executivos da Odebrecht na ação que pode levar à cassação do mandato do presidente Michel Temer.
Além de Marcelo Odebrecht, ex-presidente e dono da empreiteira, já foram ouvidos outros dois ex-executivos nesta quinta-feira (2), e outros dois depoimentos estão marcados para a próxima segunda-feira (6). Nesta quinta-feira, o ministro Herman Benjamin, relator do processo no TSE, autorizou os depoimentos de mais dois delatores da empreiteira, mas ainda não agendou os depoimentos.
Todos os sete fecharam acordos de delação premiada com a Operação Lava Jato, assim como outros 70 executivos e ex-executivos da empresa.
O ministro Benjamin poderá convocar nos próximos dias mais depoimentos de pessoas citadas pelos delatores da Odebrecht.

Quais os próximos passos da ação no TSE?

Os depoimentos dos delatores da Odebrecht podem ser os últimos a serem tomados pelo TSE. Isso porque o ministro Herman Benjamin deu sinais, nos últimos despachos feitos no processo, de que pretende dar rapidez ao desfecho do caso.
A ação, no entanto, não tem prazo para terminar. Alongar a fase de apuração pode ser uma estratégia dos advogados de defesa de Temer, que podem pedir para que novas testemunhas sejam ouvidas ou apresentar contestações ao andamento da ação.
Segundo reportagem do jornal "Folha de S.Paulo", a defesa de Temer também estuda pedir a anulação dos depoimentos da Odebrecht. 
Os advogados também podem apresentar manifestações com pedidos de esclarecimento ou contestação, de depoimentos ou documentos que forem incluídos na ação.
O TSE está julgando um pedido de cassação da chapa que reelegeu Dilma Rousseff e Michel Temer em 2014. O PSDB, partido adversário naquela eleição, moveu a ação acusando a campanha de Dilma de ter cometido abuso de poder econômico e político na campanha. Um dos pontos da acusação é o de que dinheiro do esquema de corrupção descoberto na Petrobras teria irrigado a campanha.
A ação foi movida logo após o resultado da eleição, mas o TSE só abriu o processo em outubro de 2015, após recurso do PSDB contra o arquivamento do pedido de cassação.
Um dos principais pontos investigados é a suspeita de irregularidades no pagamento a gráficas que atuaram na campanha de Dilma.
Como a presidente Dilma foi deposta do cargo num processo de impeachment, concluído em agosto do ano passado, a Justiça Eleitoral agora deve julgar se as supostas irregularidades apontadas na campanha podem cassar o mandato de Michel Temer, vice alçado ao comando do Palácio do Planalto com o impeachment.
Ao fim dos depoimentos no TSE, os advogados de Dilma, de Temer e do PSDB, assim como a Procuradoria-Geral da República, devem apresentar suas manifestações finais no processo.
Em seguida, o relator encerra a fase de investigação e prepara seu voto. O processo será julgado pelos sete ministros do TSE após o relator indicar ao presidente da corte, ministro Gilmar Mendes, que já tem seu voto pronto.
Esse tipo de ação deve ter o julgamento agendado para a sessão seguinte à data em que o relator liberar o processo para julgamento pelo plenário do TSE.

Depoimento pode cassar Temer?

Se forem comprovadas as afirmações já feitas por Marcelo Odebrecht em seu depoimento, são fortes as chances de Temer ter o mandato cassado, segundo professores de direito eleitoral ouvidos pela reportagem do UOL.
Segundo reportagem do jornal "O Estado de S.Paulo", Marcelo teria afirmado que que 4/5 de um total de R$ 150 milhões (ou seja, R$ 120 milhões) destinados pelo grupo para a campanha da chapa Dilma/Temer em 2014 foram pagos por meio de caixa 2.
Caixa 2 é como são conhecidos os repasses às campanhas que não são declarados na prestação de contas oficial à Justiça Eleitoral. A prática é ilegal.
"O caixa dois é um dos elementos de abuso de poder econômico nas eleições", afirma a professora de direito eleitoral da FGV (Fundação Getúlio Vargas) Silvana Batini.
"A se comprovarem esses fatos, são fatos que dificilmente poderão ser desconsiderados no contexto. É muito difícil você achar que um valor como esse não impacta uma eleição", afirma a professora.
O advogado e professor de direito eleitoral do IDP (Instituto Brasiliense de Direito Público) Daniel Falcão afirma que a análise pelo TSE da gravidade da eventual irregularidade deve levar em conta também o volume dos recursos em comparação ao total arrecadado na campanha.
A prestação de contas da chapa de Dilma informou ter recebido pouco mais de R$ 350 milhões em doações oficiais. "Ou seja, é muito dinheiro dentro da campanha que seria de caixa 2", afirma Falcão.
Tanto Falcão quanto Batini afirmam que mudanças recentes na legislação determinam que, para decidir sobre a cassação, a Justiça Eleitoral não considere apenas a questão do volume de recursos, mas avalie a gravidade do ato supostamente irregular.
"Independentemente do valor e do impacto no resultado nas eleições, é grave porque estava se tratando de uma chapa de reeleição, que tinha poder de barganha com a própria empreiteira. Então é grave objetivamente falando", afirma Batini.
Os dois professores afirmam que a avaliação sobre as supostas declarações de Marcelo Odebrecht foi feita em tese, baseada na hipótese de que o depoimento dele seja confirmado.
O conteúdo do depoimento de Marcelo Odebrecht está sob sigilo. A versão oficial só será divulgada pelo TSE após o STF (Supremo Tribunal Federal) liberar o conteúdo das 77 delações de ex-executivos da Odebrecht, homologadas pela Justiça em janeiro. A ação em curso no TSE foi aberta a pedido do PSDB contra a chapa Dilma/Temer. A ação pode levar à perda de mandato do presidente Michel Temer (PMDB).

TSE pode inocentar o vice?

Um dos argumentos utilizados pela defesa de Temer no TSE é que, como vice-presidente, ele não teria responsabilidade sobre supostas irregularidades praticadas pela equipe de campanha de Dilma.
Em seu depoimento, segundo reportagem do jornal "Folha de S.Paulo", Marcelo Odebrecht teria afirmado que recebeu um pedido de doação de Temer, em jantar na residência oficial do então vice-presidente, mas que no encontro não foram acertados valores.
Falcão e Batini afirmam que a jurisprudência do TSE, ou seja, as decisões em julgamentos anteriores, em sua maioria proíbe a separação da chapa na hora de aplicar a pena de cassação. Ou seja, se o presidente for condenado, o vice vai junto.
"O candidato a vice e o candidato a presidente, ambos se beneficiaram dessa irregularidade", diz Falcão. "É aquela ideia que muitos na época do impeachment falavam: quando você votou na Dilma, também votou no Temer. Se é chapa é para tudo, os ônus e os bônus", diz o professor do IDP.
Para Silvana Batini, a pena de cassação deve ser aplicada aos dois integrantes da chapa (presidente e vice), pois ambos são beneficiados por eventuais irregularidades na campanha.
"Dividir a chapa já é um absurdo. Agora, nesse caso, se esse valor foi negociado pelo próprio vice da chapa, isso afasta qualquer invocação [do argumento da defesa]", diz a professora da FGV.

O que dizem Dilma e Temer?

As defesas de Dilma Rousseff e Michel Temer têm negado a existência de qualquer prática irregular na campanha de 2014.