terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Energisa da “Golpe do Fio Preto”, paga R$ 800 mil para Ministério Público arquiva denúncia



Na Paraíba, toda denúncia é sobreposta por outra maior, e quase sempre, ninguém sabe como termina qualquer apuração, o que nos deixa com centenas de pulgas atrás das orelhas. Vocês lembram que um funcionário da própria Energisa denunciou que a empresa estaria fraudando as contas dos consumidores paraibanos simulando o chamado ‘gato’ na intenção de lesar o cidadão. Isso mesmo, o suposto “golpe do fio preto”, prática da Energisa que estaria fraudando os medidores de luz das residências para cobrar multas dos consumidores sob a acusação de que eles estariam desviando energia (instalando ‘gatos’) em suas casas. Lembro perfeitamente que o pedido para que a fraude chegasse à alçada do Ministério Público do Estado da Paraíba, partiu do deputado estadual Trocolli Júnior (PROS) e da vereadora de João Pessoa, Raíssa Lacerda (PSD).
Voltando ao ano de 2010, um funcionário da própria Energisa descobriu supostas práticas desonestas através das abordagens dos inúmeros relatos dos próprios consumidores que foram vítimas das ocorrências de fraudes. Naquele mesmo ano, o mesmo funcionário apresentou internamente na sede da empresa, as denúncias da suposta prática fraudulenta.

Ninguém da empresa deu ouvidos e jamais imaginavam que a sociedade tomaria conhecimento.
O “Golpe do fio preto” foi apresentado em 2013, a toda sociedade paraibana.
Além do deputado Trocolli e da vereadora Raíssa, o MP da Paraíba entrou na briga e lá foram eles investigar. Investigaram tanto, mas tanto mesmo, que jamais apresentaram a conclusão do Inquérito Civil nº. 1359/2013. Jamais deram publicidade. Jamais convocaram a imprensa para uma coletiva, afinal, o “Golpe do Fio Preto” merecia ou não uma conclusão transparente por parte do MP da Paraíba?
 Confira vídeo de denuncia de funcionário da energisa e o outro vídeo de um usuário(cliente)

Suspeito de fraudar exame de HIV para acessar benefício na PB

Um homem suspeito de fraudar um exame de HIV para acessar um benefício social foi preso nesta segunda-feira (13) em João Pessoa. Segundo a polícia, o homem de 43 anos foi preso quando tentava abrir uma conta corrente usando documentos falsos, com o nome de outra pessoa.

O exame falso de HIV estava com ele na hora da prisão e teria sido apresentado à Previdência. Ele também foi flagrado com uma cédula de identidade falsa, um cartão bancário, um contrato de aluguel, um cartão de crédito de loja e cartões bancários em nome de terceiros.
Ele já vinha sendo investigado há seis meses por acessar empréstimos consignados em nome de servidores públicos, incluindo um policial militar que teve um prejuízo de R$ 40 mil. Pelo menos outras três vítimas já foram identificadas, somando um valor de R$ 200 mil em fraudes.
O homem foi indiciado por uso de documento falso, falsidade ideológica, estelionato e associação criminosa. Ele já tinha sido preso em 2012 junto com outras duas pessoas praticando o mesmo crime, utilizando as mesmas estratégias.
Informativo do G1 da PB

Campanha gera comoção na internet filhos de um casal com câncer fotografa os pais no leito de morte

Uma campanha para ajudar os filhos de um casal que morreu de câncer arrecadou mais de R$ 500 mil em questão de poucos dias.
A campanha foi lançada na internet com uma foto mostrando os últimos momentos em vida juntos de Mike Bennett, de 57 anos, e sua mulher, Julie Bennet, de 50 anos, em um hospital em Wirral, na Inglaterra. Até a manhã desta segunda-feira (13), ela tinha alcançado 130 mil libras (R$ 506 mil).
Ambos estavam em estado terminal da doença e foram internados juntos há duas semanas. Mike morreu na segunda-feira (6), e Julie Bennet no domingo (12). A foto foi tirada pouco antes da morte do pai pelos filhos, Oliver, 13 anos, Hannah, 18, e Luke, 21.
A mãe havia sido diagnosticada com câncer no fígado em 2016. Logo a doença se espalhou para os rins e outros órgãos. Já Mike lutava contra um câncer no cérebro desde 2013 –e Julie vinha cuidando dele.
Amiga da família, Heather Heaton Gallagher, disse que o casal sempre foi “muito unido e apaixonado”, que era conhecido pelo “amor à vida” e pelo apoio que dava aos filhos.
“Palavras não podem expressar a nossa tristeza por uma família tão bonita. Julie deixou as crianças em uma rotina normal enquanto lidava com a doença de Mike nos últimos anos”, afirmou.

PRF aponta irregularidades em veículos escolares de 20 Municípios e do Estado

O Ministério Público da Paraíba recebeu, na última segunda-feira (16), um relatório da Polícia Rodoviária Federal com informações rela...