segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Mulher é esfaqueada dentro da feira de Oitizeiro

India quebra tabu eleita como vereadora em PE

CABROBÓ (PE) – Forjada na luta pelos direitos indígenas, professora com grau de instrução superior, mais forte e destemida voz que ecoa no Sertão em pernambucano em defesa uma raça sofrida e abandonada, a tribo dos Truká, na ilha de Assunção em Cabrobó, Edilene Bezerra Pajeú, ou simplesmente Pretinha Truká, 41 anos, escreve uma nova página na história política indígena do País. É a primeira autêntica e legítima representante da nação Truká eleita vereadora com 780 votos pelo Partido Verde.
Corpo franzino, estatura baixa, solteira, dois filhos, nascida e criada vendo seus pais enfrentar os poderosos na defesa de suas terras, alvo de muitas contendas, sendo a principal delas a invasão pela União para construção da principal tomada do projeto de Transposição das águas do São Francisco, Pretinha Truká passa a suceder na Câmara o vereador Neguinho Truká, que está encerrando o seu segundo mandato na Câmara de Cabrobó. Com ela, os 4,2 mil índios da sua tribo continuarão a ter suas bandeiras representadas no parlamento.
Ao ser convocada para disputar as eleições, que não estava em seu projeto de vida, pautado na educação da sua tribo, Pretinha só aceitou porque sua escolha se deu pela vontade unânime dos mais legítimos representantes da aldeia: os caciques Bertinho e Neguinho e a cacique Ana Cleide. “Ela foi escolhida pela sua história, seu perfil e sua liderança”, assinala o cacique Neguinho Truká.
Depois de Cabrobó eleger o primeiro índio parlamentar em 2008, respaldado por 1.034 votos, os Trukás passaram a ter mais força para conquistar políticas públicas em todas as áreas, principalmente na agricultura familiar, na educação e na regularização de suas terras. “Sei que o desafio é grande, mas já estou curtida em grandes batalhas em defesa de nossa gente”, afirma Pretinha, referindo-se ao trabalho de Neguinho que lhe servirá de referência.
Preparada, politizada e sem papas na língua, Pretinha já ecoou a sua voz até na ONU – a Organização das Nações Unidas. Em 2004, selecionada pela Comissão de Professores Indígenas de Pernambuco (Copipe), esteve ali na condição de primeira mulher indígena do Brasil expondo a violência sofrida por índios da sua tribo depois de um curso preparatório na Espanha em Direitos Humanos. “Foi uma experiência fantástica e nosso caso, um índio barbaramente assassinado em nossa aldeia, ganhou repercussão internacional”, diz, orgulhosa. Matéria e vídeo do Mais PB

Cantor nãopaga pensão e vai pra cadeia

O ex-vocalista da dupla Thaeme & Thiago, José Lázaro Servo, conhecido como Thiago Servo, passou a primeira noite na carceragem do 1º DP de Jacareí, no interior de São Paulo. Conforme o G1 apurou, ele dormiu e se alimentou bem nas primeiras horas no local. Ele está preso, segundo a polícia, por uma dívida de R$ 500 mil da pensão alimentícia da filha.
Thiago foi preso na madrugada de sábado (9) antes de fazer uma apresentação em uma casa de shows. O débito da pensão seria referente um ano de dívida.
Apesar da carceragem ser apenas um local de ‘passagem’ antes dos presos serem levados para presídios, Thiago não deve ser transferido para outro local – esse é o procedimento padrão para casos de dívida de pensão alimentícia.
Na carceragem, ele não tem direito a visitas. A polícia não informou quantos presos dividem a cela com o cantor, mas disse que ele está aparentemente tranquilo. A mãe de Thiago, que é de Maringá (PR), estaria na cidade para tentar resolver a situação do filho.
Liberação
Thiago, que fez dupla com a cantora Thaeme até 2013, só será solto se pagar a dívida ou entrar em acordo com a ex-mulher. Caso não pague, ele ficará preso por pelo menos um mês, sem a possibilidade de pagamento de fiança.
Como o caso tramita em segredo de Justiça na Vara da Família em São Paulo, os nomes da mãe e da criança são mantidos sob sigilo.

Incêndio destrói estrutura de creche na PB

Um incêndio atingiu uma creche na cidade de São Sebastião de Lagoa de Roça, no Agreste da Paraíba, a 107 km de João Pessoa, na tarde deste domingo (11). Segundo profissionais do Corpo de Bombeiros de Campina Grande, que atuaram na ocorrência, as causas das chamas não foram apuradas e uma perícia seria feita no local para tentar descobrir se o fato pode ter sido acidental ou criminoso.
De acordo com os Bombeiros, o fogo destruiu uma estrutura de PVC que cobria as paredes do local. “Quando a guarnição chegou à creche, as chamas já haviam consumido tudo. Foi feito apenas um rescaldo”, contou um dos profissionais que registraram a ação, referindo-se à fase do serviço de combate a incêndio em que se localizam focos de fogo escondidos ou brasas que podem se tornar novos focos.
Não houve prejuízos em outros equipamentos do local e os danos não foram contabilizados pelos Bombeiros até o fechamento desta matéria.Matéria do Portal Correio.

2 ficam feridos em colisão de moto

2 ficam feridos em acidente registrado na noite desse domingo (11), na estrada que liga os municípios de Bananeiras e Belém, Agreste paraibano, distante 141 da Capital.

Segundo a Polícia Civil, as vítimas trafegavam em uma motocicleta quando foram atingidas por uma picape. O rapaz que conduzia a moto sofreu fraturas expostas em uma das pernas. Uma adolescente de 15 anos era carona e também se feriu, mas a gravidade da lesão não foi informada pela polícia.
Ainda conforme a Polícia Civil, as duas vítimas foram socorridas para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa. Porém, a unidade de saúde diz que só recebeu a adolescente. Até a publicação desta matéria, a assessoria de comunicação não sabia o estado de saúde da garota.
Nas redes sociais, moradores da região dizem que o condutor da motocicleta não resistiu aos ferimentos e morreu, mas o delegado de Bananeiras, José de Arimateia, disse desconhecer essa informação. “Até onde eu sei ele foi levado para o Trauma de João Pessoa”, declarou.
Até a manhã desta segunda-feira (12), o motorista da picape envolvida no acidente não havia sido localizado pela Polícia Civil.

Operação prende 4 envolvidos entre eles um professor envolvidos com o crime de roubos e clonagens de veículos

Pelo menos quatro pessoas foram presas em operação que investiga quadrilha especializada em roubos e clonagens de veículos. Onze automóveis foram apreendidos.

Conforme divulgado pela Secretaria de Segurança e Defesa Social, entre os presos está um professor da rede estadual de ensino. Ele seria responsável por ‘encomendar’ o roubo dos veículos e falsificar documentações.
Foram cumpridos mandados de prisão temporária e busca e apreensão em várias cidades do estado. Ainda segundo a apuração, um major reformado da Polícia Militar também estaria sendo investigado na operação.
“Prendemos o primeiro suspeito com um veículo clonado e este foi apontando a participação dos outros integrantes. O grupo clonava os veículos roubados e anunciava os carros em sites de venda na internet. Eles diziam que os carros eram financiados, que estavam com as parcelas atrasadas e informavam que o comprador não iria mais precisar pagar as mensalidades restantes, vendendo por preços bem abaixo do valor de mercado. Outros carros também chegaram a ser vendidos a preço de mercado, como se fossem carros lícitos”, explicou o delegado Nélio Carneiro.
Até a publicação desta matéria, a Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas não tinha informado mais detalhes da operação. Matéria do Portal Correio.

HIV é um virús ainda desconhecido para alguns jovens paraibanos

Os jovens estão mais vulneráveis a contrair o vírus HIV. Eles admitem que nem sempre fazem sexo seguro e a consequência dessa atitude pode durar a vida inteira. A quantidade de jovens que contraíram a infecção pelo HIV entre os anos de 2007 e 2016 aumentou em todo o Brasil. A maioria dos casos registrados nesse período são das faixas etárias de 20 a 34 anos, com percentual de 52,3% dos casos, segundo o Ministério da Saúde.

De acordo com a Secretaria do Estado de Saúde, na Paraíba a quantidade de jovens entre 20 e 29 anos que foram infectados com o vírus do HIV aumentou em 94,8%. Enquanto em 2007, a quantidade de pessoas que tinham a infecção somavam seis, em 2016 esse número cresceu para 117. Os casos de Aids na Paraíba também cresceram, mas em proporção menor (lembrando que quem tem o vírus HIV nem sempre tem também a Aids). De 2007 a 2016, a quantidade de jovens entre 20 e 29 anos com a doença aumentou em 4,2%.

Em 2007, havia um total de 68 casos. Já em 2016 esse número passou para 71. Para a empresária de 24 anos, Keyla Marques, o principal problema entre os jovens é a falta de preocupação com a doença. “A gente pensa que nunca vai acontecer com a gente, e acaba relaxando. A maioria dos jovens não pensa que pode ser o próximo”, disse. A empresária relatou que depois que casou parou de usar camisinha, mas que quando era solteira o uso de preservativos costumava ser algo essencial. “Antes de casar eu sempre usava camisinha, tinha muito medo de adquirir a doença e até de uma gravidez indesejada”. Mesmo possuindo conhecimento sobre a doença, o comportamento da maioria dos jovens mostra que a preocupação em contraí-la diminuiu. Para o marceneiro de 23 anos, Dálio Felipe, usar preservativo é só “de vez em quando”. Ele diz que não vê entre os amigos o cuidado em não contrair a doença.

Senado se prepara para votar PEC do Teto nesta 3ª veja nomes de senadores paraíbanos que são afavor

Em meio a denúncias da Lava Jato e divulgação de trechos da delação da Odebrecht, Senado se programa para votar PEC do Teto já na terça-feira (13). Na Paraíba, a expectativa é que os três senadores que representam o Estado, José Maranhão (PMDB), Raimundo Lira (PMDB) e Deca do Atacadão (PSDB) aprovem a medida.
 Ainda na semana passada, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), presidida pelo senador paraibano José Maranhão (PMDB) aprovou a fixação de um teto das despesas primárias da União para o período de 20 anos.

Mesmo depois de toda a defasagem sofrida na última semana, quando o Senado parou depois de o ministro Marco Aurélio de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), ter expedido liminar pelo afastamento de Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência da Casa, a pauta de votações vai tentar manter o cronograma estabelecido para a proposta de emenda à Constituição (PEC 55/2016) que limita os gastos primários da União nos próximos 20 anos. De acordo com a previsão da Casa, a matéria vai entrar na ordem do dia desta terça-feira (13).

Na última semana, parlamentares fizeram uma força-tarefa para realizar as duas sessões de debates necessárias para que a PEC pudesse ser votada nesta terça. As maiores críticas sobre a proposta continuam sendo em relação à desvinculação de receitas previstas no Orçamento para saúde e educação. Esta é a última semana de deliberações plenárias no Senado antes do recesso parlamentar, marcado para começar na próxima sexta-feira (16).

Uma das pautas que saiu do calendário estabelecido para a última semana de trabalho do Senado este ano foi o projeto de lei (PLS 208/2016), de autoria do presidente Renan Calheiros, que previa punições mais rigorosas para crime de abuso de autoridade. A não realocação da votação da proposta foi vista por membros da oposição como uma resposta à decisão do STF, que derrubou a possibilidade de Renan ser afastado do cargo de chefe da Casa Legislativa.

Apesar de ter recebido selo de urgência nas semanas que antecederam a crise do possível afastamento do peemedebista, o projeto que passou a ser utilizado nos últimos meses por Renan em respostas às investigações da Operação Lava Jato agora tem votação incerta mesmo para o próximo ano. A ideia é que o PL sobre abuso de autoridade só entre novamente na pauta do colégio de líderes do Senado no final de fevereiro, após as eleições internas para escolher o novo presidente da casa e os membros da Mesa Diretora, marcadas para o dia 2 de fevereiro.

Supersalários
A proposta de emenda à Constituição (PEC 62/2015) que inclui a proposta do fim do efeito cascata para os membros da magistratura e do Ministério Público, além de restrições à concessão do auxílio-moradia, aprovado na última quinta-feira (8) na comissão especial criada para debater o tema, também deve compor a pauta da última semana de votação do Senado.

Ainda sem data definida para entrar na ordem do dia, o parecer de Kátia Abreu (PMDB-TO) apresenta sugestões de medidas a serem tomadas pelos Poderes Executivo, Legislativos, Judiciário e pelo Ministério Público, além dos governos estaduais e municipais, para limitar as possibilidades de que servidores públicos recebam vencimentos acima do teto constitucional, que é o quanto recebe um ministro do Supremo. Hoje, o valor é de R$ 33,7 mil.

Já o chamado “efeito cascata” é o reajuste automático dos salários de toda a magistratura com base em aumentos concedidos aos ministros do STF. Atualmente, uma liminar de janeiro de 2015 torna automático o reajuste dos salários de todos os magistrados das justiças federal e estaduais, além do Ministério Público, vinculando os aumentos a qualquer elevação dos subsídios pagos aos ministros do STF. No seu relatório, Kátia Abreu sugere que o Senado ingresse no Supremo com uma ação direta de inconstitucionalidade para derrubar a liminar e, assim, acabar com a vinculação.

MP do Ensino Médio

Nesta terça-feira (17), o plenário da Câmara vai analisar os destaques apresentados à medida provisória (MP 746/2016) que promove a reforma do currículo do Ensino Médio. O texto-base foi aprovado na última quarta-feira (7), mas os parlamentares da Casa já apresentaram 11 pedidos de alteração no teor da matéria.

Entre as principais propostas da medida feita pelo Executivo estão o aumento da carga horária e a possibilidade de os alunos escolherem entre disciplinas que contemplem suas áreas de afinidades. A queda da qualidade do ensino tem sido o principal argumento utilizado pelos deputados favoráveis ao texto para convencer os parlamentares que ainda se posicionam contra as mudanças.

A pontuação do Brasil no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) caiu nas três áreas avaliadas: ciências, leitura e matemática. No ranking mundial, o País ficou na 63ª posição em ciências, na 59ª em leitura e na 66ª em matemática.

Reforma da Previdência

Na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara está prevista para esta segunda-feira (12) uma reunião extraordinária para leitura do relatório apresentado por Alceu Moreira (PMDB-RS) sobre a proposta de emenda à Constituição (PEC 287/2016), que estabelece critérios para a Reforma da Previdência. A análise feita pelo colegiado não entra no mérito do texto da PEC, verificando apenas a constitucionalidade e a jurisdição da proposta.

PRF aponta irregularidades em veículos escolares de 20 Municípios e do Estado

O Ministério Público da Paraíba recebeu, na última segunda-feira (16), um relatório da Polícia Rodoviária Federal com informações rela...