terça-feira, 29 de novembro de 2016

Avião levava 21 profissionais da imprensa além do time Chapecoense


A aeronave que levava o time da Chapecoense à Colômbia caiu em uma região montanhosa, deixando mais de 70 mortos e seis sobreviventes, informaram as autoridades colombianas nesta terça-feira (29).
As más condições do clima só tornaram possível o acesso ao local do acidente por via terrestre, segundo autoridades do aeroporto de Medellín, onde o avião fretado deveria ter pousado.
Posteriormente, o aeroporto afirmou que as buscas tinham sido suspensas por causa da chuva forte na região.
O serviço de acompanhamento de voos Flightradar24 disse no Twitter que o último sinal do voo 2933 foi recebido quando o avião estava a 15.500 pés, a cerca de 30 quilômetros do destino.
O avião Avro RJ85 foi fabricado por uma empresa que atualmente faz parte da britânica BAE Systems.

 A Chapecoense, time da cidade de Chapecó no interior de Santa Catarina, disputaria na quarta-feira a final da Copa Sul-Americana. Essa é a primeira vez que o time chega à final de uma competição internacional.
A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) suspendeu a partida e todas as suas atividades devido ao acidente.
Em uma nota oficial, o clube disse que não fará comentários oficiais até receber mais informações das autoridades colombianas.

Profissionais de imprensa
Guilherme Marques, da Globo
Ari de Araújo Jr., da Globo
Guilherme Laars, da Globo
Giovane Klein Victória, da RBS
Bruno Mauri da Silva, da RBS
Djalma Araújo Neto, da RBS
André Podiacki, da RBS
Laion Espíndola, do Globo Esporte
Victorino Chermont, da Fox
Rodrigo Santana Gonçalves, da Fox
Deva Pascovicci (Devair Paschoalon), da Fox
Lilacio Pereira Jr., da Fox
Paulo Clement, da Fox
Mário Sérgio, da Fox
Renan Agnolin, Rádio FM
Fernando Schardong, Rádio AM
Edson Ebeliny, Rádio AM
Gelson Galiotto, Rádio AM
Douglas Dorneles, Rádio AM
Jacir Biavatti, Rádio FM
Rafael Henzel Valmorbida, da Rádio FM

Tragédia no futebol brasileiro avião que conduzia jogadores da Chapecoense cai na Colômbia


  
A lista oficial de passageiros do avião com os jogadores da Chapecoense que caiu na Colômbia na madrugada desta terça-feira (29) tem os nomes de quatro pessoas que não embarcaram. Não há confirmação se outras pessoas embarcaram no lugar delas.
O avião levava o time para disputar uma partida válida pela final da Copa Sul-Americana.75 mortos e 06 sobreviventes.
Segundo a relação fornecida pela autoridade de aviação civil colombiana, havia 81 pessoas a bordo: 72 passageiros e nove tripulantes. Dos nomes que constam da lista, não embarcaram os seguintes passageiros:
– Luciano Buligon, prefeito de Chapecó (SC);
– Plínio David de Nes Filho, presidente do Conselho Deliberativo da Chapecoense;
– Gelson Merisio (PSD), presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc);
– Ivan Carlos Agnoletto, jornalista da rádio Super Condá, de Chapecó.

Além deles quatro, Matheus Saroli, que é filho do técnico da Chapecoense, Caio Júnior, não embarcou. Embora seu nome não estivesse na lista oficial, Saroli pretendia fazer a viagem. Isso só não aconteceu porque ele esqueceu o passaporte.

Depoimentos dos que não embarcaram
O presidente do Conselho Deliberativo da Chapecoense, Plínio Filho, e o prefeito de Chapecó, Luciano Bulignon, estavam em São Paulo e viajariam para Medelín na tarde desta terça. "Por essas coisas da vida, que só Deus explica, eu acabei ficando", afirmou Buligon.
"É a maior tragédia que Chapecó pode passar. Nós vivíamos o momento de êxtase com nosso time de futebol . É uma cidade que estava pelo terceiro ano consecutivo na série A do campeonato brasileiro", disse o prefeito.
Plínio Filho completou: "Ontem de manhã, eu me despedindo deles, eles diziam que iam em busca do sonho para tornar esse sonho uma realidade e nós, muito emocionados, compartilhamos muito com eles desse sonho, e o sonho acabou nesta madrugada".

Em nota, Gelson Merísio disse que "apesar de programada a minha presença no voo acompanhando o time, optei por não fazê-lo por conta das atividades programadas no Legislativo esta semana".
O presidente Alesc ainda afirmou estar "bastante impactado e comovido". Desejou também "toda a força para a família dos jogadores, da comissão técnica e dos jornalistas que acompanhavam a delegação".
A quarta pessoa a integrar a lista oficial de passageiros e não embarcar é o radialista Ivan Carlos Agnoletto, da Super Condá. Ele estava e São Paulo, onde cobriu o jogo entre Chapecoense e Palmeiras, no domingo (27). Embarcaria para a Colômbia, onde trabalharia na final da Copa Sul-Americana, mas desistiu após ser informado que poderia ter sua entrada barrada no país por carregar um documento de identidade antigo.
Uma quinta pessoa não tinha o nome na lista, mas embarcaria caso não tivesse tido problemas com documentos. Matheus Saroli, filho do técnico da Chapecoense, Caio Júnior, não estava no voo por ter esquecido o passaporte. O nome dele não consta da lista oficial. O pai dele embarcou. "Somos fortes, vamos passar por isso", escreveu Saroli em sua página do Facebook.
Sobreviventes
A autoridade de avião civil da Colômbia informou que há 75 mortos e seis sobreviventes. Foram resgatados com vida os seguintes passageiros:
– Alan Luciano Ruschel (lateral da Chapecoense);
– Jackson Ragnar Follmann (goleiro da Chapecoese);
– Hélio Hermito Zampier, o Neto (zagueiro da Chapecoense);
– Rafael Henzel (jornalista brasileiro da Oeste Capital, de Chapecó);
– Ximena Suarez (auxiliar de voo);
– Erwin Tumiri (técnico da aeronave).

O goleiro Marcos Danilo Padilha, que havia sido resgatado com vida, morreu no hospital, informou a Cruz Vermelha.

Veja, abaixo, a relação das pessoas que estavam a bordo:
— Jogadores da Chapecoense
Alan Luciano Ruschel (lateral): primeiro a ser resgatado, o atleta foi levado para o Hospital de La Ceral. De acordo com o Bom Dia Brasil, o jogador chegou em estado de choque e perguntando pela família. Ruschel teve múltiplas fraturas nos braços e nas pernas e também uma lesão na coluna (região lombar). Trabalha-se com a possibilidade de que a medula tenha sido atingida. Ele passou por cirurgia.

Ananias Eloi Castro Monteiro (meia): o jogador de 27 anos teve passagens pelo Bahia, Portuguesa, Cruzeiro, Palmeiras e Sport.

Arthur Brasiliano Maia (meia): o alagoano Arthur Brasiliano Maia, de 24 anos, era jogador do Vitória emprestado à Chapecoense.
Bruno Rangel Domingues (atacante): nascido em Campos dos Goytacazes (RJ), tinha 34 anos e passou por times como Paysandu e Joinville antes da Chapecoense. Maior artilheiro da história da Chapecoense, com 77 gols.
Aílton Cesar Junior Alves da Silva, o Canela (atacante): o jogador, conhecido como Canela, de 22 anos, nasceu em Matão (SP). Antes da Chapecoense, passou pelo Botafogo de Ribeirão Preto.

Cleber Santana Loureiro (meia): o capitão do time tem 36 anos iniciou a carreira no Sport (PE) e passou por Vitória, Santos, São Paulo, Atlético Paranaense, Avaí, Flamengo, Criciúma, o japonês Kashiwa Reysol, e os espanhóis Atlético de Madrid e Mallorca. Nascido em Abreu e Lima, deixa dois filhos, um de 14 e outro de 11 anos.
Marcos Danilo Padilha (goleiro): o jogador de 31 anos foi resgatado com vida e levado ao hospital San Vicente Fundación. A Cruz Vermelha informou que Marcos Danilo não resistiu aos ferimentos e morreu.

Dener Assunção Braz (lateral): jogador nascido em Bagé (RS), de 25 anos, passou por clubes como Grêmio e Veranópolis.

Filipe José Machado (zagueiro): o atleta de 32 anos teve passagens por Internacional, Fluminense e clubes do exterior.
Jakson Ragnar Follmann (goleiro): foi resgatado com vida e levado ao hospital San Vicente Fundación. De acordo com o Bom Dia Brasil, o goleiro reserva  teve uma perna amputada.
José Paiva, o Gil (volante): o jogador de 29 anos passou por clubes como Coritiba, Santo André, Vitória, Ponte Preta, Santa Cruz e Mogi Mirim.
Guilherme Gimenez de Souza, o Gimenez (lateral e volante): antes da Chapecoense, passou por Goiás e Botafogo de Ribeirão Preto, onde nasceu. Tinha 21 anos e deixa mulher e uma filha de dois anos.

Everton Kempes dos Santos Gonçalves (atacante): o jogador de 31 anos nasceu em de Carpina, na Mata Norte de Pernambuco, tem passagem pela Portuguesa, pelo Vitória, Ceará, América Mineiro, e pelos japoneses Cerezo Osaka e JEF United Ichihara Chiba.

Lucas Gomes da Silva (atacante): o jogador de 26 anos nasceu em Bragança, nordeste do Pará. Foi revelado pelo Bragantino, passou por São Raimundo-PA, Trem-AP, Castanhal-PA, Ananindeua-PA, Londrina, Sampaio Corrêa, Tuna Luso, Icasa e Fluminense.
Matheus Bitencourt da Silva, o Matheus Biteco (volante): o porto-alegrense de 21 anos era o caçula dos "irmãos Biteco" – o mais velho, Guilherme Biteco, é meia-atacante que atualmente está no Ceará. Matheus começou no Grêmio e jogou nas categorias de base da seleção brasileira.

Hélio Hermito Zampier Neto, o Neto (zagueiro): foi resgatado com vida e levado ao hospital. Segundo o Globo Esporte, o jogador estava consciente, mas com muitos ferimentos, principalmente no rosto. O Bom Dia Brasil informou que o estado do jogador é grave devido a um trauma cranioencefálico.

Sérgio Manoel Barbosa Santos (volante): o jogador de27 anoshavia chegado neste ano à Chapecoense. Antes, estava no Água Santa, no interior de São Paulo. Recentemente, ele marcou seu segundo gol pelo novo clube e comemorava a nova fase após lesões sérias.

William Thiego de Jesus, o Thiego (zagueiro): nascido em Aracaju, tinha 30 anos e despontou no Grêmio. Passou ainda pelo Kyoto Sanga, do Japão, Bahia, Ceará, Figueirense, e Khazar, do Azerbaijão, antes de finalmente chegar à Chapecoense. Thiego estava perto de acertar com o Santos para a próxima temporada.
Tiago da Rocha Vieira Alves, o Tiaguinho (atacante): aos 22 anos, teve passagens por XV de Piracicaba e Cianorte.

Josimar Rosado da Silva Tavares (volante): aos 30 anos, teve passagens por Internacional, Palmeiras e Ponte Preta

Marcelo Augusto Mathias da Silva (zagueiro): aos 25 anos teve passagens por Volta Redonda, Cianorte e Flamengo.

Mateus Lucena dos Santos (lateral direito): aos 22 anos, teve passagens por Mogi Mirim, São Paulo e Atlético-GO

— Integrantes da comissão técnica da Chapecoense
Luiz Carlos Saroli, o Caio Júnior (técnico): Luiz Carlos Saroli, conhecido como Caio Júnior, ex-jogador com passagens por Grêmio, Internacional e Paraná, dentre outros, começou a carreira de técnico em 2000. Na função, passou por clubLuizes como Palmeiras, Flamengo, Grêmio, Bahia, Vitória e Criciúma
Eduardo de Castro Filho, o Duca: auxiliar técnico
Anderson Rodrigues Paixão Araújo (preparador físico): com filho do ex-preparador físico Paulo Paixão, que integrou a comissão técnica do Brasil que conquistou a Copa do Mundo de 2002, Anderson tem 37 anos.
Anderson Roberto Martins, o Buião (preparador de goleiros): nasceu em Pirapora, região norte de Minas Gerais, e trabalhava na preação de Danilo, um dos destaques da campanha da Chapecoense na Sul-Americana.
Luiz Felipe Grohs, o Pipe Grohs: analista de desempenho
Marcio Bestene Koury: médico
Rafael Correa Gobbato: fisioterapeuta
Sérgio Luis Ferreira de Jesus: massagista do clube
Luiz Cezar Martins Cunha: membro da comissão
Adriano Wulff Bitencourt: membro da comissão técnica
Cleberson Fernando da Silva: membro da comissão técnica
Eduardo Luiz Preuss, o Cadu: membro da comissão técnica do clube
Anderson Donizette

— Dirigentes da Chapecoense
Sandro Luiz Pallaoro: presidente da Chapecoense
Mauro Luiz Stumpf: vice-presidente de futebol
Emersson Fabio Di Domenico, o Chinho di Domenico: supervisor
Nilson Folle Junior: membro da diretoria
Decio Sebastião Burtet Filho: membro da diretoria
Jandir Bordignon: membro da diretoria
Mauro Dal Bello: membro da diretoria
Edir Félix De Marco: membro da diretoria
Ricardo Philippi Porto: membro da diretoria
Gilberto Pace Thomas: assessor de imprensa

— Convidados da Chapecoense
Delfim Pádua Peixoto Filho: presidente da Federação Catarinense de Futebol (FCF) há 27 anos, ele tinha 72 anos e nascera em Itajaí. Foi deputado estadual entre 1971 e 1983 pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Comandava a FCF desde 1985 e é um dos vice-presidentes da Federação Brasileira de Futebol (CBF).
Daví Barela Dávi: empresário, viajava como convidado da direção do clube

— Profissionais de imprensa
Guilherme Marques, da Globo: repórter
Ari Ferreira de Araújo Júnior, o Ari Júnior, da Globo: o cinegrafista de 48 anos trabalhou na TV Anhanguera de fevereiro de 1996 a novembro de 1997. Desde então, trabalhava na TV Globo no Rio de Janeiro, onde integrava a equipe do programa Planeta Extremo.
Guilherme Laars, da Globo: produtor
Giovane Klein Victória, da RBS: repórter da RBS TV, afiliada da TV Globo, de Florianópolis
Bruno Mauri da Silva, da RBS: técnico da RBS, afiliada da TV Globo, de Florianópolis
Djalma Araújo Neto, da RBS: cinegrafista da RBS TV, afiliada da TV Globo, de Florianópolis
André Podiacki: repórter do jornal "Diário Catarinense"
Laion Espíndola, do Globo Esporte: repórter
Victorino Chermont, da Fox: repórter dos canais Fox Sports
Rodrigo Santana Gonçalves, da Fox: repórter cinematográfico dos canais Fox Sports
Devair Paschoalon, o Deva Pascovicci, da Fox: narrador dos canais Fox Sports
Lilacio Pereira Jr., da Fox: coordenador de transmissões externas dos canais Fox Sports
Paulo Clement, da Fox: jornalista ds canais Fox Sports
Mário Sérgio, da Fox: ex-jogador e ex-técnico de futebol, atualmente era comentarista nos canais Fox Sports.
Renan Agnolin: repórter da rádio Oeste Capital, de Chapecó
Fernando Schardong: narrador da rádio Chapecó
Edson Ebeliny: repórter setorista da Chapecoense pela Super Condá
Gelson Galiotto: narrador da rádio Super Condá, de Chapecó
Douglas Dorneles: repórter esportivo da Rádio Chapecó
Jacir Biavatti: comentarista esportivo da RIC TV; viajou para fazer cobertura a cobertura pela rádio Vang FM
Rafael Henzel: jornalista da rádio Oeste Capital, de Chapecó, foi resgatado com vida e levado ao Hospital de La Ceja. De acordo com o Bom Dia Brasil, ele teve lesões vertebrais mas sua condição é estável.

—Tripulação

Miguel Quiroga: piloto

Ovar Goytia: piloto

Sisy Arias: copiloto

Romel Vacaflores: assistente de voo

Ximena Suarez: auxiliar de voo foi resgatada com vida e levada à clínica Somer de Rionegro.

Alex Quispe

Gustavo Encina: representante da companhia aérea Lamia

Erwin Tumiri: técnico da aeronave, foi resgatado com vida e levado à clínica Somer de Rionegro.

Angel Lugo: técnico da aeronave

GRANDE FEIJÃOBINGO NESTE DOMINGO NO CENTRO PARÓQUIAL