quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Mistério: Ex-operadora de caixa continua desaparecida a uma semana

Hoje faz uma semana que uma jovem moradora do bairro de Mangabeira, em João Pessoa, está desaparecida. O marido de Vivianny Crisley Viana Salvino, 29 anos, revelou nesta quinta-feira (27), que a jovem saiu de casa acompanhada de uma amiga na noite em que desapareceu no bairro dos Bancários. “Ela falou que era uma amiga que tinha trabalhado com ela, mas que não a conhecíamos”, disse ele.
Vivianny Crisley foi vista pela última vez na quinta-feira (20), após sair de uma casa de shows. O caso está sendo investigado pelos delegados da Homicídios Luiz Cotrim e Reinaldo Nóbrega. De acordo com informações divulgadas pela Polícia Civil, imagens de câmeras de segurança do estabelecimento mostram a jovem saindo do estabelecimento com um grupo de amigos, no entanto as imagens não estão claras e não dá para identificar as pessoas.

Nesta quinta-feira (27), um celular, que supostamente pertenceria a Vivianny Crisley Viana Salvino, foi localizado em uma feira de troca na Grande João Pessoa. O equipamento foi enviado para análise do Instituto de Polícia Científica (IPC), que deve confirmar ou não a veracidade da informação.
A família e os amigos de Vivianny Crisley estão mobilizados em encontrá-la. Além de divulgar o desaparecimento nas redes sociais, também incluíram o caso no Cadastro Nacional Desaparecidos do Brasil.
Vivianny Crisley estava trabalhando como operadora de caixa em Natal, no Rio Grande do Norte. Mas há três meses, decidiu voltar a morar em João Pessoa para ficar junto da mãe, que é idosa. Vivianny Crisley tem um bebê de oito meses.

Preso um traficante do Bar da Morena no Conde




A dona do bar da Morena no Conde que é casada com Messias  e Ricardo que é casado com a filha da dona do bar e mais dois de menores, foram presos numa bocada só, com vários papelotes de maconha enterrados no quintal dentro de uma bolsa.
Confira no vídeo do reporte Emerson Machado.
Na guarnição do Dr. Amaro

Atriz Alexia tenta se explicar após ter dito que paga bolsa família para os nordestinos e diz que vai processar deputado

A atriz Alexia Dechamps diz que processará o deputado federal Pedro Vilela (PSDB-AL) por calúnia, injúria e difamação e nega que tenha dito a frase “Calem a boca porque eu já pago o Bolsa Família para o nordeste” na audiência pública que tratava da regulamentação da vaquejada, ontem (terça-feira 25), na Câmara dos Deputados, em Brasília. Ela já estaria conversando com o criminalista Antonio Carlos de Almeida Casto, o Kakay.
Alexia afirma que Vilela deturpou a sua frase na discussão acalorada sobre a prática da vaquejada e nega que tenha se dirigido à plateia. A discussão, segundo ela, teria sido entre os dois. Nesta quarta-feira 26, o assunto voltou à pauta. Desta vez no plenário da Câmara. “Eu não tinha outra alternativa que não denunciá-la”, discursou o parlamentar. Alexia, que milita contra a vaquejada, foi convidada para participar da audiência pública.
Em nota, ela diz que defendeu a busca de alternativas para os vaqueiros que vivem da vaquejada como atividade econômica. “Eu disse que no Nordeste, de onde provinha a maior parte dos vaqueiros lá presentes, existem outras atividades como pesca, turismo e lavoura, além do Bolsa Família, que poderia amparar os mais necessitados”, disse Alexia, em nota. “Lembrei que a região é que mais tem inscritos no programa do governo federal. Se o auxílio existe, sustentado pelos impostos que eu e todos os brasileiros pagamos, para socorrer pessoas sem renda suficiente, deve ser utilizado para casos extremos como o que discutíamos. A deturpação dos meus argumentos, como se vê, é vil.”
A atriz afirmou que abomina a “postura oportunista” do parlamentar “de aproveitar-se de um falso embate com uma pessoa pública, atriz profissional, para conseguir mídia fácil e destacar-se diante de seu eleitorado.” O parlamentar, segundo ela, além de deturpar suas palavras, a ofendeu. “Ele tentou humilhar e constranger, chegando a dirigir-se ao plenário da Câmara pedir que a P rocuradoria da Casa me processe”, disse a atriz. “Não me curvo a ameaças, que o tempo de mulheres indefesas e submissas é passado e que antes que siga com sua infâmia eu o estarei chamando a prestar contas de suas palavras perante os tribunais.”
Íntegra da nota
“Eu, Alexia Dechamps, repudio a atitude do deputado Pedro Vilela, do PSDB alagoano, de atribuir a mim palavras desrespeitosas contra o povo nordestino durante audiência pública sobre a regulamentação da vaquejada. Mais do que isso, abomino sua postura oportunista de aproveitar-se de um falso embate com uma pessoa pública, atriz profissional, para conseguir mídia fácil e destacar-se diante de seu eleitorado. O parlamentar, além de deturpar minhas palavras, me ofendeu, tentou humilhar e constranger, chegando a dirigir-se ao plenário da Câmara pedir que a Procuradoria da Casa me processe. Não sabe o Sr. Deputado que não me curvo a ameaças, que o tempo de mulheres indefesas e submissas é passado e que antes que siga com sua infâmia eu o estarei chamando a prestar contas de suas palavras perante os tribunais.
No intenso debate que acontecia entre os que defendiam a vaquejada como atividade econômica, geradora de empregos, e os que, como eu, afirmávamos que nenhum trabalho pode se basear em maus tratos a animais indefesos, defendi que o correto seria buscar alternativas econômicas para os vaqueiros que vivem da vaquejada. Se é uma cultura regional, que se mude a cultura, da mesma forma que se deve abandonar a prática das touradas na Espanha. Nada, absolutamente nada, justifica a violência contra animais ou seres humanos.
Disse ainda que no Nordeste, de onde provinha a maior parte dos vaqueiros lá presentes, existem outras atividades como pesca, turismo e lavoura, além do Bolsa Família, que poderia amparar os mais necessitados. Lembrei que a região é que mais tem inscritos no programa do governo federal. Se o auxílio existe, sustentado pelos impostos que eu e todos os brasileiros pagamos, para socorrer pessoas sem renda suficiente, deve ser utilizado para casos extremos como o que discutíamos.

Vigilante demora a entregar celular a assaltantes e acaba assassinado

Um vigilante foi assassinado, na noite dessa quarta-feira (26), por demorar a entregar celular a uma dupla de assaltantes que o abordou na porta de casa, no bairro da Torre, em João Pessoa.

A vítima conversava com um amigo quando dois homens em uma motocicleta se aproximaram e anunciaram o assalto. O amigo teria entregado o celular rapidamente, mas o vigilante ficou em estado de choque por alguns instantes.
Um dos criminosos teria descido da moto para exigir novamente o aparelho. Já com o celular em mãos, o bandido teria dito que "não estava ali de brincadeira" e disparado tiros contra o vigilante.
A vítima ainda chegou a entrar em casa para pedir ajuda e foi socorrida em um carro particular para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 21h, segundo boletim da unidade.
O Portal Correio tentou contato com as polícias Civil e Militar para saber se já há pistas da identidade e localização dos suspeitos, mas até o fechamento desta matéria os policiais plantonistas não tinham informações sobre os bandidos. Matéria tirada do portal Correio.

20 criminosos em bando invadem cidade, faz reféns e arromba banco e lotérica na PB

Um grupo formado por pelo menos 20 criminosos, segundo testemunhas, arrombou um cofre na agência bancária do Banco do Brasil e da casa lotérica na madrugada desta quinta-feira (27), em Tacima, cidade localizada no Curimataú do estado, a 153 km de João Pessoa. Seis pessoas foram feitas de escudo humano durante a execução do crime. Eles permaneceram cerca de uma hora na cidade.

De acordo com a Polícia Militar local, a ação teve início por volta das 2h30, quando a quadrilha chegou em três carros e duas motocicleta. O grupo se dividiu e parte rendeu cerca de seis pessoas que estavam no terminal rodoviário da cidade e fez de escudo humano, caso houvesse uma reação das forças de segurança.
Enquanto as pessoas eram mantidas reféns, os criminosos quebraram a porta de vidro da agência e, usando um maçarico, arrombaram o cofre o banco. Minutos depois, os ladrões foram em direção à lotérica onde violaram o cofre, mas como no local havia pouco dinheiro, os assaltantes destruíram a parte interna do estabelecimento.
Ainda de acordo com a polícia, os criminosos estavam armados com fuzil, metralhadora e até arma de uso exclusivo das Forças Armadas. O dinheiro que estava no cofre do Banco do Brasil e da lotérica foi levado, mas a polícia não soube informar a quantia roubada.
Durante a fuga, a quadrilha atirou várias vezes para o alto comemorando o sucesso do roubo: “Deu certo, certo...”. A população ficou em estado de pânico. Um carro usado pela quadrilha, um modelo HB 20, foi queimado no meio da estrada. Grampos foram jogados na rodovia para dificultar perseguição. O grupo fugiu com destino ao vizinho estado do Rio Grande do Norte e até a publicação dessa reportagem ninguém tinha sido preso. Matéria tirada do Portal Correio

61 mil denúncias de irregularidades pelo aplicativo Pardal

A seis dias do segundo turno das Eleições Municipais de 2016, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu até agora 61.961 registros de irregularidades pelo aplicativo Pardal. A ferramenta permite que os eleitores de todo país façam denúncias de propaganda eleitoral irregular, tanto nas ruas como na internet e em veículos de comunicação. O Pardal foi desenvolvido pelo TSE em parceria com Tribunais Regionais Eleitorais do Espírito Santo e Paraíba.
Desse total, mais de 29 mil foram denúncias sobre irregularidades em propagandas eleitorais e 10.636 a respeito de crimes eleitorais. Quanto às acusações relativas à compra de votos, o aplicativo recebeu mais de 7 mil.
De acordo com o levantamento do TSE, São Paulo é recordista de denúncias pelo aplicativo Pardal, com um total de 12.961 registros. A explicação passa pelo fato do estado ser mais populoso, ter o maior número de eleitores e também de candidatos. Em segundo lugar apareceu o estado da Paraíba, com 5.662 registros de denúncias e em terceiro Pernambuco, com 5.416.
Qualquer cidadão pode delatar irregularidades praticadas por candidatos e partidos políticos. Elas são feitas pelo próprio aplicativo, com o envio de fotos, vídeos ou áudios que comprovem indícios de crime. O material é encaminhado automaticamente para análise do Ministério Público Eleitoral (MPE), que avalia a consistência das informações recebidas e pode formalizar denúncias aos juízes eleitorais de cada localidade.

Cássio fará reunião com o ministro das Cidades e com prefeitos paraibanos em CGrande

Em contato com o prefeito Romero Rodrigues, no início da noite desta quarta-feira, 26, o senador licenciado Cássio Cunha Lima (PSDB) confirmou a agenda do ministro das Cidades, Bruno Araújo, em Campina Grande, na próxima segunda-feira, 31.
Em sua visita à Paraíba, o ministro promoverá uma reunião à tarde, na cidade, para a qual foram convidados todos os atuais prefeitos e os gestores eleitos para o quadriênio 2017/2020. O encontro será realizado no Complexo Aluízio Campos, no bairro do Ligeiro.
De acordo com a agenda do ministro, pela manhã da segunda-feira, Bruno Araújo fará uma visita técnica à obra do Viaduto do Geisel, em João Pessoa, autorizando na oportunidade a liberação de recursos para a continuidade da obra de mobilidade urbana na capital. Após esse compromisso, na companhia do senador Cássio e de parlamentares federais e estaduais, Bruno seguirá para Campina Grande.
Parcerias
Romero Rodrigues, que esteve em Brasília na semana passada e teve oportunidade de ter uma conversa preliminar com o ministro e o senador Cássio sobre essa reunião do dia 31, acredita que o evento no Aluízio Campos é extremamente importante para os municípios paraibanos, principalmente no que diz respeito às informações sobre o acesso às verbas do Ministério das Cidades.
– O ministro Bruno e sua equipe vão detalhar para os prefeitos paraibanos as informações essenciais sobre os atuais programas do governo federal voltado para as cidades, como também os novos programas que estão em gestação em Brasília – ressalta Romero Rodrigues, destacando ainda que é sempre importante que os municípios produzam projetos a serem encaminhados para Brasília.

Jeová Campos nega interesse em assumir cargo no governo

O deputado estadual Jeová Campos (PSB) negou que tenha sido procurado recentemente para ocupar um cargo no governo do estado. O socialista afirmou que não tem aptidão para cargos no Executivo e que o governador conhece o seu posicionamento.
Jeová admite que já foi convidado pelo governador há algum tempo, mas que recusou a proposta. Ele reforçou que o Executivo não faz o seu perfil. “Tanto é assim que eu nunca disputei uma eleição para prefeito”, disse.
Com o retorno de Buba previsto para a próxima segunda-feira (31) e sem perspectiva de licença de outro parlamentar da coligação “PRTB, DEM, PRP, PSB e PDT”, a situação do terceiro suplente Raoni Mendes pode se complicar. As licenças dos licenciados Lindolfo Pires (DEM) e Ricardo Barbosa (PSB) já garantem a permanência dos dois primeiros suplentes na Casa: Hervázio Bezerra (PSB) e Arthur Cunha Lima Filho (PRTB) já ocupam os espaços dos deputados.
O vereador, então, dependeria da saída de João Henrique (DEM), que faz oposição ao governo; Adriano Galdino (PSB), que preside atualmente a Casa; Estela Bezerra, que preside a Comissão de Constituição e Justiça; e Jeová Campos (PSB), que declarou em entrevista recente interesse em se licenciar do mandato para assumir um cargo no governo. Outra opção para abrir vaga para Raoni seria a convocação do suplente Arthur Cunha Lima. Matéria tirado do Blog do Gordinho

Dep. Gervásio Maia tenta atrair mais 10 prefeitos eleitos para o PSB

Pelo menos 10 prefeitos eleitos nas últimas eleições estão em negociação com o deputado estadual Gervásio Maia (PSB) para mudar de partido. Maia quer ampliar o número de prefeituras do PSB até o final do ano e acredita que pode chegar a 70. O PSB elegeu 53 prefeitos na última eleição e atraiu outros seis, que trocaram seus partidos pelo PSB, após tratativa do ex-peemedebista. “Eu tinha dito que nós chegaríamos até o final do ano com 70 prefeitos. Acho que vai dar para chegar. Nós já estamos com quase 60”, disse.
Embora evite falar em nomes para a disputa de 2018, o deputado tem trabalhado para fortalecer o seu nome dentro do partido e, assim, confirmar as atuais especulações, que o colocam como sucessor do governador na disputa.
“Eu não tenho dúvida que o trabalho e o fortalecimento que está sendo realizado em virtude da credibilidade que o PSB tem na Paraíba é algo que vai ter um reflexo extremamente positivo para 2018. Não posso desconhecer isso. Quanto aos nomes para 2018, isso é um assunto que vai ser discutido num momento oportuno”, disse.
Gervásio diz que é um soldado do partido e que trabalhar para fortalecê-lo com prazer: “Enquanto soldado do partido é uma obrigação minha dar a minha contribuição. Faço questão e tenho prazer de fazer isso. Quanto mais forte e coeso nós tivermos, o nosso exército tiver, tendo boas parcerias entre poder público estadual e municipal, melhor para os paraibanos. Esse é o espírito principal do nosso partido”, afirma.

Matéria do Blog do Gordinho