sexta-feira, 11 de março de 2016

Professora Vera é presa por envolvimento de abuso de menores



Professora Vera é presa por
envolvimento de abuso de menores
Hoje11 de Março mais precisamente as 12:30 na delegacia da cidade de Conde foi presa por envolvimento de abuso demenores




Hoje11 de Março mais precisamente as 12:30 na delegacia da cidade de Conde foi presa por envolvimento de abuso de menores, uma senhora  conhecida por professora Vera de aproximadamente 60 anos . A policia civil já,  estava investigando já a um certo tempo o caso,  segundo o delegado Luiz Eduardo em entrevista ao pbconde.com.br,  a professora Vera é acusada de exploração de menores onde a mesma vinha incentivos com cartilhas ensinando como fazer sexo, vários preservativos , fotos pornográficas, fixas de autorização, camisas de Bob Marley  possivelmente para fazer apologia as drogas. Todos os laudos indicavam que esses adolescentes são incentivados a fazer o uso de drogas. Todos os laudos indicam que as crianças que viviam com ela eram incentivadas a fazer sexo sobre filmagem. Todos esses materiais foram apreendidos e recolhidos de sua mansão para investigação.  Já o marido da professora e sua filha estão sobre investigação com envolvimento no caso e por acobertar todo esse material.  O delegado disse a nossa equipe que será feita investigação se essas filmagens  foram vendidas ou envido a alguma rede de prostituição para o  exterior. A professora a gora será encaminhada para Alhandra onde será sentenciada.
Populares percebiam algo estranho com a professora ela sempre  rodeado por adolescentes e crianças onde nas festas e principalmente no carnaval as menores sempre trajando minúsculas roupas e várias exposições eróticas publicadas nas redes sociais.  Familiares desses adolescentes e crianças não tinham acesso algum a mansão. Uma das mães desses adolescentes denunciou a professora onde em uma visita a essa mansão ela presenciou dois homens fazendo sexo com menores.  A Mansão é de difícil acesso devido a grande muralha que a cerca. Dona de uma enorme e luxuosa mansão a professora vera vai ter muito o que explicar. Como uma mulher que é aposentada conseguiu juntar todo esse luxo,  dona de um enorme quarteirão. A professora Vera era pré-candidata a vereadora.




Juíza pergunta a vítima de estupro se ela ‘tentou fechar as pernas’

Atualizado em 11/03/2016

A Associação Clara Campoamor, grupo feminista espanhol de apoio a vítimas de violência de gênero, pediu ao Conselho Geral do Poder Judiciário investigação de uma juíza que fez perguntas “totalmente ofensivas” a uma vítima de estupro. De acordo com a organização, a magistrada questionou a uma mulher que pedia ordem de restrição contra seu suposto agressor se ela havia “fechado as pernas e todos seus órgãos femininos”.

De acordo com o jornal espanhol “El Local”, a vítima, gravida de quatro meses, foi a uma delegacia na cidade de Vitoria-Gasteiz, no País Basco, no dia 16 de fevereiro para registrar queixa contra um homem que repetidamente a abusava “sexualmente e psicologicamente”. No dia seguinte, ela foi chamada para depôs perante a juíza.

“(A magistrada) mostrou descrença óbvia no testemunho da vítima, a questionou sem deixá-la responder, com perguntas conduzidas e ofensivas”, afirmou Blanca Estrella Ruiz, presidente da Associação Clara Campoamor, em comunicado. “Claro exemplo dessa atitude foi a juíza questionar repetidamente se a vítima fez alguma tentativa de resistir à agressão, incluindo se ela ‘fechou suas pernas firmemente’ ou se ‘fechou todos os seus órgãos femininos”.

“Tais questionamentos são não apenas desnecessárias a investigação, mas completamente ofensivas e violam a dignidade da vítima”, disse Blanca.

De acordo com o diário “El Mundo”, não é a primeira vez que essa juíza é acusada de procedimentos pouco usuais em casos de violência de gênero. Em uma oportunidade, ela chegou a interrogar, ao mesmo tempo, a denunciante e o denunciado, criando um ambiente de intimidação para a mulher.

O Globo

‘Ou fica com o governo ou vai para a oposição’, diz Luciano Cartaxo aos vereadores dissidentes

Atualizado em 11/03/2016

Resultado de imagem para luciano cartaxo
O prefeito de João Pessoa Luciano Cartaxo reagiu no final da manhã desta quinta-feira (10), ao pedido de instalação da CPI da Lagoa. Para o prefeito, a Comissão de Inquérito tem cunho eleitoreiro, porque objetiva apenas atrapalhar a conclusão das obras no principal cartão postal da cidade.


“Está muito claro o desejo eleitoreiro da bancada de oposição, que tenta inviabilizar uma obra importante para João Pessoa.Mas eu digo que a Lagoa será entregue até 30 de junho à população, doa em quem doar. Podem anotar”, disse.

O prefeito disse ainda, que não teme qualquer tipo de investigação porque João Pessoa recebeu reconhecimento de órgãos controladores como a cidade mais transparente do país.

“Você não pode jogar em dois times. Você tem que escolher no time que vai jogar. Ou é oposição ou é situação. Não pode ficar no meio de campo querendo jogar nos dois times ao mesmo tempo. A nossa bancada é aquela que vota os projetos do governo. Cada um escolhe o time que quer jogar. O que não pode é o vereador está na bancada de situação, mas vestindo a camisa da oposição”, afirmou.
Blog do Anderson Soares 

Com três CPI’s tramitando na AL, deputado acredita que CPI mista da Lagoa dificilmente será instalada

Atualizado em 11/03/2016

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Adriano Galdino (PSB), disse na manhã desta quinta-feira (10) ao blog do Anderson Soares, que não foi procurado pelos deputados da base governista para articular a criação de uma CPI Mista com a Câmara Municipal de João Pessoa, a fim de apurar denúncias de irregularidades nas obras da Lagoa.

“Não fui procurado para tratar o assunto. Nunca vi uma CPMI na Assembleia Legislativa. Não sei se o regimento permite. Mas uma coisa é certa, só farei o que estiver no regimento interno da casa”, disse.

Atualmente, três CPI’s estão em andamento simultaneamente no Poder Legislativo Estadual. A da Telefonia Movél, a dos Pardais (Radares) e a do Telemarketing e ainda há pedido de mais duas. Segundo Galdino, o regimento só permite a instalação de três Comissões Parlamentares simultaneamente.

Blog do Anderson Soares 
Atualizado em 11/03/2016

O Ministério Público de São Paulo pediu a prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo que investiga a suspeita de crimes de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica relacionados ao tríplex do Guarujá.


Na denúncia apresentada nesta quinta-feira, os promotores dizem ser “imprescindível o decreto da prisão preventiva, em razão da conveniência da instrução criminal” e por entender que o ex-presidente poderá “movimentar sua ‘rede’ violenta de apoio para evitar que o processo crime que se inicia tenha seu curso natural”.


Os autores da denúncia também citam a “probabilidade evidente de ameaças a vitimas e testemunhas e prejuízo na produção das demais provas do caso”. Dizem acreditar ser em “amplamente provadas manobras violentas” de Lula e de seus apoiadores, “com defesa pública e apoio até mesmo da presidente da República, medidas que somente tem por objetivo blindar o denunciado”.

Os promotores dizem haver probabilidade de “evidente ameaças a vitimas e testemunhas e prejuízo na produção das demais provas do caso, impedindo até mesmo o acesso no ambiente forense”.
Nesta quinta-feira, os autores da denúncia contra Lula negaram em entrevista coletiva, que o oferecimento de denúncia contra tenha motivação política. Lula foi denunciado por lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Caso haja condenação, as penas para os dois crimes somadas variam de 4 a 13 anos de prisão.

Apesar de negar motivação política, o promotor José Carlos Blat afirmou que outros integrantes do PT devem ser investigados, por suspeita de terem sido "agraciados" com unidades da Bancoop.
A ex-primeira-dama Marisa Letícia e o filho do casal, Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, foram denunciados por lavagem de dinheiro. Outras 12 pessoas foram denunciadas, entre elas o ex-dono da OAS, Leo Pinheiro, e o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, ambos investigados pela Operação Lava-Jato.

- O MP não trabalha com calendário político. É pautado em prazos judiciais, pouco importando se esse procedimento tenha qualquer tipo de repercussão política ou social - afirmou o promotor Blat, um dos responsáveis pela denúncia.

Os promotores também rebateram a acusação de que a investigação do triplex no Guarujá é de exclusividade da Justiça Federal de Curitiba. Eles disseram que algumas provas foram compartilhadas entre os dois grupos:

- Enquanto o apartamento diz respeito (ao MP estadual), o que tem dentro do apartamento e o sítio de Atibaia pertencem ao MPF e a bem-sucedida Operação Lava-Jato - afirmou o promotor Cássio Conserino.

A denúncia foi mal recebida e considerada "foi muito política" pelo Palácio do Planalto. A ação do MP ocorreu quatro dias antes dos protestos marcados para domingo. O Instituto Lula emitiu nota, nesta quinta-feira, em resposta à denúncia. De acordo com o texto, a denúncia “não tem base na realidade” e “Lula não pode ocultar patrimônio que não tem”.



O Globo 

Vereador afirma que Prefeitura da Capital usou até motos para transportar resíduos da Lagoa

Atualizado em 11/03/2016


O vereador Lucas de Brito (DEM) disse durante entrevista ao Programa Rádio Verdade desta quinta-feira (10) que o relatório da Controladoria Geral da União, (CGU), sobre o desvio de verbas da obras da Lagoa, aponta que foram utilizadas até motos para o transporte dos resíduos moles retirados da Lagoa. Além das motocicletas, também teriam sido utilizados carros de passeios.

“O documento é claro, é verdadeiro e precisa ser levado a sério, em consideração, pois foi um trabalho minucioso e elaborado a rigor”, destacou o parlamentar.

‘Ou fica com o governo ou vai para a oposição’, diz Luciano Cartaxo aos vereadores dissidentes
Em retaliação, Cartaxo começa a demitir servidores indicados por vereadores que assinaram CPI

Ele disse que o relatório da CGU constatou o pagamento superior ao valor dos serviços efetivamente 
executados na retirada do solo mole no montante de R$ 5 milhões.

Outro ponto apontado pela CGU, segundo o parlamentar, é que a Prefeitura afirmou ter retirado 49 mil metros cúbicos de resíduos, quando, na verdade, pagou a empresa responsável um montante 

referente a 126 mil metros cúbicos. “Infelizmente o prefeito ainda não apresentou provas ou argumentos contra o que foi constatado pela CGU”, lamentou o parlamentar. 

Agente penitenciário é preso suspeito de tentar matar esposa a tiros, na PB

Atualizado em 11/03/2016

Polícia Civil
Um agente penitenciário foi preso, nessa quarta-feira (9), suspeito de tentar matar a esposa a tiros em janeiro deste ano, em Campina Grande. O mandado de prisão preventiva foi cumprido em ação conjunta entre a Delegacia de Atendimento à Mulher e a Delegacia de Crimes contra Pessoa (Homicídios).


De acordo com a titular da Delegacia da Mulher, Herta de França, no dia do crime houve uma feijoada na residência do casal e, em certo momento, o suspeito se desentendeu com um dos convidados. Após a saída de todos da confraternização, foi iniciada uma discussão e a vítima resolveu sair da casa, sendo seguida pelo suspeito que efetuou disparos de arma de fogo.

“Em um trabalho investigativo foram coletadas as provas dessa prática criminosa, mas no decorrer da investigação descobriu-se que o suspeito havia fugido. Foi realizada a representação pela prisão preventiva e, nessa terça-feira (9), o suspeito foi localizado e preso”, disse a policial.

Homem fica ferido ao trocar tiros com PM durante assalto, na Grande João Pessoa

Atualizado em 11/03/2016


Pistola usada pelo suspeitos no asaslto
Um homem foi baleado em uma troca de tiros com a Polícia Militar durante o assalto a um mercadinho no bairro Mario Andreazza, em Bayeux, na Grande João Pessoa, nesta quinta-feira (10). De acordo com a PM, ele estaria envolvido no crime. Dois suspeitos fugiram entrando em uma comunidade espírita da comunidade.



Segundo o capitão Túlio Ramalho, comandante da 4ª Companhia de Bayeux, os policiais realizavam rondas no bairro quando perceberam o assalto. “Os policiais abordaram três rapazes durante o assalto ao mercadinho e os criminosos atiraram contra os policiais, que revidaram de imediato”, falou.

Durante a troca de tiros, um dos suspeitos foi atingido nas nádegas e socorrido pela viatura da Polícia Militar para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. Os outros dois envolvidos no assalto conseguiram fugir em uma motocicleta preta. Uma pistola usada pelos suspeitos foi apreendida. A dupla não tinha sido presa até as 11h30. O estado de saúde do ferido não foi divulgado.

"Os dois assaltantes e conseguiram fugir passaram em uma comunidade espírita do bairro e o pessoal se assustou devido a correria, mas eles não foram presos", falou o capitão.

Pastor evangélico é baleado na frente de igreja após um culto, no Litoral Norte da PB


Hospital de Emergência e Trauma da Capital
Um pastor evangélico foi baleado na frente da igreja onde congrega, no município de Rio Tinto, no Litoral Norte da Paraíba, a 52 km de João Pessoa, na noite desta quinta-feira (10). Segundo a Polícia Militar, o crime aconteceu após um culto no local.


De acordo com o subtenente Silva, da PM da cidade próxima de Mamanguape, que fica responsável pelas ocorrências da região, um trio em uma única moto é suspeito pela tentativa de homicídio.

“O pastor foi baleado no abdome e, conforme o médico do Hospital de Mamanguape, está fora de perigo, pois o projétil não acertou nenhum órgão interno”, revelou Silva, que desconhecia quais seriam as possíveis motivações para o fato.

O religioso foi socorrido consciente e orientado para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa.

Guarnições da PM fizeram buscas no município de Rio Tinto, mas, até as 23h20 desta quinta, ninguém havia sido preso. A polícia já havia elencado prováveis suspeitos pela ocorrência e seguiria com as buscas.

Chove em 32 locais da PB e Sertão tem maiores índices; Aesa prevê mais chuvas

Atualizado em 11/03/2016

Água do Rio São José abastece região de CajazeirasA Paraíba registrou chuvas em pelo menos 32 localidades das 269 monitoradas pela Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa), nesta quinta-feira (10). A cidade com maior precipitação Cachoeira dos Índios, a 493 km de João Pessoa, com 94,2 milímetros, um volume considerado bom para a região. 

Segundo a Aesa, as outras estações com volume considerável de chuvas nesta quinta foram Aparecida, com 80,1 mm, Nazarezinho, com 93 mm, Bom Jesus, com 60 mm e Conceição, com 65,5 mm, todas no Alto Sertão paraibano.

As chuvas em Cachoeira dos Índios favorecem a área do município vizinho de Cajazeiras, a 468 km da Capital, que tem o açude de Lagoa do Arroz abastecido. Confira abaixo um vídeo do Diário do Sertão que mostra o Rio São José, que abastece o reservatório.

As precipitações são medidas da seguinte maneira: cada milímetro de água marcado no pluviômetro representa dizer que choveu um litro de água em um metro quadrado. Em uma chuva cuja marcação no pluviômetro tenha sido de 100 mm, significa dizer que, a cada metro quadrado, choveu o equivalente a 100 litros de água.

A previsão da Aesa para esta sexta-feira (11) indica nebulosidade variável em todo o estado. Apenas no Sertão e Alto Sertão há possibilidade de chuvas em áreas isoladas.

As temperaturas mínimas e máximas em cada região da Paraíba serão, respectivamente: Litoral 25ºC e 31ºC; Brejo 21ºC e 29ºC; Agreste 21ºC e 30ºC; Cariri/Curimataú 22ºC e 34ºC; e Sertão e Alto Sertão, ambos com mínima de 23ºC e máxima de 34ºC.

Cássio Cunha Lima recebe com cautela ação do MP contra Lula: "É preciso ter prudência"

Atualizado em 11/03/2016

Cássio Cunha Lima
O líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB), disse na noite desta quinta-feira (10) que recebeu com cautela a notícia de que o Ministério Público de São Paulo pediu a prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 



A alegação dos promotores é de que Lula é suspeito de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica relacionados ao triplex do Edifício Solaris, no Guarujá (SP).

"Não estão presentes os fundamentos que autorizam o pedido de prisão preventiva, até porque o Ministério Público Federal e a Polícia Federal fizeram buscas e apreensões muito recentemente buscando provas. Vivemos um momento incomum na vida nacional. É preciso ter prudência", disse Cássio.

Pesquisadores do Japão acompanham atendimento a crianças com microcefalia na PB

Atualizado em 11/03/2016

Pesquisadores japoneses estiveram na Paraíba
A Paraíba recebeu nesta quinta-feira (10) a visita de pesquisadores do National Institute of Infectious Diseases, do Japão, além de técnicos do Ministério da Saúde daquele país. Os pesquisadores e técnicos japoneses, na companhia da secretária de Estado da Saúde, Roberta Abath, e de outras autoridades, visitaram a Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência (Funad), com o objetivo de conhecer o trabalho ali realizado no atendimento às crianças com microcefalia.


A equipe, composta por virologistas, pediatras e etimologistas, acompanhou o trabalho de estimulação realizado pela fundação, e puderam observar o rendimento de uma das meninas atendidas pela Funad.

“Esse acompanhamento eu sinto que minha filha está sendo bem cuidada e já percebo avanços nela, o que renova minhas esperanças e me faz querer lutar sempre pela felicidade da minha filha”, disse a mãe de uma das atendidas na Funad.

A secretária de Saúde da Paraíba, Roberta Abath, explicou que a equipe japonesa atua na área da etimologia, comportamento do mosquito, e ressaltou a importância de ajuda internacional e do combate ao vetor. 

“Toda pesquisa a respeito de um problema que culminou um decreto de emergência internacional, toda ajuda que venha, seja na pesquisa, na parte de assistência, de governos, parceria e termo de cooperação, será necessária e bem vinda. Devemos lembrar que se nós combatemos o mosquito, causador não somente da zika, mas da dengue e chikungunya, nós estaremos erradicando as consequências”, disse Roberta Abath.

Após se reunirem com a secretária de Estado da Saúde e a coordenadora da Rede de Cardiologia Pediátrica da Paraíba, os pesquisadores e técnicos japoneses seguiram para Recife, para participar de reunião na Embaixada do Japão.

Servidor é condenado à prisão e multa de R$ 1,4 milhão por fraudes no INSS, na PB

Atualizado em 11/03/2016

Ministério Público Federal da ParaíbaFoi proferida, no dia 2 deste mês, a primeira sentença condenatória contra nove dos 33 denunciados através de investigações da operação ‘Fanes’, deflagrada em setembro de 2015 para investigar um grupo criminoso que obtinha benefícios previdenciários fraudulentamente, através da atuação de um servidor do INSS. Os denunciados foram condenados a penas que variam entre oito a 24 anos de reclusão e multa de R$ 1,4 milhão.


A operação surgiu através de uma investigação conjunta entre o Ministério Público Federal na Paraíba (MPF), Polícia Federal e Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). As fraudes contra o INSS foram praticadas na agência do Dinamérica, em Campina Grande.

O esquema, comandado por um servidor do INSS, atuou principalmente entre os anos de 2013 e 2015, com o envolvimento de diversas pessoas que tinham tarefas definidas, como cooptadores e falsários.

A quadrilha atuava especialmente na obtenção de benefícios e empréstimos consignados fraudulentos, aposentadoria por idade rural e pensão por morte. 

Na investigação, os esforços foram centrados nas pensões por morte, concedidas com base em dados de empresas e pessoas fictícias e serviam basicamente para pagamento do próprio grupo, familiares e pessoas que conheciam o esquema.

Além da prisão e multa, o servidor investigado também teve decretada a perda do cargo e inabilitação ao exercício de função ou cargo público pelo prazo de oito anos, após o cumprimento da pena de prisão.

Desembargadores José Aurélio e Graça Morais assumem presidência do TRE-PB

Atualizado em 11/03/2016

José AurélioA operação surgiu através de uma investigação conjunta entre o Ministério Público Federal na Paraíba (MPF), Polícia Federal e Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). As fraudes contra o INSS foram praticadas na agência do Dinamérica, em Campina Grande.

O esquema, comandado por um servidor do INSS, atuou principalmente entre os anos de 2013 e 2015, com o envolvimento de diversas pessoas que tinham tarefas definidas, como cooptadores e falsários.

A quadrilha atuava especialmente na obtenção de benefícios e empréstimos consignados fraudulentos, aposentadoria por idade rural e pensão por morte. 

Na investigação, os esforços foram centrados nas pensões por morte, concedidas com base em dados de empresas e pessoas fictícias e serviam basicamente para pagamento do próprio grupo, familiares e pessoas que conheciam o esquema.

Além da prisão e multa, o servidor investigado também teve decretada a perda do cargo e inabilitação ao exercício de função ou cargo público pelo prazo de oito anos, após o cumprimento da pena de prisão.

PRF aponta irregularidades em veículos escolares de 20 Municípios e do Estado

O Ministério Público da Paraíba recebeu, na última segunda-feira (16), um relatório da Polícia Rodoviária Federal com informações rela...