quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Caminhão cai em buraco, quebra cano e alaga Av. Hilton Souto Maior


Foto: Reprodução Whtasapp FacenewspbUm caminhão caiu em um buraco e quebrou um cano da Cagepa, na manhã desta quarta-feira (11), na avenida Hilton Souto Maior, no bairro do José Américo, em João Pessoa (PB).

O acidente deixou o transito muito lento no local, uma vez que a rua ficou alagada com a água do cano.
A avenida Hilton Solto Maior é um dos principais corredores de veículo da Capital paraibana.

Microcefalia gera alerta para gravidez

 Aumento de nascimento de bebês com cérebro abaixo do normal muda rotina nos consultórios; rede de assistência de saúde para mulheres do interior pode ser um problema

Foto: Teresa Maia/ DP/ DA Press Quando uma mulher em idade fértil chega ao consultório particular da obstetra Gláucia Guerra cogitando a possibilidade de engravidar, ela diz categoricamente: “Não é o momento propício. Estamos passando por uma epidemia”. Começam as perguntas: “Até quando devo esperar?”, questionam as pacientes, diante da notícia de que precisam postergar o sonho. Dra. Gláucia, médica do Recife que também atua no serviço de gestação patológica de alto risco do Imip, continua: “No mínimo, dois meses”. Ou, avança na explicação, até que se investigue o fenômeno alarmante de crianças nascidas com microcefalia, uma anomalia em que o cérebro do bebê é menor do que o esperado para a idade e que causa comprometimento neurológico e disfunções no desenvolvimento da criança.

Dra. Jeanine Trindade, com experiência de 32 anos em ginecologia e obstetrícia, não é radical mas já tratou de elaborar um panfleto para atender à necessidade do momento. “Nunca vi numa situação dessas. É muito séria e, ao que parece, a epidemia que gerou esses casos não vê classe social”, comenta Jeanine. Há dez dias ela distribui as orientações para grávidas ou mulheres com interesse em engravidar tanto do consultório particular no bairro do Espinheiro quanto do centro de atendimento de alto risco do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam). Diz para que se redobre atenções quanto à exposição de mosquitos, não se tenha contato com água parada, se use com frequência repelentes permitidos, ou se adote o uso de velas de andirobas, ventiladores e ar condicionados para espantar supostos vetores de vírus. Meias e calças tipo legging são recomendadas nessa força-tarefa para evitar novos casos.

Por esses e outros depoimentos, há indicativos de que a rotina prática de alguns médicos foi alterada após o enorme aumento do número de casos de microcefalia que tem sido detectado. É a primeira consequência direta da grave descoberta. As famílias passam a temer pelo futuro de seus filhos, os obstetras tomam providências mínimas porque não se sabe o agente causador, os pediatras buscam explicações para um fenômeno tão atípico e de tamanha proporção. Os neurologistas pensam no nível de comprometimento de cada bebê para, então, cuidar dos que chegam aos consultórios. Os governos federal, estadual e municipal se apressam para tomar pé da situação com regras para notificação e precisam montar estrutura gigantesca para lidar com as crianças. Algumas precisarão de fisioterapia. Outras podem ter prejuízos cognitivos, motor, de visão.... Não há cura para a microcefalia, apesar de o tratamento ter capacidade de melhorar a qualidade de vida do paciente.
 
Por certo, o alerta e a tensão serão redobrados após o Ministério da Saúde decretar ontem estado de emergência sanitária no Brasil, em função dos casos de Pernambuco. Já foram notificados 141 bebês nascidos com suspeita de microcefalia somente este ano no estado. A média de 2011 a 2014 é de apenas nove. Jeanine Trindade agora anda com uma tabela sobre medidas do diâmetro do cérebro por idade do bebê na bolsa e a espalhou pelo centro onde trabalha.

Minhas principais dúvidas são relativas à rede (ou na precariedade dela) de assistência de saúde com a qual uma gestante ou mulher do interior pode contar. É um assunto mais que pertinente porque os casos notificados aqui em Pernambuco (estado com maior número) foram verificados em 42 municípios diferentes. A microcefalia pode, em tese, ser diagnosticada quando o bebê ainda estiver na barriga. Equipamentos de ultrassonografias existem em algumas unidades públicas nas cidades de menor porte e na rede particular o exame não é dos mais caros na rede privada. O problema é a qualidade do diagnóstico feito a partir das imagens. Dra. Jeanine confirma que há razão para pensar nesse viés: “As mulheres geralmente chegam aqui com o exame, mas o ultrassonografista não correlacionou as informações ou o obstetra não olhou a tabela de crescimento no pré-natal”, comenta ela.

Sabe-se que especialistas são escassos no interior. Grande parte do pré-natal em Pernambuco, e no Nordeste sobretudo, vem sendo feito por profissionais das unidades de saúde da família. Seja por um médico generalista ou enfermeiro. Quase nunca um obstetra no caso de uma gestante; ou um pediatra, no caso de uma criança recém-nascida. As mulheres só são encaminhadas a um acompanhamento mais próximo quando se nota gestação de alto risco. Há uma preocupação de não se gerar pânico na população. Ao mesmo tempo os profissionais de saúde estão inseguros porque todas as possibilidades quanto ao agente causador (entre elas, o vírus tipo zika ou dengue e o uso de agentes químicos) são apenas hipóteses.
Estou com o coração partido com as notícias mais recentes. Por trás do crescimento de casos de microcefalia há uma lista de mães e pais que sofrem ou temem por seus filhos, que vivem hoje na inquietude perante o desconhecido.

Delegada Gleide Ângelo vira pivô de polêmica


 Após seis anos atuando no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a delegada Gleide Ângelo será transferida para a divisão de homicídios da Delegacia de Polícia do município de Olinda. A portaria que regulamenta a transferência foi publicada ontem no Boletim de Serviço da Secretaria de Defesa Social do estado.

Famosa por desvendar desaparecimentos, ela será remanejada para setor de homicídios em Olinda. Associação vai entrar na Justiça

Gleide ganhou notoriedade após elucidar diversos casos de repercussão como os assassinatos da turista alemã Jennifer Kloker, em fevereiro de 2010, e da estudante Alice Seabra, em junho deste ano.

De acordo com a Polícia Civil, a remoção faz parte de rodízio de rotina e também servirá para fortalecer o combate aos homicídios, que têm aumentado em Olinda. O órgão acrescentou que a delegada será promovida. Já a Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco (Adeppe), anunciou que irá entrar com uma ação na Justiça para cancelar a medida.

O presidente da Adeppe, delegado Francisco Rodrigues, informou que vai aguardar a publicação da transferência no Diário Oficial para entrar com a ação. “Vamos avaliar quais as medidas judiciais cabíveis. Nenhum delegado pode ser removido para outro distrito, sem ser avisado previamente. Houve, no mínimo, um desrespeito”, concluiu. Segundo ele, Gleide soube da medida por amigos.

Segundo o chefe de Polícia Antônio Barros, as transferências vêm acontecendo desde o mês passado, na Região Metropolitana do Recife (RMR), Sertão e Agreste. “Não há problema algum com o trabalho da delegada. A transferência é uma medida administrativa. Estou confiando no seu trabalho. Ela apresentou um bom resultado e agora está recebendo uma missão ainda maior para combater os homicídios em Olinda”, disse.

O delegado Diogo Melo, do DHPP, passa a acumular a delegacia de desaparecidos que até então era chefiada por Gleide Ângelo, e o delegado Gilberto Loyo de Meira Lins Neto, que estava em Olinda, vai reforçar a equipe do Grupo de Operações Especiais. Procurada pelo Diario, Gleide preferiu não comentar sobre a decisão. Disse apenas que não havia sido comunicada oficialmente.

Presos fazem greve de fome por 'mordomias' na PCE



Resultado de imagem para Presos fazem greve de fome por 'mordomias' na PCEPresidiários que cumprem pena na Penitenciária Central do Estado (PCE), a maior unidade prisional de Mato Grosso e que a exemplo de outras unidades pelo país afora, enfrenta o problema de superlotação, decidiram fazer greve de fome para reivindicar melhorias e algumas “regalias”.

O movimento teve início nesta terça-feira (10) e as refeições servidas foram recusadas por todos. De acordo com o Sindicato dos Agentes Penitenciários de Mato, entre as reivindicações estão o aumento na quantidade de dias de visitas e a flexibilização nas revistas pessoais.

Como parte da greve, eles também suspenderam as visitas de familiares nesta quarta-feira (11). Algumas visitantes fizeram uma pequena manifestação na frente da unidade e depois se deslocaram até o Fórum de Cuiabá para tentar falar com o juiz Geraldo Fernandes Fidélis Neto, responsável pela Vara de Execuções penais.

No segundo dia da greve, a cantina que funciona dentro da PCE foi fechada de modo a evitar que alguns detentos “estoquem” comidas para continuar mantendo a greve ao recusar as refeições fornecidas pela direção da unidade.

Presidente do Sindicato dos agentes, João Batista de Souza acredita que o movimento grevista deve durar no máximo 3 ou 4 dias. “O pessoal está entrando e retirando a comida porque às vezes eles estocam comida da cantina. A cantina fica fechada enquanto perdurar a greve de fome. Acreditamos que não deve passar de uns 4 dias”, avalia o sindicalista.

Ele explica que no primeiro dia de greve os presos pediram a presença da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), pasta responsável pela administração do sistema prisional de Mato Grosso, do juiz da Vara de Execuções penais e de representantes da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MT). “O adjunto Luiz Fabrício de Vieira Neto foi lá ontem e ficou o dia inteiro saiu às 20h e conversou com detentos de todos os raios”, informa João Batista.
Pedidos inviáveis

De acordo com João Batista, as queixas são "coisas sem nexo" e que dificilmente poderão ser atendidas. “Querem que flexibilize a questão revista íntima nos dias de visita. Não tem como não revistar as visitantes devido a grande de drogas e celulares que entram lá dentro”, informa o sindicalista ao explicar que apesar de proibida a revista íntima nas visitantes ainda acontece em alguns casos, que são poucos, mas acontece. “Só mediante alguma suspeita. Sempre tem denúncia ou os servidores suspeitam do comportamento de alguma visitante. Nesse caso as meninas [agentes] fazem a revista”.

Os presos também reclamam da superlotação da unidade que tem capacidade para 891 vagas, mas costuma abrigar uma média de 1,8 mil a 2 mil detentos. De acordo com o presidente do Sindispen, os presidiários também querem aumentar a quantidade de dias de visitas, que atualmente já acontecem de forma fracionada, nas quartas-feiras e aos domingos. A Penitenciária Central do Estado é composta por 5 unidades internas que incluem puxadinhos, o Shelter (abrigo, em inglês), a Central, o Raio 5 e a Unidade Móvel. Dessa forma, as visitas acontecem em dias diferentes.

“Eles reclamam da rigidez por parte dos servidores, pois antes eles mandavam e desmantavam. Hoje temos os grupos de contenção que impedem os motins e evitam qualquer confusão com impedindo que os detentos façam reféns para tentar negociar algumas condições. Querem que a gente feche os olhos paras irregularidades deles e isso não vai acontecer. Lá o tratamento é normal, os direitos são garantidos. Não há casos de maus tratos e nem torturas”, destaca João Batista.
Outro lado 

A reportagem não conseguiu contato com representantes da Comissão de Direitos Humanos da OAB. A assessoria de imprensa da Sejudh disse que ainda vai se posicionar sobre o assunto pois está levantando as informações.

Preso 'Papai Noel' traficante no Porto

Um homem de 39 anos foi preso suspeito de tráfico de drogas, na região do Porto, em Cuiabá, no início da noite de terça-feira (10). João Lucas da Silva Souza foi detido com uma fantasia de "Papai Noel", em que veste nessa época do ano.
Reprodução Internet
De acordo com o boletim de ocorrências, a Polícia Militar recebeu a denúncia, via Ciosp, de que um homem estaria vendendo drogas na região do Porto.
Localizado, o suspeito foi revistado e com ele encontrado 10 porções de cocaína, porções de maconha, além de uma quantia em dinheiro e a fantasia de "Papai Noel", alcunha como também é conhecido na região. Ele é morador do bairro da Manga, em Várzea Grande.
O suspeito foi encaminhado para a Central de Flagrantes, na Capital, e autuado pelo crime.

Cavalo maluco erra caminho e sobe em telhado de casa na Paraíba

 errou o caminho e trepou no telhado

(Foto: Cícero Segundo / Corpo de Bombeiros)Um cavalo foi resgatado, na manhã desta quarta-feira (11), de cima de uma casa, localizada no  bairro dos Remédios, na cidade de Cajazeiras, Sertão paraibano. O animal foi retirado do imóvel pelo Corpo de Bombeiros usando um guindaste.

Segundo populares, o animal caminhava na rua, que fica em nível mais alto que a casa e acabou subindo no telhado, pensando que fosse seu caminho.

Durante a remoção, um veterinário foi acionado e sedou o animal, para que o trabalho do Corpo de Bombeiros fosse facilitado. Após ser retirado do telhado, o cavalo foi levado para o Centro de Zoonoses da cidade e passa bem.

Juiz autoriza o uso de substância para a ‘cura do câncer’ na PB

 Pacientes que tinham conhecimento das pesquisas passaram a recorrer à Justiça para ter acesso à fosfoetanolamina sintética.


Imagem ilustrativaUm juiz da comarca de Santa Luzia, no Sertão da Paraíba, a 260 km de João Pessoa, concedeu a um paciente paraibano o direito de utilizar a substância fosfoetanolamina sintética, conhecida popularmente como a 'pílula da cura do câncer'. Em forma de liminar, a decisão foi expedida no último dia 10 pelo magistrado Rossini Amorim Bastos. Ao autorizar o teste do medicamento, ele levou a Justiça estadual a uma decisão inédita.

O beneficiado é portador de câncer colorretal, que afeta o intestino e o reto, acometendo a parede intestinal e que pode comprometer outros órgãos.

A fosfoetanolamina sintética é uma substância desenvolvida há mais de 20 anos pelo Instituto de Química de São Carlos (IQSC), da Universidade de São Paulo (USP). A droga ainda não tem comprovação de eficácia contra o câncer. Além disso, a sua distribuição à população é ilegal, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Pacientes que tinham conhecimento das pesquisas passaram a recorrer à Justiça para ter acesso à fosfoetanolamina sintética.

No dia 8 de outubro o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, concedeu liminar suspendendo decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) que impedia uma paciente de ter acesso a substância contra o câncer fornecida pela USP. No caso em questão, a Presidência do TJ-SP havia determinado a suspensão de tutela antecipada anteriormente concedida pelo juízo da Vara de Fazenda Pública da Comarca de São Carlos que garantia o fornecimento à paciente da substância. No entendimento do ministro, proferido na Petição (PET) 5828, o caso apresentou urgência e plausibilidade jurídica, o que justifica a concessão da liminar.

Nove pessoas são detidas por homicídios e tráfico de drogas no Cariri da PB

 Junto com os suspeitos foram apreendidos dois revólveres, uma espingarda calibre 12


Operação apreendeu bebida feita com cachaça e maconhaOito pessoas foram presas e um adolescente foi apreendido, na manhã desta quinta-feira (12), suspeitas de terem envolvimento com homicídios e tráfico de drogas na região do Cariri.

A desarticulação do grupo aconteceu durante a Operação Hostibus, deflagrada pelas polícias civil e militar. As investigações duraram três meses e 150 policiais participam das atividades. São cumpridos 18 mandados de prisão e 25 de busca e apreensão na cidade de Monteiro (a 305 km de João Pessoa).

Junto com os suspeitos foram apreendidos dois revólveres, uma espingarda calibre 12, um carregador de pistola calibre 380, munições para armas de calibre 12, 32, 38 e 357. Além disso, a polícia encontrou com o grupo 300 gramas de maconha, pedras de crack, uma balança de precisão e uma garrafa com bebida feita de maconha e cachaça.

Combustíveis sofrem sétimo reajuste nos valores médios na PB; veja novos preços

 A autorização do reajuste foi dada pelo Conselho Nacional de Política


Imagem ilustrativaA partir do dia 16 deste mês, o preço médio cobrado ao consumidor pelo litro da gasolina, do etanol, e do óleo diesel, além do metro cúbico (m³) do Gás Natural Veicular (GNV) vai sofrer reajustes na Paraíba. Com isso, a gasolina salta de R$ 3,2297 para R$ 3,3411, um aumento de quase 12 centavos a cada litro.

A autorização do reajuste foi dada pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) e publicada no Diário Oficial da União (DOU) da terça-feira (10).

Com o reajuste, o preço médio do litro do etanol sobe de R$ 2,4017 para R$ 2,4936; o óleo diesel passa de R$ 2,7586 para R$ 2,8560; e o GNV sobe de R$ 2,1897 para R$ 2,3080.

Além da Paraíba, a medida de reajuste dos preços vale também para os estados de Alagoas, Amapá, Bahia, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo, além do Distrito Federal.

O Confaz é presidido pelo ministro da Fazenda e formado pelos secretários de Fazenda, Finanças ou Tributação de cada Estado e do Distrito Federal. O objetivo do órgão é adotar medidas para aperfeiçoar a política fiscal dos Estados e torná-la compatível com as leis da Federação.

Esta é a sétima vez que a Paraíba entra na tabela de alterações de valores médios do Confaz só neste ano.

Filho de prefeito chefiava esquema criminoso que desviou mais de R$ 1 mi, diz MPPB



Ministério Público da Paraíba (MPPB)Uma organização criminosa suspeita de desviar mais de R$ 1 milhão dos cofres públicos foi desarticulada, na manhã desta quinta-feira (12), em operação deflagrada pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB). O filho do atual prefeito de Gado Bravo (Agreste do estado, a 191 km de João Pessoa) comandava a quadrilha. Outros parentes do gestor também estariam envolvidos no esquema. 


Desde o início da manhã, são cumpridos sete mandados de busca e apreensão em propriedades da família do prefeito, além de três mandados de prisões temporárias e três mandados de conduções coercitivas. Cerca de 70 profissionais, entre promotores, policiais e bombeiros, dão cumprimento às ordens judiciais, que foram obtidas junto ao Juízo de Direito da Comarca de Aroeiras.

Segundo as investigações, o líder da quadrilha, que além de filho do prefeito é secretário de Finanças do município de Gado Bravo, teria assumido a pasta com o objetivo de desviar recursos públicos através de fraudulentos processos licitatórios, falsificação de documentos públicos e particulares, entre outras condutas ilícitas.

A fraude consistia na utilização indevida de dados de diversas pessoas físicas que figuravam em empenhos como credores de valores despendidos pelo município de Gado Bravo, mas relativos a serviços que jamais foram executados, bem como a confecção de empenhos e pagamentos em valores superiores aos serviços realizados, com nítido desvio de recursos públicos, beneficiando ilicitamente familiares do prefeito, em prejuízo de toda uma coletividade ávida, carente de serviços básicos de saúde e educação.

Ainda de acordo com MPPB, o esquema criminoso foi percebido após cruzamento de informações junto ao Sistema de Acompanhamento da Gestão dos Recursos da Sociedade (Sagres), mantido pelo Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB). Foram identificados desvios em várias secretarias, destacando-se a das Finanças. No período investigado, foi constatado desvio superior a R$ 357,8 mil e que um parente do prefeito teria recebido R$ 160 mil do montante retirado de forma irregular dos cofres públicos. 

Denominada ‘Salinas’, por ser esse o nome do sítio onde o esquema criminoso era administrado, a operação é comandada pelo MPPB, por meio da Promotoria de Justiça Cumulativa de Aroeiras e do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), e tem apoio do Batalhão de Operações Especiais da Policia Militar (Bope) e equipes do Resgate do Batalhão do Corpo de Bombeiros.