quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Com roupa de detento na capa da Veja, Lula abre processo contra a Abril

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é personagem de capa da edição 2450 da revista Veja veiculada nesta semana. Com a chamada "Os chaves de cadeira que cercam Lula", a publicação criou montagem que mostra o petista vestido com roupa de detento. A reportagem rendeu processo. As informações são do Instituto Lula, que divulgou a ação contra o impresso.
 O instituto relata que os advogados do ex-presidente protocolaram na terça-feira, 3, ação de reparação por danos morais. O argumento usado é que a edição da Veja chegou às bancas com "montagem mentirosa, ofensiva e grotesca do rosto de Lula sobre corpo vestido com uniforme de presidiário estampado com nomes de envolvidos em investigações do Ministério Público Federal e da Polícia Federal". O texto afirma que a capa pretendeu sugerir algo que não tem qualquer "lastro na realidade fática ou jurídica".
 "Independentemente das afirmações e críticas contidas no interior da própria revista — sempre com evidente manipulação e falta de critério jornalístico —, não poderia ela estampar em uma capa uma imagem falsa e ofensiva, como se verifica no vertente caso”, diz o texto da ação. O processo pede R$ 60 mil de indenização e ainda apresenta como agravante a questão da publicidade. "A exibição da imagem não se deu apenas nas bancas de revistas, mas também em pontos de publicidade espalhados pelo país, reafirmando a intenção da revista de denegrir [sic] a honra e a imagem de Lula", informa a defesa do político.
A reportagem principal da revista da Editora Abril afirma que Lula "sempre escapou dos adversários, mas quem o está afundando agora são parentes, amigos, petistas e doadores de campanha investigados por corrupção". Os outros destaques são: "Einstein - Há 100 anos o gênio desenhou a gravidade, a mais misteriosa das forças da natureza" e "Nutrição - Comer bacon, salsicha e presunto provoca câncer? A Organização Mundial da Saúde gerou pânico ao dizer que sim".

Bandidos explodem caixa eletrônico e trocam tiros com policiais no Agreste da Paraíba

Um grupo de bandidos explodiram um caixa eletrônico de uma agência bancária da cidade de Ingá, no Agreste paraibano, na madrugada desta quinta-feira (5). De acordo com a Polícia Militar, ainda houve confronto entre os policiais e os criminosos, mas ninguém ficou ferido.
Por volta das 2h30, o grupo que estava fortemente armado e chegou em vários carros na cidade. Eles arrombaram a porta da agência, instalaram os explosivos, detonaram o caixa, e fugiram levando o dinheiro.
Policiais militares ouviram a explosão e quando chegavam próximo à agência, foram surpreendidos com alguns tiros disparados pelos criminosos. Os disparos atingiram o carro em que os policiais estavam. A equipe da Polícia Militar revidou, mas o grupo conseguiu fugir por uma estrada de barro.
Até o início da manhã desta quinta-feira (5), nenhum suspeito tinha sido localizado pela polícia. Segundo o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários da Paraíba, esta é 121º contra bancos no estado em 2015.

Carro fica destruído ao bater em árvore e 2 jovens ficam feridos, no Sertão da PB

Dois jovens, de 18 e 24 anos, ficaram feridos na tarde desta quarta-feira (4), após o veículo no qual trafegavam bater em uma árvore e ficar bastante destruído nas proximidades da comunidade ‘Xique-xique’, Zona Rural do município de São Bento, no Sertão da Paraíba, a 375 km de João Pessoa.

Um dos ocupantes chegou a ficar preso às ferragens do carro. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência foi acionado para prestar os primeiros socorros às vitimas, que foram encaminhadas inicialmente para o Hospital Maria Paulino Lúcio, em São Bento. De acordo com profissionais da instituição de saúde, os jovens foram socorridos conscientes e orientados. Um deles relatou que o acidente ocorreu porque o condutor teria tentado desviar de uma carroça na estrada.

Após os primeiros atendimentos, os feridos foram direcionados para a cidade de Pombal, também no Sertão, para um exame de tomografia. Eles já retornaram a São Bento e estão sob os cuidados das famílias.

Estabelecimentos de praias do Litoral Sul são demolidos em operação federal

Vinte e três estabelecimentos comerciais instalados em áreas da União serão removidos na manhã desta quinta-feira (5) em operação no município de Lucena e no distrito de Costinha, na Grande João Pessoa, a 40 km da capital paraibana.

A operação é realizada pela Superintendência do Patrimônio da União na Paraíba (SPU), Ministério Público Federal (MPF), Polícia Federal, Exército, Ibama, Sudema, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Cagepa e prefeitura de Lucena.
A desocupação das áreas foi determinada pelo Tribunal Regional Federal (TRF). As primeiras ações são realizadas em Costinha e, ainda nesta quinta, as autoridades seguem para a praia de Lucena.

Presa dupla suspeita de balear advogado e professor universitário em tentativa de assalto

Dois homens foram presos na madrugada desta quinta-feira (5) suspeitos de terem baleado o advogado e professor universitário Jocélio Jairo Vieira em uma tentativa de assalto.
(4). O advogado saía do escritório onde trabalha, na Avenida General Osório, no Centro, quando teria sido abordado por uma dupla de assaltantes. Ele foi atingido por dois disparos de arma de fogo e socorrido para um hospital particular. O estado de saúde não foi divulgado. A prisão dos suspeitos foi feito pelo Grupo de Operações Policiais (GOE). Junto com a dupla foram apreendidas uma pistola calibre 380 e uma motocicleta. Conforme a polícia, a arma e o veículo teriam sido usadas na tentativa de assalto ao advogado.

Trio é preso suspeito de integrar rede de tráfico sob o comando de detentos de JP e CG

Três homens, de 27,31 e 32 anos, foram presos na cidade de Guarabira, no Brejo do estado a 98 KM de João Pessoa, durante uma operação da Polícia Civil denominada de ‘Buraqueira’, na manhã desta quinta-feira (5). Os presos são suspeitos de integrar uma rede de tráfico de drogas que seria comandada por detentos de presídios de João Pessoa e Campina Grande, conforme dados da Polícia Civil. Uma mulher foi detida. A Polícia Militar também participou da operação.

Segundo o delegado seccional da Polícia Civil em Guarabira, Walber Virgolino, a ação surgiu depois do aumento de roubo de celular e relógios na cidade. “Percebemos uma grande incidência desse tipo de crime. Analisamos e concluímos que esses roubos são para alimentar o tráfico de drogas. Fizemos um levantamento e conseguimos prender três suspeitos que coordenam parte do tráfico em Guarabira”, falou.
O delegado falou que a casa onde os homens foram encontrados serve de ponto de venda de entorpecente. “Encontramos no imóvel drogas ( maconha e crack), uma balança de precisão e dinheiro trocado, que configura o tráfico. Quando a gente fez a abordagem na residência, uma mulher tentou esconder o dinheiro nas partes íntimas e as células ficaram sujas de sangue porque a mulher estava no período mestrual. Ela vai responder por associação ao tráfico de drogas e os homens por tráfico. Eles têm passagem pela polícia”, revelou.
A ação policial ocorreu nos bairros Nordeste e Rosário considerados de alta periculosidade, conforme informou o delegado Walber Virgolino. Os presos foram levados para a Central de Polícia de Guarabira e deverão ser transferidos para um dos presídios da cidade.