terça-feira, 20 de outubro de 2015

Dr. Charles Pereira poderá ser o candidato a prefeito pelo PT

Dr. Charles Pereira poderá ser o candidato a prefeito de Conde pelo PT segundo informações.
Essa será a segunda opção do partido caso o padre Severino Melo não se filie ao Partido,  Dr. Charles será o candidato a concorrer a cadeira mais concorrida do litoral sul. O mesmo disputará com fortes candidatos. Em 2016 a concorrência  será grande pois além da gestora atual Tatiana, o ex-prefeito Aluísio Régis, Os empresários Edinho e Junior Rodrigues, Sandra Ribeiro entre outros, Charles entrará na disputa se caso o padre Severino não vier. O sistema J.A ficará a disposição da população caso queiram efetuar perguntas aos futuros candidatos. Matéria de Ana Gomes p/ o programa Noticias em Debates da Rádio J.A

Genival Matias se licencia do mandato por 121 dias sem vencimentos


O deputado Genival Matias confirmou, nesta terça-feira (20), que vai tirar licença de 121 dias do cargo, sem vencimento, na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), para tratar de assuntos particulares e ampliar as bases do Partido Trabalhista do Brasil (PTdoB) em todo o Estado.
 
A licença do deputado Genival Matias será protocolada ainda hoje, e quem assumirá a vaga é o suplente Emano Santos (PTN), filho do vereador de João Pessoa, João dos Santos, e que obteve 12.485 votos. A posse de Emano ocorrerá nesta quinta-feira (22), às 10h, no Plenário José Mariz, durante a sessão ordinária.
 
O presidente estadual do PTdoB, Genival Matias, se dedicará à organização da legenda na Paraíba e principalmente nos municípios onde o partido apresenta condições reais de vencer nas eleições do ano que vem.
 
“Será uma licença de quatro meses, sem recebimento de vencimentos, onde pretendo tratar de assuntos particulares e, em seguida, reforçar a criação de diretórios do nosso partido em várias cidades da Paraíba. Pretendo viajar todo o Estado para visitar nossas bases”, destacou Genival Matias.

Sem salário, servidores de Massaranduba vão às ruas protestar

Após mais de 30 dias em greve, servidores municipais da cidade de Massaranduba realizaram assembleia seguindo de um movimento de rua na manhã desta quarta-feira(21), a partir das 9h. Eles reivindicam pagamento dos salários que estão atrasados, há casos de trabalhadores que não recebem desde o mês de Agosto.
As atividades se iniciam com assembleia na sede do Sindicato Rural da cidade e segue em caminhada pelas principais ruas e se concentrará na Prefeitura Municipal de Massaranduba a partir das 10H. Encontram-se em greve, os servidores da saúde, educação e administração, desde o dia 15 de Setembro, pelo atraso nos salários e ainda tiveram descontos pelo tempo que estão com as atividades paralisadas, desconto este, considerado ilegal pelo departamento jurídico do SINTAB, pois não houve nenhuma decisão judicial proibindo a greve.
O sindicato constatou ainda que não há motivos para o não pagamento dos servidores, já que há um crédito na conta do município de R$ 481 mil, para pagamento dos servidores da educação, enquanto a folha tem o valor de R$ 360 mil. Devido a todos esses desmandos no município, os servidores permanecem em greve por tempo indeterminado até que o problema seja resolvidos.
No movimento realizado no último dia 14, um dos secretários do município ainda tentou agredir membros do sindicato que discursavam para os trabalhadores em frente a prefeitura na tentativa de inibir os manifestantes, porém o ato só gerou ainda mais revolta dos que estavam presentes.

Vereador de João Pessoa quer proibir circulação de carroças na Zona Urbana

O Projeto de Lei que proíbe o trânsito de veículos de tração animal (carroças) na Zona Urbana de João Pessoa, de autoria do vereador Bruno Farias (PPS), foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), nessa segunda-feira (19), e segue para apreciação em plenário. A medida se aplica a 80% de todo território pessoense. Lei Municipal estabelece que a Zona Rural da Capital é de 42,8 KM2.
Com a justificativa de melhorar o trânsito, diminuir o risco de acidentes e o perigo que representa um animal, o Projeto de Lei proíbe a condução de animais com carga e o trânsito em todas as ruas asfaltadas, calçadas, na orla, por fim, em toda área urbana e disciplina a circulação das carroças na Zona Rural de João Pessoa, o que representa pouco mais de 20% da área  territorial total do Município.
Na matéria, Bruno Farias determina ainda que o "emprego de veículos de tração animal o seu uso será condicionado a alvará municipal", além de obrigar que seja feito o registro do veículo e do animal no órgão municipal competente, assim como as horas de trabalho do animal, que seria das 9 às 12h e das 13 às 18h horas, finado proibido o trabalho noturno e aos domingos.
Legalidade
A Ordem dos Advogados do Brasil - Paraíba (OAB-PB) destacou que o Código de Trânsito Brasileiro não veda a circulação de veículos de tração animal, trazendo, inclusive, a forma de condução de tais veículos (art. 52). Mas que, por outro lado, O Código estabelece competências para os Municípios no que concerne ao registro, autorização, licenciamento, fiscalização e autuação desses veículos.
Para o presidente da Comissão de Acesso à Justiça da OAB-PB, Daniel Veiga Pessoa,  o Projeto de Lei apresentado pelo vereador Bruno Farias veda o tráfego de veículos de tração animal em vias calçadas e asfaltadas de João Pessoa, o que não gera violação legal. O representante da OAB-PB disse não se pode é coibir a utilização de veículos de tração animal em todo o Município, o que se mostraria desarrazoada e afrontaria competência da União, prevista no Art. 22, XI da Constituição. Daniel Veiga Pessoa destacou que "é preciso analisar e implementar políticas públicas que salvaguardem, por exemplo, os profissionais que se utilizam desse meio de transporte para locomoção ou provisão da subsistência".

Energia é cortada em prefeitura no sertão da PB por falta de pagamento

A sede da prefeitura, o terminal rodoviário e o mercado público de Sousa, no Sertão paraibano, tiveram a energia elétrica cortada no final da tarde da segunda-feira (19). De acordo com a administração municipal, o corte aconteceu por falta de pagamento de uma dívida de R$ 12 milhões.
O secretário municipal de Finanças, Jorge Luiz Gomes, confirma o atraso no pagamento da dívida, mas diz que as contas de energia elétrica dos três prédios estão em dia. O débito seria da iluminação pública, já que a Sousa é a única cidade paraibana que não cobra contribuição da população, segundo ele.
"Realmente há um parcelamento e atraso de pagamento na dívida da iluminação pública, mas não vi motivos para o corte porque a energia da sede e de todos os prédios próprios estão quitados", afirmou.
Já a Energisa informou em nota que o corte "foi motivado pelo não pagamento das contas de consumo referentes ao mês de agosto/2015" dos três prédios. "Quanto aos débitos relativos à iluminação pública, estão em aberto as faturas de agosto e setembro de 2015", detalha. A empresa também diz que "sempre esteve à disposição para a negociação e que, por diversas vezes, procurou representantes da administração municipal na tentativa de evitar a suspensão do fornecimento".
Por volta das 11h, a Energisa informou que a Prefeitura de Sousa tinha negociado o pagamento das faturas em aberto e a energia de ser restabelecido no prazo de 24 horas.

Ser ou não ser? Eis o drama vivido por Romero Rodrigues, que poderá ser abduzido pelo Gupo Cunha Lima

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, põe em risco a sobrevivência política do Grupo Cunha Lima por ser um ponto de interrogação e ninguém querer apostar em sua reeleição.
A fragilidade de sua candidatura preocupa Cássio e aliados. E muito. Se Romero perder para Veneziano, onde Cássio vai abrigar seu exército?
Só que, entre isso e tramarem para que seja levado à convenção do PSDB como peru de festa, vai uma longa distância.
Não se iludam. Quando circularam a notícia de que Ronaldinho poderia perder espaço na chapa, na verdade estavam preparando o terreno para mexer na chapa inteira.
Tirar Ronaldinho com o argumento de que a chapa não pode ser puro sangue é jogo de cena para o ato seguinte: rifar Romero.
Se crescer nas pesquisas se viabiliza, se continuar em queda, bye. Só não definiram ainda a engenharia para abduzi-lo sem traumas.

PMDB adia reunião que pode discutir saída do governo

O vice-presidente nacional do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), afirmou nesta terça-feira (20) ao G1 que o partido decidiu adiar para março de 2016 o congresso nacional extraordinário que faria em novembro deste ano para, entre outros assuntos, discutir o eventual rompimento com o governo Dilma Rousseff. A direção peemedebista aproveitará a convenção nacional da legenda, agendada para março, para tratar do fim da aliança com o PT.
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), tem defendido o fim da aliança com o PT desde que rompeu oficialmente com o Palácio do Planalto, em julho deste ano. Desde então, ele passou a defender abertamente que o PMDB desembarque da gestão petista, entregando os ministérios que comanda atualmente.
Segundo o G1 apurou, caciques do PMDB – incluindo o vice-presidente Michel Temer – avaliaram que, se mantivessem o congresso extraordinário para o dia 15 de novembro, o partido poderia estimular as manifestações de rua contra o governo marcadas para a mesma data.
Inicialmente, o encontro para tratar da eventual saída do governo estava marcado para agosto, porém, foi transferido para novembro. Na época em que a direção confirmou o primeiro adiamento da reunião, Cunha já havia criticado a cúpula peemedebista, afirmando que o PMDB “empurra com a barriga” a decisão sobre romper com PT.
Segundo Raupp, em vez do congresso extraordinário, o partido vai realizar em novembro apenas um seminário promovido pela Fundação Ulysses Guimarães, ligada ao PMDB. O vice-presidente da legenda justificou o adiamento do encontro a dificuldades logísticas para organizar o evento que deve reunir até 5 mil peemebedebistas.
“Não vai ter mais o encontro deste ano, apenas um seminário da Fundação Ulysses Guimarães. A informação que tive é que não está fácil organizar o encontro [extraordinário do PMDB], até porque tem de juntar de 4 mil a 5 mil pessoas. Eu já fui presidente do PMDB e, realmente, não é fácil organizar encontro assim, tem de ter dedicação”, alegou Raupp.
“Até preocupado com a questão do quórum, o partido preferiu transformar o encontro de novembro em um seminário da fundação e deixar para março do ano que vem o encontro nacional, no qual nós comemoraremos os 50 anos de fundação do PMDB”, acrescentou o vice-presidente do partido.
Desde o início do ano, a bancada do PMDB na Câmara – que integra oficialmente a base aliada a Dilma – tem votado de forma independente das orientações do Palácio do Planalto, comandando algumas das principais derrotas da presidente da República no Congresso Nacional.
Para tentar evitar que o distanciamento do PMDB com o governo aumentasse, Dilma entregou na última reforma ministerial o comando do Ministério da Saúde – dono de um dos maiores orçamentos da Esplanada dos Ministérios – à bancada peemedebista da Câmara. Além disso, a petista aumentou o espaço do partido no primeiro escalão de seis para sete pastas.
Apesar das pressões de Eduardo Cunha para que o PMDB desembarque no governo Dilma, o vice-presidente da legenda minimizou o movimento interno que defende o rompimento oficial. Para Raupp – que integra a bancada do partido no Senado – as divergências internas não são novidade na sigla governista.
“O PMDB sempre faz isso nos encontros, deixa todo mundo discursar e, naturalmente, alguns explicitam as divergências com o governo. Aliás, sempre teve divergências entre os que apoiam e os que não apoiam o governo, mas isso não é novidade – na convenção do ano passado isso pode ser vito, esta divisão. Portanto, vamos deixar para março do ano que vem o encontro do partido e nele vamos debater os rumos do PMDB”, concluiu.
Decisão ‘acertada’
Ao G1, o líder do PMDB na Câmara, deputado Leonardo Picciani (RJ), considerou que a decisão do partido de adiar para março do ano que vem o encontro que trataria da eventual saída do governo foi “acertada”. Na visão dele, o ambiente correto para tomar decisões é a convenção nacional.
“Acho que foi uma decisão acertada porque a convenção é que tem poderes de tomar decisões e é onde pode-se fazer um debate com mais efetividade. No congresso [de novembro], os participantes não teriam esta possibilidade, seriam somente discussões, sem decisões”, argumentou.
Para o líder do PMDB, o adiamento não pode ser considerado como uma forma de o governo “ganhar tempo” para se aproximar da legenda. Na avaliação dele, desde que a reforma ministerial foi implementada, já há esse tipo de aproximação entre o Planalto e o PMDB.
“Eu acho que o PMDB já vem se aproximando do governo, até porque faz parte do governo na medida em que comanda a Vice-Presidência, tem vários ministérios e compõe a base aliada no Congresso Nacional. É dessa forma que eu vejo hoje a relação do PMDB com o governo”, acrescentou.
G1

Sem CPMF, relator do Orçamento defende corte ‘sem dó’ do Bolsa Família

Criado em 2004 pelo governo Lula a partir da junção de uma série de programas sociais, o Bolsa Família entrou na mira do deputado Ricardo Barros (PP-PR), relator-geral do Orçamento de 2016. O deputado disse ao jornal O Estado de S. Paulo, Barros que não terá “dó” de cortar recursos do programa para compensar a frustração da arrecadação da nova CMPF – que, ao que tudo indica, tem poucas chances de ser aprovada pelo Congresso. Fraudes no programa permitiriam o corte, segundo o parlamentar.
Com a ameaça de corte em uma das vitrines da gestão do PT, Barros pressiona a equipe econômica para tomar uma decisão rápida em relação a medidas de aumento de impostos. Ele já avisou que não pretende incluir a nova CPMF e tem defendido enfaticamente o aumento da Cide do combustível, que não precisa de aprovação no Congresso.
Com o Bolsa Família sob pressão de cortes, a ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, defendeu os 28,8 bilhões de reais previstos no Orçamento de 2016 para o programa de transferência de renda, que completa 12 anos nesta terça-feira. Qualquer corte no programa, segundo ela, terá impacto no aumento da extrema pobreza. Segundo ela, nos últimos anos, o Bolsa Família contribuiu para retirar 36 milhões de brasileiros da extrema pobreza, sendo 8 milhões de crianças.
A ministra afirma que o “debate político” está contaminado as políticas públicas. “Não está sobrando dinheiro. Os valores presentes no Orçamento do ano que vem são muito exatos. Fizemos a conta na ponta do lápis. Não fizemos uma conta aproximada”, afirmou a ministra. Segundo ela, fiscalizações de órgãos de controle apontam que as fraudes no programa não ultrapassam 1% das 14 milhões de famílias que ganham o benefício.
De acordo com a ministra, há um cruzamento de dados que comprovam a condição vulnerável das pessoas que recebem o Bolsa Família. São checadas informações sobre trabalho, renda e até a possibilidade de o beneficiário ter morrido, afirma. “Pouco se discute o Bolsa Família, principalmente no Sul e no Sudeste, a não ser com base em preconceitos”, diz. A ministra desafiou as pessoas que afirmam conhecer “vizinho” ou “alguém” que receba o benefício sem necessidade a denunciá-lo.

Diretora da cadeia pública de Ingá é assassinada com 4 tiros na BR 230

A diretora da cadeia pública de Ingá foi assassinada na manhã desta terça-feira (20). O crime aconteceu na BR-230, próximo à entrada do município de Juarez Távora, segundo informou ao Portal o tenente Jerônimo, da Polícia Militar de Ingá.
Ainda de acordo com a PM, policiais militares da cidade e um reforço enviado de Juarez Távora foram até o local. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) também foi acionada.
As primeiras informações são de que suspeitos “trancaram” o carro da diretora e dispararam várias vezes contra ela. A mulher estava sozinha no veículo e morreu no local, baleada na cabeça. É possível, claramente, ver os sinais de disparo de arma de fogo no vidro do automóvel, que era conduzido pela diretora.
A suspeita é que tenha sido um crime de pistolagem ou dos inimigos dela do presídio ou em relação a questões ligadas a terra.




Em dois minutos, dupla assalta agência dos Correios de Sapé

A ação criminosa durou cerca de dois minutos. Tempo suficiente para que dois homens realizassem um assalto na agência dos Correios da cidade de Sapé na tarde desta terça-feira (20). Os acusados chegaram ao estabelecimento em uma moto. Armados, eles anunciaram o assalto e renderam os clientes e funcionários.
De acordo com a polícia, a dupla fugiu levando a arma e o colete do vigilante, além do dinheiro do caixa e objetos de alguns clientes.
As câmeras do circuito interno de segurança flagraram a ação. As imagens serão cedidas à Polícia Federal para que proceda as investigações.

Manifestantes bloquearam rodovias por mais de nove horas, diz PRF

As manifestações realizadas por membros do Movimento dos Sem Terra (MST) na Paraíba duraram quase 10 horas. O levantamento foi feito pela Polícia Rodoviária Federal que monitorou os trechos ocupados nesta terça-feira (20).
O tempo maior de interdição foi registrado no KM-65 da BR-230, em São Miguel de Taipu. Lá cerca de 50 manifestantes ficaram das 7h15 até às 16h40.
Já no KM-454 da BR-230, em Sousa, a manifestação ocorreu das 07h05 às 15h50, perfazendo um total de 8h45.
Os outros trechos bloqueados foram: KM-123 da BR-101 (Caaporã), KM-341 da BR-230 (Patos) e o KM-55 da BR-361 (Catingueira).
Os protestos realizados pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) integram a "Primeira Jornada Nacional da Habitação Rural".

Emplacamentos de “cinquentinhas” devem ser feitos até final de 2015


Os proprietários de ciclomotores do tipo “cinquentinha” já podem fazer o emplacamento dos seus veículos com tarifas reduzidas. A portaria de nº 251/15 do Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba (Detran-PB) estabelece aos proprietários de motocicletas adquiridas antes de 31 de julho de 2015 o prazo de até 31 de dezembro de 2015 para realizarem o registro e licenciamento. O procedimento é realizado na sede do Detran, no bairro de Mangabeira, em João Pessoa e nos postos de atendimento dos Shoppings do Automóvel e Carro Legal, na BR 230 e nas Circunscrições Regionais de Trânsito da Paraíba (Ciretrans).
 
Para isso, os proprietários devem seguir um calendário de registro por meio da numeração terminal do chassi do ciclomotor. As “cinquentinhas” com final 1, 2 e 3 deverão ser emplacadas durante este mês de outubro; já com final 4, 5 e 6 o emplacamento deve ser realizado em novembro. E no mês de dezembro, deverão ser emplacadas as motocicletas com numeração final 7, 8, 9 e 0.
 
Antes de procurar o Detran, o proprietário do veículo deve observar na nota fiscal se o ciclomotor tem cadastro na Base de Índice Nacional (BIN). Caso não tenha, ele deverá procurar a revenda correspondente e solicitar o cadastro, e se a revenda não mais estiver ativa, deverá procurar outra revenda da mesma bandeira ou fabricante.
 
Para emplacar o veículo é necessário apresentar original e cópia da nota fiscal do ciclomotor ou de documento que comprove a transferência, ou seja, cópia e original do recibo de compra e venda devidamente assinado e com firma reconhecida do RG, CPF e comprovante de residência. Se pessoa jurídica, cópia autenticada do Contrato Social e CNPJ.
 
O Detran alerta que, durante o prazo concedido e sendo respeitado o calendário estabelecido, os condutores poderão circular nas vias portando apenas a Nota Fiscal do veículo, mas, após o término do prazo para a regularização, os proprietários deste tipo de veículo que não estiverem adequados serão multados, de acordo com Código Transito Brasileiro (CTB).
 
Taxas - Lei assinada pelo governador Ricardo Coutinho (PSB), reduziu em 74,5% as tarifas para o primeiro emplacamento dos ciclomotores, redução de 49,27% para a renovação anual desses veículos e a isenção da cobrança de Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).
 
De acordo com tabela de valores estabelecida pelo Detran-PB referente ao UFR-PB do mês de outubro, o primeiro emplacamento para o ciclomotor custará R$ 42,08, a Taxa de Prevenção contra Incêndio e Salvamento será R$ 10,52 e o Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT) proporcional a 3/12 avos, R$ 73,00. E o custo para a aquisição da placa será de R$ 50,00. Então, o valor total do emplacamento e licenciamento custará R$ 175,60. O ciclomotor será submetido à vistoria veicular eletrônica, que tem o pagamento isento de taxas.
 
O primeiro proprietário de ciclomotor a realizar o emplacamento, Rosildo Dantas, ficou muito satisfeito com a medida. “Essa decisão é muito válida, principalmente para nossa segurança, pois inibe que pessoas utilizem esses veículos para praticarem algum ilícito”, ressaltou.
 
O superintendente do Detran-PB, Aristeu Chaves, disse que a regulamentação dos ciclomotores cria uma segurança para o usuário e distingue aquele que é correto no trânsito daquele que é indisciplinado. “Essa regulamentação é um ganho para a população como um todo. Afinal, para ser cidadão é necessário se ter conhecimento, direitos e deveres e nesse caso a regulamentação das cinquentinhas será feita dentro de um preço justo e diferenciado”, afirmou.
 
Aristeu ressaltou ainda que, o Governo do Estado está oferecendo as melhores condições para que essa regulamentação seja feita de maneira adequada. “O Estado está dando os incentivos, isenções e os descontos para que o custo da regulamentação do emplacamento das cinquentinhas caiba no bolso do trabalhador”, comentou.

Índia é presa suspeita de matar enteado com golpes de canivete e enxada no Litoral Norte

Uma índia de uma aldeia de Marcação (Litoral Norte do estado, a 66 km de João Pessoa) foi presa, nessa segunda-feira (19), suspeita de matar o enteado com golpes de canivete e enxada. De acordo com o capitão Alberto Filho, o crime aconteceu na noite do domingo (18) e a suspeita, de 54 anos, contou com ajuda do filho e da nora, de 20 anos.

Ainda conforme o policial militar, a família trabalha com a captura e venda de crustáceos e o crime teria acontecido após uma discussão envolvendo a quantidade de carne de siri que ficaria para cada pessoa. “Eles começaram a brigar e então a índia, junto com o filho e a esposa dele, agrediram o enteado com golpes de canivete e enxada. O rapaz chegou a ser socorrido para um hospital, mas acabou não resistindo aos ferimentos”, explicou o capitão Alberto Filho.
Apesar de o crime ter ocorrido no domingo, a polícia só foi informada do ocorrido nessa segunda-feira. “A índia disse ao pessoa da aldeia que a briga tinha sido só entre o filho e o enteado e que não queria chamar a polícia. Mas depois de saber da morte da vítima, os outros índios da aldeia me telefonaram e contaram o que houve”, completou o policial.
Quatro viaturas da Polícia Militar foram enviadas até a aldeia para apurar a ocorrência. Na frente das duas suspeitas, vizinhos afirmaram que elas também tinham participado do crime e as mulheres acabaram confessando, segundo o capitão Alberto Filho.
As duas mulheres foram presas e levadas para a delegacia de Rio Tinto. Já o terceiro suspeito, que também é índio, permanecia foragido até a manhã desta terça-feira (20).

Diretora da cadeia pública de Ingá é encontrada morta dentro de carro na BR-230

A diretora da cadeia pública de Ingá (Agreste do estado, a 55 km de João Pessoa) foi encontrada morta, na manhã desta terça-feira (20). Ela dirigia um carro na BR-230, em Ingá, quando foi atingida por pelo menos quatro tiros.

De acordo com o soldado P. Santos, da Polícia Militar de Ingá, o crime aconteceu por volta das 7h. A vítima foi encontrada por pessoas que passavam pela rodovia. A polícia e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionados, mas a diretora da cadeia não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local.
Até as 8h, a polícia ainda não tinha suspeitos do crime. O caso já foi entregue à Polícia Civil, que vai investigar a autoria e motivações do homicídio.

Religiosos dizem que é "desrespeito" chamar suspeito de matar criança de pai de santo

Na terça-feira (13) um crime bárbaro ocorrido no interior do estado chocou os paraibanos e ganhou destaque nacional. Um menino de cinco anos foi assassinado, teve o corpo aberto e órgãos cortados em pedaços em um ritual de magia negra, no município de Sumé (Cariri paraibano, a 264 km de João Pessoa). Segundo a polícia, a mãe e o padrasto da criança participaram do ritual, que teria sido conduzido por um suposto pai de santo. Uma semana após o crime, o ouviu representantes do candomblé e eles foram taxativos: o suspeito não pode ser considerado membro de nenhuma religião de matriz africana.
Leia mais Notícias no Portal Correio
“Nenhuma religião de matriz africana faz esse tipo de ritual. Nós cultuamos o respeito à natureza. Somos conhecidos como pais e mães de santo, mas na verdade somos zeladores. Então, como poderíamos fazer mal àqueles que nos procuram? Àqueles que devemos zelar? É inaceitável e desrespeitoso que esse homem
seja considerado da nossa religião. Ele não é. Ele não nos representa de forma alguma”, defende a iyalorixá Tuca.
A opinião também é compartilhada pelo babalorixá Gilberto. Ele é sacerdote há mais de 30 anos e um dos organizadores da festa de Yemanjá, o evento candomblé de maior tradição em João Pessoa.
“Posso garantir que não existe sacrifício humano dentro do candomblé. Desconheço essa prática e esse homem não pode ser chamado de pai de santo. O candomblé não realiza rituais visando o mal das pessoas”, garante o líder religioso.
O babalorixá Léo também não concorda que o suspeito e o fato tenham relação com religiões africanas. “O comportamento do suspeito mostra que ele não tem nenhum conhecimento sobre orixás e cultura africana, não tem cultura religiosa. Uma pessoa que faz isso contra uma criança não tem alma, cultura e espiritualidade. Não tenho nem palavras para classificar uma pessoa dessa”.
Umbanda
Segundo o babalorixá Léo e a iyalorixá Tuca, o ritual macabro que vitimou a criança em Sumé também não pode ser confundido com práticas da umbanda. De acordo com os líderes religiosos, a umbanda é uma religião "ainda mais pura que o candomblé" e jamais permitiria qualquer tipo de agressão contra seres humanos.
Preconceito
Os três representantes do candomblé ouvidos pelo Portal Correio consideram que a forma como o caso foi tratado contribui para o preconceito contra adeptos de religiões de matriz africana.
Eles destacam que a maioria das pessoas têm pouco conhecimento sobre o candomblé e a umbanda e acabam acreditando em mitos que envolvem essas religiões.

Juiz cassa direitos políticos de ex-prefeito de Cajazeiras


Ex-prefeito Carlos Antônio Araújo de OliveiraO juiz Marcelo Sampaio Pimentel Rocha, da 8ª Vara Federal julgou procedente ação de improbidade administrativa contra o ex-prefeito de Cajazeiras Carlos Antônio, por desvio de recursos públicos.
O ex-gestor foi condenado a ter os direitos políticos suspensos por cinco anos e está proibido de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, pelo mesmo período.

A ação foi proposta pelo Ministério Público Federal, que acusou o ex-prefeito de ter desviado dinheiro de um convênio firmado com a Embratur e o município de Cajazeiras em 2001, para a execução de obras de urbanização do Açude Grande, no município.
Segundo laudo da Polícia Federal, houve superfaturamento nos preços pactuados e pagamentos por quantidade de serviços maiores que os executados. De acordo com o documento o desvio foi de R$ 45.268,41.

A defesa de Carlos Antônio negou as das acusações e afirmou que existiu ato de improbidade, dano ao erário e de conduta ilícita.
Apesar da defesa, a Justiça Federal decidiu condenar o ex-prefeito. “O ex-gestor afrontou a Constituição quando efetuou contratação sem a necessária licitação, em conluio com a empreiteira executora e seu sócio-gerente”, diz trecho da decisão.
Com Portal Correio