segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Escola em Caxitú é reinaugurada com apoio de empresas

http://www.pbconde.com.br/?p=noticia_int&id=421

A Escola EJA Antonio Raimundo de Caxitú no Conde é reinaugurada com apoio de empresas privadas


A Escola Municipal de Ensino Fundamental EJA Antonio Raimundo de Caxitú no Conde, com apoio de duas empresas CIMPOR e Camargo Correia foi toda reformada e ampliada, para melhoramento do ensino naquela região.
Várias autoridades marcaram presença entre eles o Ex-deputado Genival Matias e um dos diretores da empresa CIMPOR Sr. Marcelo, a  prefeita Tatiana Correia, o Padre Eliezer, Secretária de Educação professora Aline Ramalho, Presidente da câmara Denis Pontes de Oliveira, secretário da Guarda municipal Vandergi, Coordenadora da Mulher Laelma, chefe da Casa civil Eudes Felix, assessor de comunicação Vailson de Oliveira, muitas crianças e população local marcaram presença a solenidade de reinauguração.
Para a criançada além de lanches, brinquedos como pula-pula, gangorra, balanço, piscina de bola uma verdadeira festa.
“Muito Feliz com esse acontecimento”. Disse o diretor executivo da CIMPOR .
O reporte Wagner Assunção perguntou ao diretor da fabrica por que eles estavam fazendo tamanho investimento? “Queremos ver as pessoas felizes, e graças a Deus deu tudo certo, vários funcionários nosso vieram aqui trabalhar voluntariamente ajudaram a pintar e revitalizar a escola”. Disse o diretor
Sani do meio ambiente da CIMPOR disse que o programa ideal voluntário do Instituto Camargo Correia, escolheu uma escola para restaurar toda parte externa e interna e a prefeitura foi quem restaurou a interna, Sani também falou da horta que a escola ganhou que também faz parte desse projeto onde as crianças vão poder cuidar da plantação.

A prefeita falou a nossa equipe que: “ A alegria é muito grande, onde é na escola que tudo começa na nossa vida, é na alfabetização que agente aprende a descobrir a vida, eu só quero que essas crianças se sintam bem e acomodados e que tenham a sua hora de lazer e o dia mais completo. O reporte perguntou a ela A senhora falou no seu pronunciamento que outras empresas do município tomassem esse mesmo exemplo?

Em resposta disse: “A Camargo Correia deu todo apoio na área externa da escola como a de recreação, com o mini campo de futebol de areia, parquinho, isso para nos é muito satisfatório. Ela falou também que nesses dias estará inaugurando uma praça em Gurugi, a escola também de Gurugi que está sendo ampliada, reinauguração do campo de futebol Sebastião Ribeiro no Centro de Conde”. Disse a prefeita.

O presidente da câmara municipal disse que o seu sentimento é de muita alegria esta presenciando a reinauguração dessa escola haja vista que eu estava em reunião no Assentamento Ademário Régis, tirei 15 minutos de lá até aqui para não perde a eventualidade, depois de tanto tempo abandonado por outras gestões, onde eu apresentei 03 requerimentos para a reforma dessa escola, como também a conclusão do muro com portão, mais graças a deus a prefeita me atendeu. Essa gestão é voltada ao povo e ao crescimento da cidade.


 

Atingidos pela chuva no Rio Grande do Sul sobe para 6,9 mil

Cheia em rio no Bairro Marmit, em Estrela, reduziu alguns centímetros (Foto: Bruna Ostermann/RBS TV) Um boletim atualizado na manhã desta segunda-feira (26) pela Defesa Civil aponta que 6.932 pessoas tenham sido atingidas pela chuva no Rio Grande do Sul. Foram registrados 2.132 desabrigados e 4.798 desalojados. As cidades mais atingidas são Porto Alegre, Parobé, Esteio, São Sebastião do Caí, Bento Gonçalves, Cotiporã, Venâncio Aires, Lajeado, Estrela, Colinas, Cruzeiro do Sul, Arroio do Meio, Taquari, Bom Retiro do Sul, Vale Real e Encantado.
Conforme a Defesa Civil, os rios das Antas, Paranhana, Caí, Taquari e o Arroio Sapucaia, na Região Metropolitana de Porto Alegre, transbordaram e a água invadiu áreas urbanas, atingindo residências e deslocando famílias para abrigos improvisados. Uma pessoa desapareceu em São Francisco de Paula e ainda está sendo procurada pelo Corpo de Bombeiros. Uma outra ficou ferida.
Cheia em rio de Estrela reduziu alguns
centímetros (Foto: Bruna Ostermann/RBS TV)
Informações do Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM) apontam problemas em diversas rodovias estaduais. Na ERS-242, em Santo Antônio da Patrulha, um arroio local transbordou e obstrui o trecho no km 3 da rodovia. Em São Sebastião do Caí, a ERS-124 está bloqueada no km 7. Já a ERS-444 está em meia pista devido a queda de barreira no km 38.
No acesso a Bento Gonçalves, na Serra, a interrupção atinge os kms 10 e 12 da ERS-431. Na ERS-020, em Morungava, o asfalto cedeu nas proximidades do km 20. Também há acúmulo de água na ERS-122, nos km 38 e 40, e buracos na pista na ERS-040, no sentido litoral-capital, nas proximidades do km 10.
Defesa Civil alerta para risco de desabamento
O coordenador estadual do órgão, coronel Oscar Moiano, orienta que as famílias deixem suas residências se houver risco de deslizamento de terras.
"Buscamos prevenir, fazer a retirada das pessoas e pedir que colaborem, estejam atentas nessas regiões para saírem de suas residências se houver risco”, alerta.
Chuva supera média mensal
Até por volta das 3h, a chuva havia superado a média mensal em cinco cidades segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O volume foi 155 mm em Porto Alegre, 10% da média mensal; 220 mm em Canela, na Serra, quase 1,5 vezes mais que a média; 160mm em Bento Gonçalves, também na Serra, cerca de 30% acima da média; 175 mm em Tramandaí, no Litoral Norte, 35% acima da média, e 160 mm em Passo Fundo, no Norte, praticamente a média mensal.
Há registros de alagamentos em Porto Alegre, Parobé, Esteio, São Sebastião do Caí, Bento Gonçalves, Cotiporã, Venâncio Aires, Lajeado, Estrela, Colinas, Cruzeiro do Sul, Arroio do Meio, Taquari, Bom Retiro do Sul e Encantado. Os rios das Antas, Paranhana, Caí, Taquarí e o Arroio Sapucaia transbordaram e as águas invadiram as áreas urbanas. Muitos moradores foram removidos para abrigos ou casas de familiares.

Médicos estrangeiros recebem aula de português

Aulas são ministradas no campus da UFPE de Vitória de Santo Antão.
Mais de cem profissionais desembarcaram no fim de semana.


Médicos estrangeiros têm aula sobre o SUS (Foto: Lorena Aquino/G1)Médicos estrangeiros têm aula sobre o SUS (Foto: Lorena Aquino/G1)
Os 115 médicos estrangeiros que desembarcaram no Recife no último fim de semana para atuar como parte do programa Mais Médicos, do Governo Federal, vão participar de um curso de três semanas a partir desta segunda-feira (26) no campus da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em Vitória de Santo Antão, Região Metropolitana do Recife. Durante esta capacitação, os estrangeiros e brasileiros formados no exterior vão conhecer melhor a língua portuguesa e o funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS).
Em bom português, o médico italiano Filipo Santini contou que, para ele, o programa é uma oportunidade interessante para continuar os estudos na área. "Fiz parte do meu trabalho de conclusão de curso aqui no Recife, sobre a acessibilidade ao SUS através dos programas de saúde da família. [O Mais Médicos] é uma continuação ideal para mim, como profissional, que sempre achei interessante o trabalho aqui no Brasil", disse.
Vinte e três professores da UFPE e da Universidade de Pernambuco (UPE) estão envolvidos de alguma maneira na formação dos 115 médicos em treinamento no Grande Recife, além de três profissionais de língua portuguesa vindos da Bahia. Ao todo, são 96 médicos cubanos e 19 de outras nacionalidades, que devem atuar nas zonas rurais e periferias das grandes cidades. De acordo com o coordenador pedagógico do programa, Paulo Santana, a aula inaugural é uma das formas de acolher os profissonais. "Eles vão conhecer o SUS, a realidade do povo, o perfil epidemiológico do país e os principais problemas", afirmou ele, antes do início da aula, quando os profissionais receberam calorosamente uma declamação de literatura de cordel, gênero tipicamente nordestino. "Hoje conversei com alguns e eles não tiveram maiores problemas de comunicação", destacou o coordenador.
É uma deficiência nossa, realmente, eu sou médico e pesquisador e não sei o que significam várias expressões como ‘quebranto’, ‘espinhela caída’…”
Rodrigo Cariri, tutor do Mais Médicos na UFPE
O cubano Primintivo Miranda, de 47 anos, está no Brasil pela primeira vez vindo Cuba e disse que veio mesmo por vontade de ajudar. "Eu vim mais pela necessidade que o povo brasileiro tem de atenção médica. Espero que corra tudo bem", afirmou. A conterrânea Lice Domingues concorda com o colega e diz que realmente é um hábito do país. “Estamos acostumados a colaborar com o resto do mundo, sobretudo nações que não tem estes serviços. Além do mais, um dos princípios da revolução cubana é ser internacionalista; ir onde tem necessidade”, disse a médica geral integral, de 38 anos. Sobre o salário de R$ 10 mil, ela não quis saber. “A minha família em Cuba está sendo cuidada pelo governo cubano, não tenho preocupação. Estou aqui voluntariamente”.
Italiano Filipo Santini estudou, no Recife, acessibilidade ao SUS (Foto: Lorena Aquino/G1)Italiano Filipo Santini estudou, no Recife, acessibilidade
ao SUS (Foto: Lorena Aquino/G1)
Durante a manhã, os médicos  assistiram a um filme e discutiram o sistema de saúde brasileiro. À  tarde, por volta das 16h, terá início a primeira aula de português com profissionais especializados. Por enquanto, os médicos estão hospedados em alojamentos militares no Exército, Aeronáutica e Marinha. A moradia definitiva durante todo o tempo do programa é de responsabilidade das prefeituras das cidades onde eles atuarão.
Termos populares
Após a introdução, realizada no auditório do campus Vitória, o grupo será dividido em três turmas de cerca de 40 profissionais cada pelos próximos 20 dias. Em cada sala estará sempre um profissional de medicina ou de saúde pública e um professor de língua portuguesa, para acompanhar nas dificuldades de fala e fazer inserções específicas para explicar particularidades do idioma. Segundo o médico tutor do programa Mais Médicos na UFPE, Rodrigo Cariri,  apesar de a língua portuguesa não ser prioridade, os professores estão preparando um dicionário de termos populares para deixar os estrangeiros alerta. “É uma deficiência nossa, realmente, eu sou médico e pesquisador e não sei o que significam várias expressões como ‘quebranto’, ‘espinhela caída’…”, confessou Cariri, que atua no Recife , citando expressões comuns no interior. Na avaliação do tutor, os profissionais que desembarcaram na capital pernambucana ainda não apresentaram sérias dificuldades de comunicação.
"Estamos acostumados a colaborar", diz Lice Domingues (Foto: Lorena Aquino/G1)"Minha família está sendo cuidada pelo governo cubano", diz
Lice Domingues (Foto: Lorena Aquino/G1)
Na primeira semana de curso, será discutida a realidade brasileira do ponto de vista sociológico e demográfico. “Eles vão aprender como cada um destes aspectos, além da desigualdade social, interferem na saúde pública”, continuou Cariri. Na segunda semana, atores e estudantes vão ajudar no treinamento médico participando de situaçãoes simuladas para ensaiar consultas e discutir protocolo. Os médicos em treinamento também devem realizar visitas a unidades de saúde.
Para a terceira semana, estão programados conhecimentos ético-legais. “Por exemplo, em Cuba, o aborto é legalizado. No Brasil, não”, exemplificou Cariri. “Enquanto aqui no país temos seis consultas pré-natais, lá eles tem pelo menos dezesseis consultas e diversas maneiras de identificar a má-formação fetal. Se uma mulher tiver um pico de hipertensão durante a gravidez, ela é internada. Para eles, é muito trágico perder uma mulher ou uma criança de menos de um ano por problemas na gestação”, disse o médico. Enquanto no Recife morrem 16 crianças para cada mil nascidos vivos, em Cuba morrem 4, de acordo com Cariri.

Show com a banda "Os Gonzagas" e Feira de Escambo e Mangai são os destaques das comemorações do aniversário de 54 anos do município de Conde

  Feira de Escambo e Mangai e show com a banda “Os Gonzagas” são destaques nas comemorações dos 54 anos de Conde               ...