sábado, 20 de abril de 2013

Sobe para 160 o número de mortos e milhares de feridos na China

Tremor de magnitude 6,6 ocorreu na província de Sichuan.
Mais de 2 mil militares foram enviados para reforçar os socorristas.


Um terremoto de magnitude 6,6 que atingiu na manhã deste sábado o sudoeste da China deixou pelo menos 160 mortos e mais de 6,7 mil feridos, segundo as autoridades locais, que enviaram à região milhares de soldados para ajudar nas operações de resgate.
O tremor ocorreu ao pé do planalto tibetano, na província de Sichuan, uma região com forte atividade sísmica que já foi devastada em 2008 por um potente terremoto.
As primeiras fotos da catástrofe mostravam edifícios destruídos e muitos escombros nas ruas.
Imagens aéreas apresentavam zonas rurais onde as casas pareciam ter desmoronado, e outras, mais povoadas, onde os danos eram menores.
As construções das zonas rurais chinesas costumam ter materiais de qualidade duvidosa e as normas antissísmicas quase não são respeitadas.
Mais de 2 mil militares foram enviados para reforçar os socorristas que trabalhavam no local, indicou a agência oficial Xinhua.
O novo presidente chinês, Xi Jinping, pediu que as vítimas sejam ajudadas, enquanto o primeiro-ministro Li Keqiang visitou a região afetada, assim como seu antecessor Wen Jiabao costumava fazer em caso de catástrofes, o que o tornou muito popular. "As primeiras 24 horas são cruciais para salvar vidas", disse o primeiro-ministro.
O presidente russo, Vladimir Putin, enviou um telegrama de pêsames ao seu colega chinês e afirmou que a Rússia está preparada para dar toda a ajuda necessária à China, anunciou o Kremlin.
A província de Sichuan, uma das mais povoadas da China, com 80 milhões de habitantes, foi devastada por um tremor em 2008 que deixou cerca de 87 mil mortos e desaparecidos.
Forte tremor deslocou e jogou uma imensa rocha numa estrada do condado de Lushan, província de Sichuan. (Foto: Hai Mingwei / Xinhua / Via AP Photo)Forte tremor deslocou e jogou uma imensa rocha numa estrada do condado de Lushan, província de Sichuan.
A agência de notícias oficial indicou que o terremoto de sábado alcançou uma magnitude de 7, enquanto o Instituto Geofísico dos Estados Unidos (USGS) registrou um tremor de magnitude 6,6. A profundidade foi estimada em 12 km, uma distância muito pequena, o que favorece a ocorrência de muitos danos.
As operações de resgate eram dificultadas por deslizamentos de terra provocados pelo tremor, indicou a CCTV.
O terremoto foi sentido fortemente em Chengdu, a capital provincial de Sichuan, e até mesmo na vizinha metrópole gigante de Chongqing, um município que abriga 33 milhões de pessoas.
Nestes dois locais, os habitantes deixaram suas casas rapidamente.
Bertrille Snoeijer, uma holandesa que mora em Chengdu, estava em sua casa quando ocorreu o tremor. 'Pouco depois das 08h00, tudo começou a tremer, os objetos caíram', contou à AFP.
Assim como seus vizinhos, a holandesa saiu para a rua.
Na região mais afetada pelo tremor as comunicações telefônicas estavam cortadas ou fortemente afetadas.
Estudantes estavam presos sob um edifício universitário que desabou em Ya'an, indicou o site de informação Sina.com.
Infográfico - Terremoto na China (Foto: Arte/G1)
Aos sábados, os estudantes chineses em geral não têm aula, com exceção de alguns institutos de ensino médio. Uma jornalista do canal de televisão local iria se casar neste sábado, mas precisou trabalhar ao vivo para cobrir a catástrofe, vestida de branco, segundo uma foto sua que circulava na internet.
Pouco depois do terremoto de 2008, a qualidade da construção das escolas em Sichuan foi muito criticada. Familiares em luto e com raiva exigiram a verdade e quiseram entender as razões pelas quais os prédios que abrigavam suas crianças desabaram com facilidade, enquanto outros edifícios oficiais resistiram.
Os terremotos são relativamente frequentes na China, embora a população esteja menos acostumada com eles do que no Japão.
O governo brasileiro divulgou uma nota lamentando o terremoto. Na nota, o governo diz que tomou conhecimento com grande pesar das mortes e perdas materiais provocadas pelo terremoto que atingiu na província de Sichuan.
O Brasil transmite suas condolências e solidariedade aos familiares das vítimas, ao povo e ao Governo da República Popular da China.

Por causa do atentado de Boston aumenta a preocupação das autoridades brasileiras com ações terroristas na Copa

 Para o Ministério Público, estamos atrasados

PRONTOS Policiais do Bope treinam operação no Corcovado. Polícias e Forças Armadas se preparam para garantir a segurança na Copa e na Olimpíada (Foto: Alexandre Vieira/Ag. O Dia)

O que diferencia o terrorismo do simples homicídio está no nome. Seu objetivo é aterrorizar. Não os mortos, cujas vidas são interrompidas sem que eles nem saibam o motivo. O terrorismo espalha o medo entre os vivos, e seus efeitos não escolhem grupos sociais nem respeitam fronteiras. Prédios de escritórios, bares, aviões comerciais, trens, metrôs, hotéis, nas Américas, na Europa, na África ou na Ásia: qualquer lugar pode ser alvo de uma ação terrorista, desde que ela possa causar um grande número de mortos e espalhar medo. Com 500 mil pessoas nas ruas para acompanhá-la, a Maratona de Boston era um alvo potencial. O Brasil não tem histórico de atividades terroristas, mas organizará, até 2016, alguns dos maiores eventos esportivos do planeta, com a presença de delegações de todas as partes do mundo. O Brasil pode ser escolhido por algum grupo armado como palco de um ataque? Sim. O país pode garantir que um atentado, caso planejado, não aconteça? Essa é a missão das autoridades brasileiras.

Na última quinta-feira (18), às 10h30, o ministro da Defesa, Celso Amorim, reuniu-se com seus principais auxiliares. Queria saber como andam os preparativos para garantir a segurança durante a Copa das Confederações, marcada para junho próximo, e na Copa do Mundo, no ano que vem. A reunião ganhou contornos mais preocupantes após o atentado à bomba em Boston. Amorim estava especialmente interessado nas informações do general Marco Antônio Freire Gomes, comandante da Brigada de Operações Especiais, localizada em Goiânia. Freire Gomes é o responsável pelo destacamento encarregado das ações contraterrorismo durante grandes eventos. Essa elite militar conta com 1.200 homens especializados em atividades delicadas, como o desarme de bombas e artefatos químicos e radiativos. Entram em ação em situações extremas. Para um país com histórico pacífico, tamanha preparação pode até parecer desmedida. A natureza do terrorismo, revelada na tragédia de Boston, prova que não é.

Os preparativos para a segurança dos grandes eventos começaram há cerca de dois anos. O governo federal distribuiu a responsabilidade da organização entre o Ministério da Defesa e o Ministério da Justiça. Criou até a Secretaria Extraordinária de Segurança para os Grandes Eventos (Sesge), responsável por organizar as ações de segurança pública. É da Sesge a responsabilidade de proteger aeroportos, estradas, portos, rede hoteleira, locais de exibições públicas, pontos turísticos e colaborar nos estádios e centros de treinamento. Até a Copa do Mundo contará com quase R$ 1,2 bilhão para comprar equipamentos e distribuir a Estados e municípios. Ao Ministério da Defesa, cabe organizar a proteção ao espaço aéreo, à área marítima e hidroviária, a usinas hidrelétricas, a subestações de energia e às fronteiras. No caso das fronteiras, há uma divisão de tarefas com a Sesge. Para cumprir sua missão, o ministério conta com R$ 768 milhões. As ações de segurança na Copa serão coor­denadas nacionalmente pela Sesge e pelo Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).

As iniciativas do governo, em suas várias esferas, têm sido acompanhadas de perto pelo Ministério Público Federal. O órgão criou um Grupo de Trabalho, o GT Copa, que produz balanços trimestrais sobre as medidas e os gastos para garantir a segurança na Copa das Confederações e na Copa de 2014. O último Relatório Parcial, produzido pelo procurador da República José Roberto Pimenta Oliveira e obtido com exclusividade por ÉPOCA, traz em detalhes o que os órgãos envolvidos têm – ou não – feito. A conclusão do procurador preocupa. “Considerando que a Copa das Confederações já será agora e que ela integrava todo esse planejamento, é manifesto que as providências estão atrasadas”, diz José Roberto Pimenta. “É necessária uma atuação mais eficiente da administração pública.”
TROPA DE ELITE Treino das Forças Especiais do Exército em Goiás. O grupo tem sido preparado para enfrentar possíveis ameaças terroristas em território brasileiro (Foto: Celso Junior/ÉPOCA)
No final de 2012, o MPF requisitou de todos os órgãos públicos envolvidos um resumo das medidas tomadas por cada um até então. Os governos do Rio Grande do Norte, Paraná, Distrito Federal e Amazonas nem sequer responderam. Também ficaram em silêncio as prefeituras de Manaus, Natal e Salvador. A Sesge disse ter executado, já em 2011, seu ano de criação, um orçamento de mais de R$ 193 milhões, vindos do Fundo Nacional de Segurança Pública. Ela informou ao MPF ter estabelecido convênios com secretarias de Segurança estaduais e municipais para comprar equipamentos e investir em capacitação das polícias e Guardas Municipais. Entre as principais medidas tomadas, está um convênio com a Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro para implementar o Centro Integrado de Comando de Controle Nacional Alternativo (CICCNA), um centro de operações, em construção, na Praça Onze, centro do Rio. A empresa KPMG foi contratada, por quase R$ 10 milhões, para diagnosticar os serviços de todos os centros locais, instalados em cada cidade sede, de processos operacionais a tecnologia da informação e comunicação. A Sesge também fechou um Termo de Cooperação com a Receita Federal para comprar equipamentos a ser instalados nas fronteiras, no valor de quase R$ 40 milhões.

Acidente grave com evangélicos que carregavam alimentos para doação

Um grave acidente foi registrado por volta das 8h30 deste sábado (20), no km-190 da BR-230, próximo a cidade de Soledade, município localizado a 54 quilômetros de Campina Grande.
Carro após acidenteFoto: Carro após acidente
Créditos: Patrício Silva
De acordo com informações de populares no local, um grupo de evangélicos teria saído de Bayeux, na Grande João Pessoa, em direção ao Sertão da Paraíba, para realizar a entrega de alimentos. O condutor do veículo perdeu o controle após sobrar em uma ponte e com isso, o carro (camioneta) caiu de uma altura de 15 metros em cima de pedras.
Acidente ocorreu na BR-230Foto: Acidente ocorreu na BR-230
Créditos: Patrício Silva
Equipes do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), realizaram o resgate das vítimas. Duas pessoas foram socorridas em estado grave ao Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes em Campina Grande, os demais ocupantes do veículo tiveram ferimentos leves e foram atendidos no local do acidente. 

Outros criminosos não aceitam na cela o assassino da menina Fernanda Ellen

Criminosos que chocaram a Paraíba não aceitam acusado de matar Fernanda Ellen em Presídio

O corpo da adolescente Fernanda Ellen deve ser sepultado no Cemitério Parque das Acácias, entre os dias 28 e 30 de abril

O vigilante Jefferson Luís de Oliveira Soares, 25 anos, segue detido em uma cela isolada na Penitenciária de Segurança Máxima PB-01, localizada na Praia de Jacarapé em João Pessoa. Revoltados com o crime cometido por Jeferson, os demais presos ainda não permitiram sua socialização na casa de detenção.
De acordo com o coronel Arnaldo Sobrinho, gerente executivo do Sistema Penitenciário da Paraíba, ainda não há condições de manter, o acusado de matar a menina Fernanda Ellen, convivendo com os demais detentos, mesmo aqueles que estão recolhidos pela prática de crimes que também chocaram todo o Estado, como o “Grupo de Queimadas”, o “Mata Sete” e o “Monstro Abner”.
“Ele está em uma sala sozinho, tomando banho de sol isolado, mas tem acesso ao banheiro, água e comida. O diagnóstico da direção do PB-01 é que não há condições de mantê-lo sob o convívio dos demais, mesmo aqueles que praticaram crimes semelhantes ao de Jeferson. O sentimento entre eles é de revolta”.
“Monstro Abner”
Desde agosto de 2011, que Fábio Pereira (conhecido como Abner) foi transferido á Penitenciária de Segurança Máxima PB-01, onde segue sob custódia. Ele é acusado de estupros e sequestros em série contra crianças e adolescentes em João Pessoa e mais cinco estados do País. Mais de 18 vítimas do estuprador o identificaram.
“Grupo de Queimadas”
Os sete adultos suspeitos do estupro de cinco mulheres e do assassinato de duas delas durante uma festa, em Queimadas (PB), seguem detidos em uma sala comum no PB-01. Eles organizaram uma festa de aniversário para atrair mulheres para serem abusadas.
Durante a fuga,  o grupo levou como reféns a secretária Michelle Domingos, 29 anos, e a professora Isabela Pajuçara, 28 anos - mais tarde encontradas mortas. Elas teriam sido assassinadas porque reconheceram dois dos acusados (irmãos).
“Mata Sete”
Carlos José da Silva Lima ficou conhecido como “Mata Sete”. Recolhido no PB-01 desde 2009, atualmente exerce a função de auxiliar de cozinha na casa de detenção. Ele, juntamente com a ex-esposa, Edileuza Oliveira, mataram o gesseiro Moisés Soares Filho, três filhos menores e sua mulher Divanise Lima dos Santos, que estava grávida de gêmeos.
“Caso Fernanda Ellen”
Sepultamento
O corpo da adolescente Fernanda Ellen deve ser sepultado no Cemitério Parque das Acácias, entre os dias 28 e 30 de abril. A informação foi confirmada na noite desta sexta-feira (19), pelo pai da menina, Fábio Cabral.
“O delegado me disse que até o final do mês, nós iríamos poder velar e enterrar o corpo”, disse Fábio, referindo as informações do delegado Aldrovilli Grisi, que acompanhou o caso. Na manhã desta sexta-feira (19), a autoridade policial concluiu o inquérito de investigação da morte de Fernanda, onde indicia o vigilante Jefferson Luís de Oliveira Soares por ocultação de cadáver e latrocínio (roubo seguido de morte).
Identificação do corpo
Na última quarta-feira (17), o Instituto de Polícia Científica da Paraíba (IPC) confirmou que o corpo encontrado na residência do acusado, no último dia 8 de abril, é da estudante Fernanda Ellen Cabral de Oliveira, 11 anos. A constatação foi feita através do exame de antropologia forense. Os resultados de outras análises, como o resultado do exame de DNA e conjunção carnal, estão sendo aguardados.

Mais de 100 mortos e 600 feridos no terremoto na China

Terremoto deixa mais de 100 mortos e 600 feridos na China neste sábado

Mais de 100 pessoas morreram e 600 ficaram feridas após o terremoto de 7 graus na escala Richter que sacudiu neste sábado (20) a província central chinesa de Sichuan, a mesma na qual um sismo de 8 graus de magnitude causou 90 mil mortos há quase cinco anos.

 O terremoto, situado a 13 quilômetros de profundidade, aconteceu às 8h02 (21h02 de Brasília) e abalou a comarca de Lushan, na área municipal de Yaan, situada no centro da província, segundo dados do Centro de Redes Sismológicas da China.
Mais de dois mil soldados do Exército de Libertação Popular foram enviados à região afetada para participar dos trabalhos de resgate e auxílio às vítimas, informou a divisão militar de Chengdu, a capital de Sichuan.
O forte tremor pôde ser sentido claramente em Chengdu, situada a 140 quilômetros de Yaan, assim como em outras províncias do oeste do país, em um raio de milhares de quilômetros.
Um morador de Chengdu relatou à "Xinhua" que em seu apartamento, situado no 13º andar, pôde sentir o prédio tremendo durante 20 segundos, enquanto via telhas caindo de edifícios próximos.
A televisão estatal "CFTV" transmitiu as primeiras imagens da zona afetada, na qual a maioria dos habitantes saiu de suas casas e permanece na rua por temer réplicas.
Câmeras de segurança nas ruas de Yaan, a capital da comarca (com 1,5 milhão de habitantes), mostraram pessoas correndo assustadas pelas ruas, enquanto os pacientes de um hospital eram evacuados.
Após o forte tremor inicial foram registradas na região várias réplicas com intensidade entre 4 e 5 graus. O presidente da China, Xi Jinping, e o primeiro-ministro, Li Keqiang, pediram às autoridades e equipes de salvamento que maximizem os esforços de atendimento às vítimas.
O oeste da China é uma área de frequente atividade sismológica, por ficar na zona de atrito das placas indiana e asiática. Nas últimas semanas vários tremores de menor intensidade na também ocidental província de Yunnan causaram dezenas de feridos.
Em 12 de maio de 2008, um terremoto de 8 graus com epicentro em Weichuan, no norte de Sichuan, deixou 90 mil mortos e 375 mil feridos.