segunda-feira, 15 de abril de 2013

Inscrições para o Forró Fest foram adiadas e Conde renova parceria

Conde renova parceria com o forró fest 


O Forró Fest prorrogou o prazo para inscrições e, até o dia 20, compositores interessados podem se inscrever através do site do evento, imprimir a ficha preenchida e entregá-la na sede da TV Cabo Branco, em João Pessoa; nos prédios da TV Paraíba, em Campina Grande ou em Patos; na Secretaria de Cultura de Itabaiana; na Secretaria de Turismo de Sousa; ou na sede da Rádio Monteiro FM, em Monteiro.

É preciso entregar também, no ato da inscrição, a letra da música registrada em cartório e digitada em cinco folhas de papel ofício, um CD ou DVD contendo a linha melódica da canção, em boa qualidade, e comprovantes de residência, o CPF e o RG.
Promovido pelas TVs Cabo Branco e Paraíba, o festival concede uma premiação especial para o primeiro lugar em comemoração ao aniversário de 25 anos. “Como acontece a cada aniversário de 5 anos do Forró Fest, o autor da melhor composição será contemplado com um carro 0 km”, contou o coordenador de marketing das TVs Cabo Branco e Paraíba, Luciano Barros. Além do carro - que neste ano é um Chevrolet Celta 0 km -, o segundo e o terceiro colocados ganharão uma moto, cada.
A primeira eliminatória do Forró Fest acontece em Cabedelo no dia 4 de maio, com os shows de Sirano e Sirino, Forró da Canxa e o cantor Flávio José, que também está confirmado para a segunda eliminatória, que será realizada em Sousa, no dia 11 de maio. Em seguida, acontecerão eliminatórias nas cidades de Itabaiana (18) e Conde (25).
A final está programada para acontecer no dia 8 de junho, em Campina Grande, como parte da programação do “Maior São João do Mundo”. Lá, serão anunciadas as três melhores composições, o Melhor Intérprete, e será entregue o Troféu Asa Branca, uma homenagem a um artista que contribuiu para o desenvolvimento da cultura nordestina.

Máquina que "produz" água é brasileira e poderá ser a solução para a seca

Máquina de fazer água já é usada em escolas
Alunos e professores de 125 escolas matam a sede com água extraída do ar, em Feira de Santana, interior da Bahia. São 375 máquinas, que retiram a umidade do ar e a transforma em água, que foram instaladas nas instituições.
O aparelho foi desenvolvido por uma empresa mineira e “produz” a água por meio da compressão e condensação do ar, processo do qual se obtém o chamado ponto de orvalho. Para tornar o líquido potável, são utilizados três etapas de filtragem. O equipamento também possui um software que regula o processo para fazê-lo possível em condições variadas de temperatura e umidade do ar.
Além de escolas, a empresa pretende colocar seus aparelhos em locais de grande circulação de pessoas, como hospitais, empresas, postos de saúde e clubes.
Lançada em 2009, a máquina criada por Norman Pedro Quiroga ainda tem um preço elevado, em torno de R$ 6,5 mil. O valor deve cair nos próximos anos, à medida em que aumentar a procura.
O fabricante lançou recentemente a versão doméstica do aparelho, que armazena 12 litros de água. A máquina poderá substituir galões e purificadores.
História
A primeira máquina de “fazer água” demorou cerca de sete anos para ser desenvolvida e foi patenteada em 2006.
Hoje, existem equipamentos similares no mercado internacional, mas, segundo o inventor, a brasileira se diferencia pela versatilidade. “Existe uma máquina nos EUA, mas ela tem limitações de temperatura e de umidade”, diz. A versão norte-americana só consegue produzir água com umidade do ar mínima de 40% e temperatura de pelo menos 20º C.
O equipamento funciona a partir de 10% de umidade do ar e temperatura a partir de 15ºC.
Máquina produz água a partir da umidade do arFoto: Máquina produz água a partir da umidade do ar

Explosões deixam 12 mortos e vários outros feridos na Maratona de Boston

Tumulto durante a explosão

Explosões deixam feridos na Maratona de Boston; número de mortos pode chegar a 12

Ao menos duas explosões atingiram nesta segunda-feira, 15, uma avenida de Boston, nos EUA, na qual estava montada a linha de chegada de uma maratona organizada na cidade. Há feridos. Não há informações suficientes para determinar a natureza da explosão.
Ainda não é oficial, mas o Departamento de Polícia de Boston informou à emissora CNN e à agência de notícias AP, pelo menos duas pessoas morreram e 23 ficaram feridas. Os números diferem dependendo da fonte. Informações de órgãos federais de investigação passaram para o jornal The New York Post que o número de mortos chega a 12 pessoas. 
De acordo com a Reuters, o hotel que funcionava como sede da maratona foi fechado após as explosões serem ouvidas e ninguém pode entrar ou sair do local.
Espectadores ensanguentados foram levados para tendas de atendimento médico próximas montadas para atender os corredores fatigados pela maratona.  “Há muita gente no chão”, disse um corredor à Associated Press.
As explosões ocorreram cerca de três horas depois de o primeiro colocado concluir a maratona. Uma forte explosão, seguida de outra segundo depois , foi ouvida na rua Boylston.
Foto: Tumulto durante a explosão
Créditos: Rep.internet

Agra propõe ações contra a seca em carta aberta aos patoenses



Em sua visita a Patos, o ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Agra, entregou uma carta aberta à população sertaneja, na Câmara Municipal daquela cidade, durante a audiência pública realizada na sexta-feira (12), que discutiu problemas e soluções para a seca que assola a região. Agra propõe que seja criado um Plano Emergencial de Abastecimento d'Água e um cronograma de aplicação dos recursos federais e estaduais.

Agra entregou a carta pessoalmente aos vereadores, colocando-se a disposição para contribuir com o debate e com a busca de soluções para aliviar os efeitos da maior seca dos últimos 50 anos. O documento ficou registrado nos anais da Casa.

Carta aberta ao pavo de Patos
 
“Seu doutor, os nordestinos têm muita gratidão/ pelo auxílio dos sulistas nessa seca do sertão/ (...) mas doutor, uma esmola pra um homem que é são/ ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão/ dê auxílio ao nosso povo/ encha os rios de barragem/ dê comida a preço bom/ não esqueça a açudagem/ livre assim nós da esmola/ que no fim dessa estiagem/ lhe pagamo inté os juros/ sem gastar nossa coragem" (José Dantas e Luiz Gonzaga)

A seca que atinge o semiárido nordestino é a mais severa dos últimos 50 anos. Cerca de 20 milhões de pessoas que vivem nessa região do país assistem, desesperadas, ao fenômeno da ausência de chuvas e da ausência de políticas públicas que possam proporcionar a homens, mulheres e seres vivos, de um modo geral, a convivência com esse clima sem que tenham suas vidas dizimadas por ele.

Já perdemos 80% da nossa produção agrícola e 70% da produção leiteira. Metade do nosso rebanho morreu, devastado de fome e de sede. E nem os pequenos pedaços de chão, que recebem a dádiva tecnológica da agricultura irrigada, estão livres dos estragos proporcionados pela estiagem prolongada. Calcula-se que 50% de tudo que foi produzido no perímetro irrigado também tenha sido perdido. O Ministério da Integração acredita que os prejuízos já ultrapassem os R$ 16 milhões.

E esse atual quadro difícil que passamos ainda pode vir a ficar pior. É isso que escutamos sobre as previsões meteorológicas para os próximos anos. Os especialistas apontam para outros períodos de pouca chuva, insuficiente para encher nossos mananciais e cobrir nossa lavoura com o verde da fartura e da esperança. Entretanto, independentemente da intensidade das próximas secas que se aproximam, nós, nordestinos, paraibanos, homens e mulheres, fortes, trabalhadores, forjados na luta da sobrevivência cotidiana, sabemos que dela não temos como fugir.

Não temos como acabar com a seca, porque ela faz parte da natureza da nossa terra, do nosso clima, da nossa vegetação, do nosso lugar no mundo. Mas sabemos também que podemos ter mecanismos que nos proporcione conviver com ela.

Assim, além de trazer a minha solidariedade ao povo de Patos e do Sertão da Paraíba, venho juntar-me àqueles que sabem que é possível fazer mais diante desse quadro desolador e que é possível implantarmos medidas para aliviar o sofrimento da nossa gente. Algumas delas que requerem esforços concentrados e grande investimento de recursos públicos, a exemplo da conclusão das obras de transposição das águas do Rio São Francisco e da construção de novas barragens e adutoras que atendam um maior número de municípios.

Defendo que ações urgentes e de caráter mais imediato sejam tomadas, para evitar que uma catástrofe ainda pior atinja nosso Estado. Proponho que seja criado e executado um Plano Emergencial de Abastecimento d'Água nas regiões afetadas com a escassez dos recursos hídricos. Um plano que contemple ampliação do número de carros-pipa; recuperação e instalação de poços artesianos; limpeza e desobstrução de pequenas e médias barragens e instalação de dessalinizadores nos pontos com concentração de sal, para tornar a água própria ao consumo humano.

Também consideramos essencial a criação de um cronograma de aplicação dos recursos destinados a atenuar os efeitos da seca. Instrumento que seja elaborado em conjunto com as lideranças e o povo que vive no Sertão, no Cariri e nas demais áreas atingidas, e que possibilite a vigilância e o controle social sobre essas finanças. Entendemos que com o planejamento adequado e a destinação eficiente das verbas públicas é sim possível proporcionar alívio ao sertanejo e evitar a dizimação do nosso rebanho e a perda total de nossa colheita.

José Luciano Agra de Oliveira

Comerciantes fazem cadastramento para o São João de Campina Grande

Cadastro será para bares, restaurantes e lanchonetes no Parque do Povo.
Comerciantes têm até o dia 30 de abril para realizar inscrição.


Palhoça Zé Lagoa no Parque do Povo em Campina Grande (Foto: Divulgação/PMCG)
Começou nesta segunda-feira (15) o cadastramtento de interessados em instalar bares, restaurantes e lanchonetes no Parque do Povo durante o Maior São João do Mundo, em Campina Grande. As inscrições acontecem até o dia 30 de abril, conforme edital publicado pela Prefeitura Municipal de Campina Grande (PMCG). O evento acontece de 7 de junho a 7 de julho deste ano.
Conforme a Prefeitura, os dois primeiros dias de cadastramento (15 e 16) estão reservados para estabelecimentos que exploram o serviço de restaurante. As inscrições estão acontecendo no Centro Cultural Lourdes Ramalho, na rua Paulino Raposo, no Centro da cidade. O horário de atendimento é das 8h às 17h.

No ato de inscrição, os comerciantes devem apresentar cópias da identidade, CPF, comprovante de residência na cidade ou contrato de aluguel com no mínimo seis meses de locação, CNPJ do estabelecimento e comprovantes de quitação do débito do São João de 2012, para quem participou do evento no ano passado.
O período de cadastramento está dividido da seguinte forma: dias 15 e 16 de abril - Restaurante 10x10m (21 unidades); dias 17,18 e 19 – Barracas 6x6m (55 unidades); dias 22, 23 e 24 – Vila do Milho 3,5x4,5m (08 unidades), Alimentação 3,5x4,5m (4 unidades), Casa 3,5x4,5m (7 unidades), Bares Camarotes 5X7m (8 unidades), Bares Pirâmide 3X3m (10 Unidades); dias 25 e 26 - Bares Área do Show 3x5m (16 Unidades); dias 29 e 30 – Quiosque 2x2m (60 Unidades).

Julgamento do Massacre do Carandiru começou hoje

Adiado duas vezes, julgamento do Massacre do Carandiru

15/04/2013 | 08h43min

O início do julgamento de 26 PMs acusados de homicídio no episódio que ficou conhecido como Massacre do Carandiru, em 1992, que deixou 111 presos mortos, está previsto para hoje (15) no Fórum da Barra Funda (zona oeste de SP).
Na segunda-feira passada (8), o júri foi adiado após uma jurada passar mal e precisar deixar a sessão. Agendado inicialmente para janeiro, o julgamento, foi adiado pela primeira vez após recurso da Promotoria.
Hoje, o juiz terá que sortear os nomes dos novos jurados. Devem sentar no banco dos réus 26 policiais acusados pela morte de 15 detentos no primeiro andar. O julgamento foi dividido em quatro, conforme os andares. Haverá outros três júris, ainda não marcados.
Plenário do Tribunal do Júri, do Fórum da Barra Funda, minutos antes do início do primeiro dia do julgamento de 26 dos 84 PMs acusados de participarem do massacre do Carandiru Leia mais
Segundo o Datafolha, apenas 10% das pessoas acreditam que os policiais serão condenados e presos. Os dados são de uma pesquisa feita entre 4 e 5 de abril, com 1.072 entrevistados com mais de 16 anos. A margem de erro é de três pontos
O site da Folha vai transmitir em tempo real o julgamento por meio de um liveblog. O internauta poderá ter acesso a tudo que acontece ao vivo na sala do júri.
Além dos posts dos repórteres da Folha, será possível conferir ainda os comentários sobre as estratégias da defesa e da acusação. As análises serão feitas pelo jurista e cientista criminal Luiz Flávio Gomes.
Editoria de Arte/Folhapress
Clique para ler

Folha de São Paulo

Vereadores de oposição de Alhandra fazem duras cobranças ao prefeito Renato Mendes

O vereador Edielson Nunes do PMDB da cidade de Alhandra usou da tribuna da casa na noite desta segunda-feira (20.11), cobrando ...