quarta-feira, 13 de março de 2013

Cardeais reunidos na Capela Sistina, no Vaticano, não conseguiram eleger o novo Papa

Os cardeais reunidos na Capela Sistina, no Vaticano, não conseguiram eleger o novo Papa nas duas eleições da manhã desta quarta-feira (13), segundo dia do conclave, na Capela Sistina. Outras duas votações estão marcadas para o período da tarde, após o almoço dos 115 cardeais eleitores na Casa de Santa Marta.
A fumaça preta se ergueu da chaminé da Capela Sistina, onde ocorre a reunião secreta dos cardeais, por volta das 11h40 locais (7h40 de Brasília), indicando que nenhum participante obteve a maioria de dois terços dos votos necessária para eleger o novo pontífice.
Mais duas votações devem ocorrer à tarde, após o almoço, e a expectativa é que nova "fumaça" se erga por volta das 19h locais (15h de Brasília).
Na única votação da véspera, também não houve nenhum cardeal com mais de 77 dos 115 votos possíveis.
Segundo os vaticanistas, a primeira votação serve para "colocar os nomes na mesa" e definir quais os cardeais que estão realmente na disputa.
Há oito anos, o agora Papa Emérito Bento XVI foi eleito no segundo dia do conclave, após a primeira votação da tarde.
Renúncia
A eleição do novo pontífice ocorre após a surpreendente renúncia de Bento XVI, anunciada em 11 de fevereiro e efetivada em 28 de fevereiro, e que criou uma situação praticamente inédita para a Igreja moderna, em que dois pontífices, um atuante e outro "aposentado", devem coabitar o Vaticano, a poucos metros um do outro.
O alemão Josef Ratzinger deixou o cargo após oito anos de um pontificado marcado por crises e divisões internas.
Ele deixa para seu sucessor desafios como os escândalos relativos aos casos de pedofilia no clero de vários países, as disputas internas na Cúria Romana e a expansão do secularismo e de religiões concorrentes.
O cardeal brasileiro Dom Odilo Pedro Scherer é citado, pela imprensa e por analistas, como um dos cotados para ser o novo Papa, ao lado do italiano Angelo Scola, mas a previsão é de a eleição difícil, sem favorito absoluto.
A imprensa italiana especulouque Scola, na primeira votação, teria tido cerca de 50 votos, ficando imediatamente à frente do brasileiro.
Cardeais ouvidos pela agência Reuters nesta terça afirmaram que a decisão poderia levar cerca de 5 dias.
Segundo informou o padre Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano, pouco depois de fecharem as portas da capela, os cardeais que entraram na Capela Sistina para eleger o novo Papa estão "em muito boa forma".

1° Festival de Patchwork e Quilt do Nordeste no Conde

1° Festival de Patchwork e Quilt do Nordeste no Conde tem a participaçãoda prefeita Tatiana e Saulo Barreto como destaque

 

Foi mesmo um dia de muitas cores e beleza vivido pela prefeita de Conde Tatiana Correia e sua comitiva formada por Saulo Barreto, a secretaria de financia Inês além outros convidados.
Na ocasião a prefeita parabenizou os trabalhos dos artistas, como também o convite a ela facultado.
Tatiana disse ainda que no próximo evento prefeitura municipal de Conde apoiara inteiramente o evento.
Com muitas cores e tons do verão e o litoral sul do estado, retratado a vida dos nordestinos
Logo após o passeio, foi servido um almoço para todos os presente.





matéria e fotos do portal jairo silva

Cassio pede rapidez na transposição do São Francisco.

Cássio: “transposição precisa ser concluída com rapidez diante das perspectivas climáticas sombrias para o semiárido”

Cássio: “transposição precisa ser concluída com rapidez diante das perspectivas climáticas sombrias para o semiárido”Imagem (Assessoria)

Em plenário na tarde desta terça-feira (12), o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) aparteou o também senador Humberto Costa (PT-PE) para explicar que missão oficial cumprida semana passada em viagem à Antártica o impediu de acompanhar a visita do ministro da Integração Nacional Fernando Bezerra às obras da transposição do São Francisco.
Cássio se referia à viagem da comissão especial às obras de transposição do rio São Francisco na Paraíba, Ceará e Pernambuco.  Entre os dias 7 e 8 de março a delegação visitou obras da transposição no chamado eixo norte, ouvindo membros do governo federal, representantes de órgãos de controle e das empresas envolvidas na construção. Em abril de 2013, conforme explicou Humberto Costa, nova delegação de parlamentares visitará obras do chamado Eixo Leste da transposição.
LIMITE - Cássio cumprimentou Costa pelo trabalho dele à frente da Comissão Especial de Acompanhamento das Obras de Transposição do Rio São Francisco. E reforçou que vê com preocupação a estiagem no Nordeste brasileiro: "Já estamos nos aproximando do Dia de São José (19 de março), da mudança do equinócio que, para a tradição nordestina, é o marco, o limite, para o início do período chuvoso. Lamentavelmente, as previsões são muito, muito sombrias. Nós estamos diante de uma situação de altíssima gravidade, o que torna ainda mais imperiosa a conclusão das obras da transposição, confiando nas ações e nas providências do Ministro Fernando Bezerra".

Banco do Brasil na PB terá que indenizar cliente R$8 mil por saque indevido na poupança

A agência do Banco do Brasil da cidade de Mari terá que pagar a quantia de R$ 3 mil, a título de indenização por dano moral, e de R$ 5 mil, por dano material, aos clientes Mizael Severino dos Santos e Maria de Lourdes Vieira dos Santos, por sacarem indevidamente o valor de R$ 5,5 mil da conta poupança deles. Esse foi o entendimento unânime dos membros que integram a Segunda Câmara Especializada Cível, ao negarem provimento ao Recurso de Apelação interposto pela instituição financeira, mantendo a decisão do primeiro grau. O julgamento aconteceu na manhã desta terça-feira (12), durante sessão ordinária.
Mizael Severino e Maria de Lourdes haviam ingressado com uma Ação de Indenização por Danos Materiais e Morais ao verificarem que no dia 23 de junho de 2009 haviam realizado, na conta deles, um saque no valor de R$ 5,5 mil. Eles foram à agência, alegando que não haviam feito a retirada e solicitaram a verificação da origem do saque, mas não obtiveram resposta por parte da instituição bancária.
Os desembargadores seguiram o voto do relator do processo, o presidente da Segunda Câmara, desembargador Marcos Cavalcanti. Ele verificou que o banco, durante a fase de instrução processual, não juntou qualquer documento apto a comprovar que o saque em questão foi realmente realizado pelos apelados e que a demonstração da existência de qualquer solicitação nesse sentido mostra-se essencial para que fique caracterizado a inexistência de falha na prestação do serviço.

São José de Piranhas terá novo prefeito

Prefeito reeleito de São José de Piranhas pode assumir o cargo

Por 6 votos a 1, TSE determina posse de prefeito reeleito de São José de PiranhasO Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deferiu, por maioria, a candidatura de Domingos Leite da Silva Neto (PMDB) ao cargo de prefeito do município de São José de Piranhas, na região de Cajazeiras, na Paraíba. Nas eleições de outubro de 2012, ele foi reeleito ao cargo, com 58% dos votos, mas, em decisão individual, a ministra Luciana Lóssio havia negado o registro.
A ministra negou o registro ao analisar recurso da coligação Maior é a Vontade do Povo que sustentou equívoco do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) que aceitou o registro de Domingos Leite. A coligação argumentou que teria havido caracterização do terceiro mandato consecutivo, afrontando o artigo 7º da Constituição Federal.
No caso, Joaquim Lacerda Neto, pai do atual prefeito de São José de Piranhas, concorreu à prefeitura da cidade, no pleito de 2004, mas não venceu. Em fevereiro de 2008, no entanto, ele assumiu o cargo no lugar do prefeito José Ferreira Gomes que foi cassados pelo TSE. Um dia após ser empossado no cargo de prefeito, Joaquim Lacerda teve mandato cassado pela Câmara Municipal, pela prática de crime de improbidade administrativa, e o comando da prefeitura, até o fim daquele mandato passou a ser exercido pelo vice-prefeito.
Nas eleições municipais de 2008, Domingos Leite se elegeu para o cargo de prefeito, para o qual foi reeleito em 2012. Na decisão individual, a ministra Luciana Lóssio considerou que a proibição constitucional impede a continuação no poder pelo mesmo núcleo familiar e sustentou que "conquanto o exercício do mandato pelo pai do recorrido tenha se dado por apenas um dia, a sua assunção ao cargo tinha caráter definitivo e este chegou a exercer o mandato, de sorte que o seu afastamento posterior por força de decisão judicial, que o condenou à perda da função pública, não pode conduzir à desconsideração do exercício do cargo, para fins de afastar a inelegibilidade do candidato".
Ao ser analisado em Plenário, o recurso de Domingos Leite teve o voto divergente do ministro Henrique Neves e, diante da peculiaridade da situação, a ministra Cármen Lúcia pediu vista. Na sessão desta noite, ao votar, a ministra destacou que o espírito da Constituição Federal é impedir uma sucessão com exercício do cargo.
Salientou ainda que, após ter sido afastado do cargo, o pai de Domingos Leite voltou ao cargo eventualmente, por forma de liminares, que têm a natureza de precariedade. "Não me parece tenha havido aqui a sucessão necessária para se dizer que ele teria exercido uma vez".
Além da ministra Cármen Lúcia, a divergência iniciada pelo ministro Henrique Neves foi acompanhada pelos ministros Dias Toffoli e Marco Aurélio e as ministras Nancy Andrighi e Laurita Vaz.

O guitarrista Peter Banks morreu aos 65 anos

Peter Banks, guitarrista original do grupo de rock progressivo Yes, morreu de problemas do coração aos 65 anos, segundo informações publicadas em seu site oficial nesta terça-feira (12).
O músico britânico morreu em sua casa em Londres na última sexta-feira. "Descanse em paz... Peter Banks", escreveu Billy Sherwood, ex-integrante da banda, em seu Facebook.
"Peter muito recentemente participou do novo projeto 'prog collective 2', que eu estou escrevendo/produzindo, assim como 'Days between stations', disco em que trabalhei. Como um fã do Yes... esta é uma notícia triste. Foi uma honra trabalhar com Peter em muitas produções. Ele fará falta!", completou.
Ao lado de Chris Squire, Jon Anderson, Bill Bruford e Tony Kaye, Banks fundou o Yes em 1968. Segundo o site Spinner, Banks saiu da banda antes do lançamento do terceiro disco "The Yes album" (1971) para formar o Flash, que lançou três álbuns na década de 1970. Ao mesmo tempo, ele participou do Zox & the Radar Boys, que também contava com o então jovem baterista Phil Collins.
Depois do Flash, Peter Banks formou o grupo Empire em meados dos anos 70 e, eventualmente, lançou três álbuns: "Mark I", "Mark II" e "Mark III". Durante sua carreira, Banks ainda fez cinco álbuns solo ("Two sides of...", "Instinct", "Self-contained", "Reduction", "Can I play you something?").
No início dos anos 2000, o guitarrista escreveu "Beyond & before", sua autobiografia publicada pela editora Golden Treasures nos EUA. Banks estava trabalhando nos toques finais do disco ao vivo "Flash: In public", que seria lançado pela Cleopatra Records, quando faleceu.