quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Camara de Conde recebe novos vereadores e faz Denis Presidented

Jovem morre durante voo para os Estados Unidos

A passageira que morreu durante um voo de São Paulo a Dallas, nos Estados Unidos, na quarta-feira (2), era de Paulista. Helen Leite, de 25 anos, passou as festas de fim de ano com a família no Brasil e retornava para o país norte-americano, onde estudava inglês.
Ela teve um mal súbito a bordo da aeronave. Segundo informações dos médicos, a vítima não apresentava sinais de traumas e já chegou morta em solo americano.
Em conversa com o pai da jovem por telefone. Custódio Leite Neto informou que a família e os amigos estão resolvendo o trâmite burocrático para trazer o corpo de Helen, que será enterrado em Palmital. “Estamos tentando acertar os detalhes do traslado. Várias pessoas estão nos ajudando”.
Custódio também disse que Helen estava bem de saúde. “Ela não apresentava nada. Para a gente, ela estava bem. Helen era a minha joia rara”. Nos Estados Unidos, a jovem cuidava de duas crianças na casa de uma família para ajudar a pagar as despesas.
O pai contou como recebeu a notícia. “Recebi um telefonema de um homem dizendo que a Helen estava doente. Em seguida ele desligou. Pouco depois uma mulher ligou e perguntou se eu estava preparado para receber uma notícia. Foi quando ela me informou o que houve. Não dá para acreditar. A Helen tinha uma vida inteira de sonhos e realizações.”
Helen estava noiva e se casaria assim que retornasse em definitivo a Palmital. “O contrato dela terminava em junho. Depois voltaria para casa e o casamento já estava previsto”, contou Custódio.  A jovem tinha dois irmãos e era a mais velha. O velório e o enterro ainda não têm data definida.
A companhia American Airlines informou que o boeing 777 tinha 220 passageiros a bordo e 14 tripulantes. De acordo com nota divulgada pela polícia de Houston, com cerca de oito horas de voo a mulher começou a passar mal.  "Membros da tripulação, auxiliados por um médico que estava a bordo, fizeram os procedimentos de emergência enquanto a aeronave era desviada para o aeroporto de Houston. Não há sinais aparentes de trauma", afirma a nota.

Mãe tem seus dois filhos sequestrados pela sogra

Enquanto milhares de pessoas encaram a chegada de 2013 como um recomeço em suas vidas, para a promotora de eventos Rosane Azeredo Coutinho, de 27 anos, ele é a continuação de um sofrimento que já dura um ano e sete meses. Esse é o período de tempo que ela está sem ver seus dois únicos filhos, Rennan e Lorran Coutinho Valverde de Amorim, de 8 e 6 anos, respectivamente. Segundo Rosane, as crianças viajaram para a França com a avó e a tia paternas - o pai dos meninos morreu há quatro anos - e não voltaram mais para casa.
- A gente vai vivendo. Mas é difícil. Sinto muita falta deles - disse ela.
O drama da promotora de eventos começou em 15 de maio de 2011, quando os filhos saíram de casa, em Niterói, na Região Metropolitana, para viajar a passeio com a avó Alba Marisa Silva Bispo Valverde, de 53 anos, e a tia Raquel Bispo Valverde Amorim, de 25. A data marcada para a volta era 15 de junho daquele ano. Mas isso não aconteceu. Rosane, então, entrou em contato com o telefone que tinha do lugar onde as crianças estavam.
- Mas ninguém dizia nada, só recebia respostas evasivas. Até que eu outubro, falei com os meninos pela última vez. Eles choravam e a minha sogra disse que não iria voltar, que ficaria morando lá. Mesmo assim, resolvi mandar as passagens para eles viajarem de volta - contou ela.
Lorran e Renan Lorran e Renan Foto: Reprodução
Junto com as passagens, de acordo com a promotora de vendas, ela enviou a documentação autorizando que Rennan e Lorran viajassem sozinhos. Mas toda a papelada foi devolvida 20 dias depois. E, desde então, ela não conseguiu mais contato com os meninos e as duas mulheres.
- Eu procurei a bisavó paterna das crianças na casa dela, que é em Niterói também, mas não consegui informação alguma. Ninguém fala nada e eu vivo nesse desespero - disse.
Segundo Rosane, a viagem de 2011 foi a segunda que Rennan e Lorran fizeram com a tia e a avó. Em 2009, eles já haviam ido para a Suíça:
- E correu tudo bem, por isso não hesitei em deixá-los ir novamente. Também não houve briga que justifique o que elas fizeram. Sempre me dei bem com a minha sogra. Eu a considerava como uma mãe. Depois que meu marido morreu, ficamos ainda mais ligadas.
A promotora de vendas contou ter certeza de que os filhos estão vivos.
- Sei também que eles não estão sofrendo violência. Mas é maldade mantê-los longe da mãe - disse ela.
A página dedicada aos irmãos no Facebook A página dedicada aos irmãos no Facebook Foto: Reprodução da internet
Página no Facebook
Desde o desaparecimento dos filhos, Rosane vem usando as redes sociais para denunciar o caso e também pedir informações que possam ajudar a localizar os dois. No Facebook, ela criou o perfil “Volta Rennan e Lorran” (sic).
Lá, a promotora de eventos postou fotos dos filhos em diversos momentos. Segundo Rosane, essa é também uma forma de se sentir próxima às crianças:
- Se pudesse, queria falar para eles: “A mãe está esperando vocês”. Mantenho o quartinho deles arrumado do jeitinho que estava quando foram viajar.
Investigação
Em novembro de 2011, a promotora de eventos procurou a Polícia Federal para registrar o caso, que foi encaminhado para a Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (Dcav), da Polícia Civil. O delegado Marcello Braga Maia, titular da especializada, disse que Alba Marisa e Raquel são suspeitas de sonegação de incapaz — cuja pena varia entre detenção de um mês a um ano ou pagamento de multa.
- Não é sequestro porque a mãe autorizou a viagem. Mas não que as crianças permanecessem lá - contou Marcello.
O delegado informou que já envivou ofícios ao Itamaraty e ao Consulado Francês para saber foi tomada alguma providência sobre o caso de Rosane — ela disse ter procurado os dois órgãos.
- Aguardamos uma resposta para saber que direção tomar na investigação - disse Marcello.
Rosane já recebeu uma carta do governo francês sugerindo que ela faça contato com a Justiça daquele país para tentar fazer uma conciliação com Alba Marisa e Raquel, mas a promotora de vendas ainda não envivou resposta.
A mãe também fez um pedido de busca e apreensão na Vara da Família de Niterói, mas a solicitação ainda não foi julgada.

Acidente com ônibus na 101 12 ficam feridos

Quatro das doze vítimas de um acidente de ônibus na BR-101 continuam internadas no Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa. Geralda Macena de Melo, 66 anos, e Lenilda Silva Santos, 41, além de duas crianças, uma de 9 e outra de 11 anos, seguem internadas, em estado regular, e podem receber alta ainda nesta quinta-feira (3). Outras oito vítimas foram atendidas, receberam atendimento de emergência e, após período de observação, receberam alta hospitalar.
Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal ( PRF), o acidente envolvendo um ônibus da empresa Rio Tinto ocorreu no quilômetro 77 da BR 101 próximo à entrada do município de Lucena, no Litoral Norte. O motorista do veículo disse que na hora do acidente chovia muito na rodovia federal. O transporte tinha saído de João Pessoa com destino a cidade de Guarabira, no Brejo paraibano.
Equipes dos postos de Bayeux e Mata Redonda e ainda uma equipe de resgate da PRF e três equipes de ambulâncias do Samu foram até o local do acidente para prestar socorro às vítimas.

Homem sendo atendido no local do acidenteFoto: Homem sendo atendido no local do acidente
Créditos: Emerson Machado