quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Proclamação da República

Embora no período colonial, sob o Primeiro Reinado, tenham ocorrido no Brasil movimentos de caráter republicano – como a Inconfidência Mineira e a Confederação do Equador – somente em 1889 surgiram condições para se proclamar a República no país.
As mudanças econômicas e sociais que se processaram na segunda metade do século XIX originaram, nas camadas da população, aspirações divergentes e conflitantes. Elementos urbanos pleiteavam a eliminação do trabalho escravo e exigiam a realização de eleições diretas e uma participação na vida política nacional. Todos eram contrários às oligarquias que detinham o poder. Entretanto, o governo imperial, fortemente centralizado, representava um obstáculo. A solução seria um Sistema Federativo.
A partir de 1870, com o termino da guerra do Paraguai, a idéia republicana encontrou um eco. O contato com as repúblicas platinas, somado às contradições internas do país, mostrava que a monarquia, com sua instituição político-administrativa centralizada, não estava adequada às novas condições sócio-econômicas alcançadas pelo país. Surgiram diversos clubes e jornais destinados a fazer propaganda da abolição da escravatura e da federação do país. Fundaram-se também vários partidos republicanos. A 13 de maio de 1888, o Império aboliu o trabalho escravo. A agitação tornou-se ainda mais intensa. Elementos republicanos de São Paulo, chefiados por Silva Jardim e Quintino Bocaiúva, uniram-se aos do Rio de Janeiro, liderados por Benjamim Constante e Aristides Lobo, para preparar o golpe contra o império. E no dia 15-11-1889, tropas sediadas no Rio de Janeiro, chefiadas pelo Marechal Deodoro da Fonseca, desprezaram o imperador e proclamaram a República.
A história da República brasileira é dividida em 4 fases principais: a velha República, o Estado Novo, a Democratização de 1946 e o Regime militar de 1964.
De 1889 a 1930 – República Velha; de 1930 a 1945 - Ditadura de Getúlio Vargas. De 1945 a 1964 – Novo período de Democracia (período do Populismo). De 1964 a 1984 – Regime Militar com a democratização ocorrendo em 1985 com a posse de um presidente civil – José Sarney, em substituição a Tancredo Neves, falecido antes da posse.
Tema Transversal - ética / pluralidade cultural. Direitos políticos e sociais. Sistemas do governo.

Tatiana Corrêa e demais prefeitos do litoral sul tomam posse no dia 18 de dezembro

Sérgio Leal Wortmam Júnior – Chefe do cartório eleitoral de Alhandra definiu a data da diplomação dos eleitos no litoral sul. Os prefeitos e vereadores eleitos de Alhandra, Caaporã, Conde e Pitimbu irão tomar posse no dia 18 de dezembro, em evento que será realizado no ginásio poliesportivo de Alhandra, às 17h e aberto ao público.
O juiz eleitoral da 73ª – Dr. Helder Ronald garantiu que todos os prefeitos e vereadores eleitos na região serão diplomados e não vê fundamento nas ações promovidas contra a prefeita eleita de Conde. “Não vejo fundamento nessas ações impetradas contra a prefeita eleita de Conde, pois não foi identificado quem distribuiu a pesquisa e a prestação de contas dela está regularizada inclusive no TRE”, afirmou o juiz.
Já na cidade de Pedras de Fogo que é atendida pela 44ª Zona eleitoral, a diplomação dos eleitos será realizada no dia 17 de dezembro.
Dr. Helder ainda informou que devido a falta de verbas da justiça eleitoral, a solenidade da diplomação no litoral sul, conta com o apoio dos eleitos que devem disponibilizar aparelhos de som e cadeiras para que o evento seja realizado com organização.
Diplomação -  é o ato pelo qual, em solenidade previamente marcada, os tribunais eleitorais entregam os títulos que dão os candidatos como eleitos.
É a solenidade em que é entregue ao candidato eleito do documento oficial que reconhece a validade de sua eleição.

Luiz Cláudio e Joelma Alve

PRF aponta irregularidades em veículos escolares de 20 Municípios e do Estado

O Ministério Público da Paraíba recebeu, na última segunda-feira (16), um relatório da Polícia Rodoviária Federal com informações rela...