quinta-feira, 8 de novembro de 2012

A catarinense que leiloou a virgindade que continua virgem

A catarinense Catarina Migliorini, de 20 anos, que leiloou a virgindade por US$ 780 mil, o equivalente a mais de R$ 1,5 milhão, falou na manhã desta quinta-feira (8) sobre a polêmica envolvendo sua atitude.
"Eu sou virgem ainda", afirmou em entrevista à apresentadora Ana Maria Braga, no programa "Mais Você", da TV Globo. "Fui no ginecologista, confirmou (que sou virgem)". Catarina estava com data marcada para perder a virgindade no dia 3 de novembro.
Ela contou ainda que, como não tinha certeza de que o valor chegaria a R$ 1,5 milhão, combinou um valor mínimo para participar do documentário, que tem o objetivo de mostrar o cotidiano de um jovem e uma jovem virgens. "Eu combinei com o meu diretor que eu não faria por menos de US$ 500 mil", afirmou, acrescentando que pode desistir de consumar o ato a qualquer momento. Mas caso isso ocorra, não receberá o valor pago pelo vencedor do leilão, um japonês de 53 anos, que ela afirma não ter visto nem por foto.
É exatamente isso: um negócio"
Catarina Migliorini
"É exatamente isso: um negócio", explicou Catarina, contando que decidiu leiloar sua virgindade pela oportunidade de participar do documentário, viajar, passar por novas experiências. "O diferente me atrai. E também tem o fato do negócio, do leilão, é claro".
A produção procurou em todo o mundo virgens para o documentário. E, segundo Catarina, ela soube da busca quando tinha 18 anos. "Eles estavam procurando há um ano já e eu pensei 'Ah, vou me inscrever'", disse, contando que a inscrição "foi por impulso". "Mandei e-mail para a produção e não imaginei que fossem me responder. E foi uma grande surpresa quando me responderam, pediram teste de cena e me escolheram", completou Catarina, explicando além de um ginecologista ter atestado sua virgindade para a produção, o vencedor do leilão, se assim quiser, também poderá indicar um médico de sua confiança para fazer novo teste antes do ato sexual.
"A minha mãe já está sabendo (sobre o leilão da virgindade) há muito tempo porque somos muito amigas. Ela está do meu lado porque ela sabe quem eu sou, e respeita minha opinião e minha liberdade", contou. Ela revelou ao Mais Você que seu verdadeiro nome é Ingrid, mas sempre foi chamada pelos amigos de Catarina, por causa de seu estado natal.

DILMA DEFENDEU O LANÇAMENTO DA EDUCAÇÃO NA IDADE CERTA

Dilma conversa com alunos de escola pública do Distrito Federal antes da cerimônia do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa  (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)
A presidente Dilma Rousseff defendeu nesta quinta-feira (8), durante discurso no lançamento do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, a educação como caminho para reduzir a desigualdade social no país e garantir igualdade de oportunidades para todos os brasileiros. "Nós sabemos sem sombra de dúvidas que um caminho, do ponto de vista de sua perenidade, mais que outros, tem o poder de assegurar o acesso das pessoas a igualdade de oportunidades: é a educação. Igualdade de oportunidades é uma situação em que, em um país, há garantia para todos os cidadãos de acesso a todas oportunidades, seja qual for sua origem, gênero ou raça", afirmou a presidente.
O Pacto Nacional pela Alfabeitzação na Idade Certa é um projeto do governo federal, em pareceria com estados e municípios, para garantir que crianças até os oito anos de idade saibam escrever, ler e interpretar textos simples e dominar as operações matemáticas básicas. Dilma disse que não é possível "ser insensível" ao fato de que, no Brasil, 15% das crianças não tenham esses conhecimentos, o que, na opinião da presidente, dá um caráter emergencial ao pacto.