sexta-feira, 13 de abril de 2012

Inauguração da unidade feminina da fazenda Esperança



Inauguração neste domingo (15), da unidade feminina da Fazenda da Esperança, no Distrito de Mata Redonda, em Alhandra.
A unidade feminina será denomina Nossa Senhora da Glória. A masculina, implantada há quase seis anos, também em Alhandra, é chamada Fazenda da Esperança Padre Ibiapina. Há cerca de um ano, aquela unidade passou por reformas de ampliação e contou com o apoio da prefeitura de Alhandra, além do empenho do deputado Branco Mendes, que buscou a colaboração de amigos para doações; inclusive do presidente da Assembleia, deputado Ricardo Marcelo, que fez uma doação pessoal para o mobiliário da residência. 


Neste domingo a comunidade estará em festa a partir das oito da manhã, quando se iniciam as festividades de inauguração com a presença do idealizador da Fazenda da Esperança, Frei Hans, cuja iniciativa é reconhecida no Brasil e no Exterior, pela metodologia balizada na espiritualidade, convivência e trabalho e se espalha por vários países.  Uma celebração do arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, será o ponto culminante da programação.

Trio comia carne humana e ainda vendiam nos recheios dos salgados em PE

Carne humana eram vendidas em coxinhas no interior do PE
O trio preso em Garanhuns (PE) suspeito de canibalismo teria afirmado em depoimento à polícia que usava parte da carne das nádegas e das coxas das vítimas no recheio de salgados como coxinhas e empadas, que eram vendidas na cidade do agreste pernambucano. A informação foi confirmada ao R7, na manhã desta sexta-feira (13), pelo delegado responsável pelas investigações, Weslei Fernandes.

- Eles disseram que usavam principalmente parte das coxas, braços e nádegas das vítimas. Não temos como provar isso, mas pela veracidade de outras coisas que eles disseram é possível que seja verdade. Segundo Fernandes, o trio teria matado e comido pelo menos oito mulheres. Até o momento, porém, pedaços dos corpos de somente duas das vítimas foram localizados. O delegado afirma que os assassinatos faziam parte de rituais. As vítimas eram mortas a facadas e esquartejadas. Em seguida, o trio bebia o sangue e se alimentava da carne das mulheres mortas por quatro dias.

- Eles falaram que esse era um período de purificação, em que só comiam a carne humana. Os restos eram enterrados. Pelos relatos, parece coisa de filme.

Oferta de trabalho

Ainda de acordo com a investigação, as vítimas eram atraídas pelos suspeitos com ofertas de emprego. Os depoimentos apontam que os criminosos escolhiam as mulheres que eles acreditavam ser "pessoas más".

Os investigadores descobriram que uma das mulheres presas suspeita dos crimes usava uma identidade falsa. O documento pertencia a uma das mulheres mortas pelos criminosos em 2008. A Polícia Civil investiga se uma criança encontrada com os suspeitos era filha dessa vítima. A menina de cinco anos foi encaminhada para o Conselho Tutelar e, segundo conselheiros, está bastante abalada.

De acordo com o delegado, a criança também era alimentada com carne humana. A polícia investiga, inclusive, se os suspeitos teriam dado carne da mãe à garota, logo após seu assassinato - Os parentes disseram que quando a mulher desapareceu, em 2008, a criança também sumiu. Vamos apurar o parentesco e, se ficar comprovado, eles poderão ficar com a criança.

Fernandes contou que uma nona mulher estava para ser morta, mas teria faltado à ‘entrevista’ de emprego anunciada pelo trio. os policiais investigam outros crimes atribuídos ao grupo.

Diário Junto com os suspeitos, os investigadores apreenderam um diário. No caderno, uma das criminosas revelaria detalhes dos crimes, afirmando que eles eram premeditados. Em um dos trechos, segundo o delegado, ela teria escrito: “faz exatamente uma semana que uma segunda missão que fizemos, que foi a eliminação de um ser, (...) Agora nos preparamos para uma terceira missão”.

O diário teria ainda desenhos de como os corpos eram enterrados e os motivos para as mortes.

Protesto de parentes de vítimas da violência na capital

Parentes de pessoas que foram vítimas de violência realizaram um protesto na manhã desta sexta-feira (13) em João Pessoa para pedir justiça. Os manifestantes se reuniram em uma praça na avenida João Machado, no bairro de Jaguaribe. Entre os participantes estavam os familiares do bancário Everton Belmont, assassinado em 14 de março de 2011 no mesmo bairro.
Integrantes da família da estudante Aryane Thais Carneiro, morta em 15 de abril de 2010, também estiveram presentes ao protesto. No domingo (15), a assassinato completa dois anos. Também foi relembrado o caso do acidente que vitimou três pessoas de uma mesma família. O réu ainda não foi julgado, mas está detido em um presídio na cidade de Guarabira.
Parentes de vítimas de homicídios realizam protesto em João Pessoa (Foto: Walter Paparazzo/G1 )Familiares e amigos levaram cartazes e faixas com fotos das vítimas (Foto: Walter Paparazzo/G1 )
Parentes de vítimas de homicídios realizam protesto em João Pessoa (Foto: Walter Paparazzo/G1)Réu no processo que investiga morte de três pessoas de uma mesma família em acidente de carro está detido em um presídio de Guarabira (Foto: Walter Paparazzo/G1)
 

Sexta-feira 13 com festa de Halloween na capital

Paulo Sérgio e Daniel se apresentam em João Pessoa (Foto: Divulgação)

A Sexta-feira 13 também é dia de balada na capital paraibana e em Cabedelo. A noite conta com calourada de alunos do curso de Odontologia, com a dupla sertaneja Paulo Sérgio e Daniel, a festa Forró Champa com o grupo Forró da Xêta e ainda muita curtição com o grupo Samba da Elite. Um assutado bem animado que tem o Halloween como tema também está na programação desta sexta-feira (13).
Confira os detalhes das festas:
Dupla Paulo Sérgio e Daniel
Calourada
A dupla sertaneja Paulo Sérgio e Daniel animam a calourada do curso de Odontologia. A banda Tal de Xote também é uma das atrações da noite. Os shows começam a partir das 22h no Bosque Bar no bairro do Bessa em João Pessoa. Ingresso é R$ 20 para os homens e R$ 10 para as mulheres (até meia-noite). Mais informações pelo telefone (83) 8122-2776.


Pop rock

Evabrawn, Val Donato e Os Cabeças e a DJ Julliana Aguiar se apresentam no Zodíaco Dancing Bar, localizado na feirinha do bairro de Tambaú em João Pessoa, às 22h.

Forró da Xêta é umas das atrações
Forró da Xêta se apresenta em João Pessoa (Foto: Divulgação)Forró Champa
A banda Forró da Xeta e o projeto eletrônico IndaHouse animam o Access Lounge em João Pessoa. A noite conta com open bar de champagne para as mulheres. O evento começa a partir das 22h30 no Access Lounge, em Manaíra. Os ingressos estão à venda no local por R$ 30. Mais informações pelo telefone (83) 8809-2705.

Halloween
O Assustado na capital tem o Halloween como tema. As músicas dos anos 70, 80 e 90 estão no repertório musical da balada. O ingresso é R$ 15, mas  para quem for fantasiado é R$ 10. Assustado acontece no Esporte Clube Cabo Branco em João Pessoa. Os interessados podem tirar dúvidas pelo telefone (83) 9979 -2989.

Banda Samba da Elite animará os foliões pelas quatro horas de percurso (Foto: Divulgação)Banda Samba da Elite (Foto: Divulgação)
Samba e forró
O grupo Samba da Elite e as bandas Forró Bakana e Forró da Curtição animam a festa no Golfinho Bar na Praia do Jacaré, no município de Cabedelo. A festa começa a partir das 22h. Os ingressos à venda por R$ 25 no local dos shows.
Mais informações  pelo número (83) 8748-7277.

Agentes penitenciários são afastados por denúncia de tentativa de estrupo dento do presídio na PB

Governo afasta agentes suspeitos de tentativa de estupro em cadeia da PB

Os dois agentes penitenciários suspeitos de assediar sexualmente duas irmãs de 18 e 17 anos de idade dentro da cadeia pública de Sumé, no Cariri paraibano, foram afastados de suas funções pelo governo estadual. De acordo com o secretário da Administração Penitenciária, coronel Washington França, o diretor também está temporariamente fora do serviço. Segundo ele, a medida foi tomada com o objetivo de evitar uma 'eventual ingerência' durante o desenrolar das investigações. O promotor de Justiça Eduardo Barros Mayer foi comunicado sobre o caso, ouviu depoimentos de envolvidos e informou que vai solicitar à Polícia Civil a instauração de um inquérito.
10/04/2012 15h22 - Atualizado em 10/04/2012 15h22
Irmãs dizem ter sido abusadas sexualmente quanto tentavam visitar pai.

Dois agentes penitenciários e um policial militar são investigados.

O Ministério Público da Paraíba investiga uma denúncia de que duas irmãs teriam sofrido abuso sexual por parte de um policial militar e dois agentes penitenciários quando tentavam visitar o pai que está detido na cadeia pública de Sumé, cidade localizada a cerca de 281km de João Pessoa. O promotor Eduardo Barros Mayer informou nesta terça-feira (10) que vai solicitar à Polícia Civil a abertura de um inquérito para apurar o caso.
Segundo o promotor, as denunciantes são uma jovem de 18 anos e uma adolescente de 17. Ele explicou que recebeu a notícia-crime, colheu o depoimento da maior de idade e identificou os suspeitos de envolvimento. Ele também deverá ouvir os depoimentos da adolescente, dos agentes, do policial e do detento que seria pai das supostas vítimas.
saiba mais
Grávida de quatro meses, a jovem de 18 anos que denunciou o caso explicou sua versão do caso à TV Paraíba. Sem se identificar, ela disse que não chegou a acontecer ato sexual, mas que houve assédio e tentativa de estupro. Segundo a suposta vítima, ela e a irmã teriam sido atraídas por dois agentes penitenciários e um policial militar para dentro da cadeia, onde eles informaram que elas participaram de um treinamento, uma simulação de busca pessoal.
“O policial entrou na sala do diretor, pegou uma faca. O agente ficou presenciando e o outro pegou o revólver. Um deles apagou a luz e fechou a porta, ficou me alisando, me beijando à força. Como eu não consegui escapar dele, eu disse que estava passando mal porque estava grávida. Só depois ele deixou a gente sair”, relatou a garota.
Ainda segundo a jovem, um dos agentes teria oferecido dinheiro para que ela não comentasse o caso, mas ela não teria aceitado.
O diretor da cadeia, Alberto Vilar, informou que os dois agentes admitiram que levaram as duas garotas à unidade, mas explicaram que tudo não passaria de uma 'brincadeira' e que eles não teriam intenção de praticar abusos sexuais. O caso foi comunicado ao Ministério Público pelo diretor.
Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária, uma Comissão Disciplinar foi até Sumé na terça-feira (10) e tomou os primeiros depoimentos dos envolvidos.  Quanto ao policial militar apontado como envolvido no caso, a apuração de sua possível participação ficou a cargo da Polícia Militar.

Sábado tem reunião da ASCOCJARE

Neste sábado reunião do mês da ASCOCJARE ( associação comunitária Cultural do bairro Jardim Recreio) em Conde às 19hs em sua sede provisória rua Jackson Alves, 133 Jardim Rereio ( Rádio J.A) fone 083- 3298 2198

Jornada de inclusão produtiva da agricultura familiar em Conde

Jornada de inclusão produtiva em Conde realizada pela EMATER
Será realizada dia 16 de Abril ( segunda), no ginásio de esporte no centro de Conde  apartir das 8 da manhã.
A jornada tem como objetivo facilitar o acesso dos agricultores de modo geral as políticas de desenvolvimento rural sustentáveis, além de intensificar e concentrar esforços na elaboração e contratação de projetos e financiamentos forncecendo o credito rural, com emissão de DAPS, serviço de saúde e cidadania. Com a participação de parceiros como: Banco do Brasil; Banco do Nordeste; AESA; COOPERAR; Sindicatos.
Com diversos serviços destinados a agricultura
Participe.

Vereadores de oposição de Alhandra fazem duras cobranças ao prefeito Renato Mendes

O vereador Edielson Nunes do PMDB da cidade de Alhandra usou da tribuna da casa na noite desta segunda-feira (20.11), cobrando ...