sábado, 24 de março de 2012

Neste domingo em Conde vai ter louvor

Louvor ao Nosso senhor JESUS CRISTO no Cenáculo em Conde dia 25 de março neste domingo as 13hs termino as 16hs rua Domingos Maranhão ao lado do teatro municipal na cidade de Conde.

Neste domingo tem passeio ciclista para mulhres na Lagoa em JP

CICLOTUR: Passeio Ciclístico das Mulheres neste domingo na capital da PB.

PMJP realiza I Passeio Ciclístico das Mulheres neste domingo
I Passeio Ciclístico das Mulheres, o Ciclotur será realizado na manhã deste domingo (25) o I Passeio Ciclístico das Mulheres, o Ciclotur. A concentração está agendada para as 7h30, no Parque Solon de Lucena na capital paraibana (Lagoa), seguindo depois até o Largo da Gameleira, em Tambaú.

Criança morre e 16 ficam feridos em briga de futebol no Egito

Torcedores da equipe do al-Masry protestaram contra punição aplicada ao clube e enfrentaram forças de segurança.


Confronto em estádio matou mais de 70 pessoas em fevereiro  (Foto: AP)
Dezenas de pessoas ficaram feridas e um menino de 13 anos de idade foi morto, durante um confronto entre torcedores de futebol no Egito e forças de segurança.
O enfrentamento ocorreu após a equipe do al-Masry ter sido suspensa por dois anos, como punição por um incidente em seu estádio, em fevereiro, em que 74 pessoas foram mortas.
A suspensão do al-Masry significa que o time ficará impedido de participar de competições até o final de 2013.
Segundo o jornal al-Ahram, o menino de 13 anos morreu em um hospital após ter levado um tiro nas costas.
O Exército tentou impedir que os torcedores revoltosos alcançassem o Canal de Suez, o que gerou enfrentamentos.
A agência de notícias Reuters afirmou que outras duas pessoas estão hospitalizadas após terem levado tiros.
Histórico
O time do al-Ahly, que disputava o jogo contra o al-Masry em fevereiro, também sofreu uma punição, ainda que mais branda.
A equipe terá de disputar quatro jogos sem a presença de sua torcida. E o treinador e capitão da equipe foram suspensos e terão de pagar multas.
Os torcedores do al-Ahly, que foram o principal alvo da violência da torcida rival, em fevereiro, consideraram a punição aplicada ao al-Masry muito branda e anunciaram que realizarão um protesto no estádio de sua equipe neste domingo.
Jovem carrega caixão de vítima da violência em fevereiro (Foto: Getty Images)
Os dois times são rivais históricos, cujos jogos sempre exigiram segurança reforçada.
A partida realizada em fevereiro terminou com uma vitória do al-Masry sobre o rival por 3 a 1, mas assim que o jogo terminou, torcedores do time vencedor invadiram o campo, agredindo jogadores e torcedores do al-Ahly.
Acusação
Na ocasião, houve relatos de que a polícia teria deliberadamente deixado de coibir a violência dos torcedores ou até mesmo permitido que alguns trouxessem facas e outras armas para dentro do estádio.
O confronto com mortos provocou uma onda de protestos violentos e choques com as forças de segurança que matou outras 16 pessoas.
Na semana passada, o promotor-chefe do Egito acusou 75 pessoas de assassinato ou negligência pela violência ocorrida em fevereiro. Nove policiais estavam entre os punidos.
Os torcedores de futebol mais fervorosos, conhecidos como ''ultras'', são famosos pela violência.

Grandes artistas lamentam a morte de Chico e os seus personagens

Jô Soares e Agildo Ribeiro, entre outros, lamentaram a morte de Chico Anysio, em depoimentos exibidos na Globo News. O humorista morreu às 14h52 desta sexta-feira (23), aos 80 anos.
 Agildo Ribeiro, humorista – "O mais importante é que estamos em luto nacional. O Brasil está mais triste, sem perspectivas de risos e alegrias. Ele foi um herói nacional, um combatente. Ele trazia alegria para esse povo. Ele era uma figura tradicional. Estou com meu coração dilacerado de tanto que amava esse homem. Estou de luto, fisicamente, espiritualmente e artisticamente. Ele não vai morrer assim, ele não morre assim, não."
 David Pinheiro, humorista – "A 'Escolinha do Professor Raimundo' foi mais que um trabalho, foi um aprendizado, principalmente pelo ponto de visto técnico. Não que ele ficasse nos ensinando, mas o cotidiano, os pequenos detalhes que ele mostrava. Ele foi importantíssimo. Ele foi responsável por uma nova geração de humoristas e cuidou dos velhos humoristas. Nós aprendemos bastante. Ele era um homem raro. O ser humano que ele foi, o artista que ele foi, o modo como ele viveu, enfim. Ele dizia que o improviso é o caminho mais curto para o erro. Na coversa come ele o personagem mudava. Tenho muitas histórias dele. Eu e muito outros. Chico Anysio foi um homem importante para a história do Brasil."
 Jô Soares, apresentador – "O Brasil inteiro estava pendurado nessa agonia do Chico. Isso me lembrou a agonia que o país passou com a morte do Tancredo Neves. Foi uma agonia terrível. Ele não merecia isso. Espero que ele não tenha sofrido, que tenha passado bem. O Chico Anysio é um dos melhores atores característicos do mundo. Eu dirigi um espetáculo do Chico que, na verdade, eu que aprendi demais. O óbvio é que essa morte deixa o Brasil inteiro entristecido."
 Ziraldo, cartunista – "Foi uma grande perda. Conheci o Chico há 50 anos. Ele é um dos dois fenômenos inrrepetíveis. Nunca mais teremos Pelé e nem Chico Anysio. Ninguém conseguiu fazer a quantidae de personagens que ele fez. A mão dele ficava velha de acordo com o personagem. Tive a oportunidade de conviver um pouco com ele. Ele não vai embora agora, não é possível.
O Chico, comigo, era sempre muito generoso. O dinheiro que ele ganhou ele distribuiu. Ele era fantástico. A televisão não perpetua ninguém. Espero que as pessoas possam encontrar nas livrarias o livro que os cartunistas fizeram desenhando os personagens dele."
 Lúcio Mauro FIlho, ator – "O Chico está canonizado desde já. Ele sobe como um dos grandes santos do humor brasileiro. Ele já estava fazendo falta para a gente por diversos posicionamentos. Ele era um homem de posicionamento forte. Ele ter ficado fora da televisão fez muito mal para ele. A gente é muito miúdo para poder explicar. Na minha vida, ele foi muito importante. No Projac, uma vez, ele me encontrou e perguntou se está tudo bem. ‘Você está bem mesmo, porque você está procurando ponta em novale, concorrendo com gente muito menos talentosa com você, abre o olho’. Depois dessa bronca eu fui direto para o Zorra Total e tudo aconteceu na minha carreira. Ele foi um norte para todos nós humoristas. Um cara tão brilhante e genial ficar sofrendo como estava era muito triste. Quando Rogério Cardoso foi embora eu fiquei estraçalhado. Com o Chico é a mesma coisa. A comédia brasileira não só o maior gênio, mas o seu maior defensor. Ele sempre lutou pela qualidade do humor braileiro. Que as novas gerações estejam assistindo e vendo um pouco do talento dele. Estou com o Ziraldo, a gente não pode esquecer o Chico, esse grande talento."
Paulo Silvino, comediante – "Infelizmente perdemos o maior ator e comendiante do mundo. Nunca na história da comédia mundial alguém tenha feito o que o Chico Anysio fez. A quantidade de línguas que escreveu, de quadros que pintou. Ele era uma fonte de arte e inspiração. Ele foi uma fonte de inspiração de alegria. Ele fez trabalhos sérios também, era completo. Ele se tornou o maior comediante, o maior ator do mundo de todas as época. Ele era meu amigo, ele foi extraordinário. Chico era um paizão. Na Escolinha ele abrigou muitos atores, principalmente alguns que estavam quase esquecidos. Ele foi um pai extraordinário. Ele casou várias, teve uma prole grande. Todos os filhos dele conviveram muito comigo e com meus filhos."
 José de Abreu, ator – "Vários aspectos do Chico devem ser lembrados. Uma vez ele disse que parecida a rua do Catete, porque vivia cheio de pensão. Ele era impressionante. Saía de um personagem e começava imediatamente o outro. Parecia mágica. Ele fazia numa tarde o programa quase inteiro. Em dois dias ele fazia 30 personagens. Ele era sempre o mesmo. Ele se auto dirigia, ele dirigia todo mundo. Ele era uma loucura. Ele tinha três cabeças, a do ator, do diretor e do personagem."
Renato Aragão, humorista - "O Brasil todo está triste. Quando cheguei ao Rio, ele já era famoso. Chico me ajudou muito. Ele que me alertou muito. Ele foi referência para todos os humoristas. Não vai ter outro Chico Anysio, não. Ele fazia sátira do Brasil todo. Ele foi muito amigo. Chico Anysio ajudava todo mundo. O coração dele não cabia dentro do peito. Para a gente falar sobre quem era Chico Anysio será preciso fazer uma mesa redonda para cada um falar o que ele era."
Regina Casé, apresentadora – "Conheci o Chico quando ele trabalhava com meu pai, desde pequena eu via o trabalho dele. Ele conseguiu conferir uma dignidade ao povo nordestino. Foi uma escola, uma faculdade trabalhar com ele. Acho que ele conseguiu transcender na esfera do humorismo, ele escrevia, pintava e interpretava."
 Boni, diretor de TV - Ele fez um humor sem obscenidade, sem ofensa. Ele foi um amigo e irmão por mais de meio século. Todos os personagens do Chico Anysio tinham alma. Não eram aqueles que chamamos no jargão de televisão de caricaturas. Eles tinham o rosto diferente, a voz diferente e a alma diferente. Eles eram personagens reais e de carne e osso. Era um humor humano e cheio de crítica social e política. O Chico levou um pouco do humor radiofônico para a televisão. Ele foi o pioneiro na montagem do videotape.
Heloísa Perissé, atriz e comediante – "Tinha uma relação muito especial com ele. Foi uma pessoa que sempre me deu muita força. Ele sempre teve uma preocupação com o trabalho. Foi uma pessoa que sempre será uma referência. Os personagens eram vivos, ele era vivo em tudo que ele fazia. Chico foi uma pessoa que todo mundo cresceu vendo. Sempre teve um humor forte. Ele era naturalmente engraçado. Ele falava o que pensava. Muitas vezes ele foi mal interpretado por isso. Ele era o Chico sempre, ele não tinha máscara."
O humorista Wellington Muniz, o Ceará, disse que ficou "boquiaberto". "Sabia que ele estava passando por um período díficil, mas isso me pegou de surpresa mesmo e mudou todo o meu dia, toda a programação da minha tarde", comentou. "Ele é uma inspiração para muita gente, é da minha terra, do Ceará. Chico ia fazer de aniversário no dia 12 de abril. Foi um um cara que inspirou vários humoristas e criou, com sua genialidade, muitos personagens. Ele deu chance e ajudou muita gente e faria isso até hoje se tivesse um programa. Foi embora um grande talento que faz muita falta na televisao brasileira. Que ele descansae em paz. Desejo as minhas condolênscias aos familiares e às pessoas próximas a ele. Grande mestre, grande ser humano, grande amigo. Tive poucas chances de conversar com ele, mas sempre que estivemos juntos ele foi atencioso, brincalhão e inteligente".

Em depoimento, Daniel Filho disse que deve a Chico o início de sua carreira como diretor. "Ele deu a mão aos novos e nunca deixou os mais velhos comediantes fora de seu alcance. Sempre prestando homenagens aos seus professores da comedia. Deu bom humor ao Brasil. Uma vida dedicada a qualidade no radio, cinema e televisão! Sua herança é imensa para todos que tivemos o privilegio de compartilhar a cena e a vida com ele. Amou muito e será para sempre amado.”
Em entrevista a jornalistas no Hospital Samaritano, no Rio, Cláudia Jimenez falou da importância de Chico. "Foi o maior artista que o Brasil já teve. Ele me inventou. No céu vai estar uma rodinha de amigos que vão receber ele. Rogério Cardoso,Walter D'Ávila, Nádia Maria, Brandão Filho e Costinha estão todos esperando por ele lá”, disse Cláudia.

PRF aponta irregularidades em veículos escolares de 20 Municípios e do Estado

O Ministério Público da Paraíba recebeu, na última segunda-feira (16), um relatório da Polícia Rodoviária Federal com informações rela...