quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

DEPENDENTES DO CRACK SERÃO INTERNADOS A FORÇA


O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou, nesta quarta-feira (7), que o novo programa de combate ao crack visa seguir o modelo de internação involuntária já adotado por São Paulo e Rio de Janeiro. O plano Crack, É Possível Vencer! terá investimentos de R$ 4 bilhões em atuação conjunta do governo federal, Estados e municípios.

Governo lança plano de R$ 4 bilhões para combate

Brasil está diante de “epidemia de crack”

Leia entrevista com dois dependentes químicos

Conheça clínicas que internam viciados à força

-É fundamental que os trabalhos das equipes dos consultórios de rua façam como já é feito em São Paulo para garantir o que a lei estabelece sobre a internação involuntária. Nós somos favoráveis à internação involuntária como medida de proteção a vida em casos de intoxicação grave ou risco de vida, abstinência séria. Os especialistas que vão indicar qual o melhor serviço.

Durante a cerimônia no Palácio do Planalto, que teve a presença da presidente Dilma Rousseff, o ministro ainda citou que o país está diante de uma epidemia de crack. Segundo ele, entre 2003 e 2011 o atendimento a pessoas usuárias de droga na rede de saúde aumentou dez vezes.

O novo programa vai complementar as ações do Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack, lançado no ano passado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Entre as ações previstas para a área de saúde está a criação de enfermarias especializadas nos hospitais do SUS (Sistema Único de Saúde), com investimentos de R$ 670,6 milhões para a criação de 2.462 leitos destinados ao tratamento de usuários de droga.

A luta contra o crack foi uma das principais bandeiras de campanha de Dilma em 2010, quando ela concorreu à Presidência. Durante o lançamento do plano, ela deu um recado aos pais e mães de dependentes da droga.

- Quero dizer que nós todos temos que fazer da dor deles a nossa e, ao fazer isso, ter clareza de que vamos fazer tudo que estiver ao nosso alcance para a recuperação desses filhos e filhas.

REBOCO DE CRECHE CAI E MATA CRIANÇA


Parte do reboco de uma creche municipal de São Bernardo do Campo, no ABC, desabou no início da tarde desta quarta-feira (7). Segundo informações da Prefeitura de São Bernardo, uma criança foi atingida e morreu.

A creche Francisco Diassis Gomes Teixeira fica na Estrada da Cama Patente, na altura do número 500. A Secretaria de Obras da cidade foi acionada e interditou o local do acidente. A perícia também foi chamada. A Prefeitura informou ainda que a creche havia sido inaugurada em fevereiro deste ano.

A vítima tinha 1 ano e 2 meses de idade. Ela chegou a ser socorrida para o Pronto-Socorro Municipal Central, mas morreu por volta das 16h. O caso foi registrado no 8º Distrito Policial de São Bernardo, como desabamento seguido de morte. "Vamos investigar se houve culpa de alguém, ou não. Temos que ver laudo e ouvir as pessoas ainda", disse o delegado Nelson Noronha Nassif, que acompanha o caso.

IVETE SE RECUPERA DE MINIGITE E RECEBE ALTA

A cantora Ivete Sangalo recebeu alta médica na tarde desta quarta-feira (7), após ficar internada por três dias no Hospital Aliança, em Salvador. A recomendação dos médicos é para que Ivete fique em repouso por cerca de 20 dias para retomar suas atividades normais.

"Assumi um compromisso com a equipe médica de que vou manter o repouso", disse Ivete antes de deixar o hospital.

A previsão inicial era de que a cantora recebesse alta após 72 horas, mas, segundo os médicos, a liberação foi antecipada porque eles receberam alguns exames nesta quarta-feira e todos os resultados foram bons.

Aguardada pelos fãs que faziam vigília em frente ao hospital e cantavam os sucessos da cantora, Ivete chegou a brincar. "Minha gente isso aqui é um hospital", disse. "Para ficar doente é preciso ter saúde e isso eu tenho", completou.

Esta manhã, os médicos que acompanham Ivete informaram que ela vem melhorando. “Está confirmado, nós temos inclusive um novo liquor, que confirmou que é uma meningite linfocitária viral. O quadro dela já é estabelecido e isso tranquilizou muito tanto a equipe quanto a paciente. Tem sintomas de dor de cabeça, ela toma medicação para dor de cabeça, sente um pouco de náusea, toma medicações... É o que a gente chama de medicações sintomáticas, para os sintomas que ela apresenta”, explicou Antônio Carlos Bandeira, médico infectologista.

Ainda abatida, mas brincando com os fãs que fazem vigília do lado de fora do hospital, ela explicou como passou desde a descoberta da doença. "Os dois primeiros dias foram difíceis por causa da dor de cabeça, uma dor fulminante que eu nunca tinha sentido. Por isso a minha preocupação", comentou a cantora.