quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Dilma quer acabar com a pobreza matando o pobre de fome reduzindo salario em 30%


Deu no G17
O Governo Dilma vai lançar o Programa do Emagrecimento, cuja meta é deixar o povo mais magro, em razão do IBGE ter apontado altos índices de obesidades nas cidades brasileiras. O programa federal vai reduzir o salário dos funcionários públicos, aposentados e pensionistas, para que todo brasileiro coma menos, e com isso emagreça.

“Para diminuir a obesidade é preciso diminuir o salário do povo, porque com pouco dinheiro o brasileiro come menos e emagrece”, disse a presidente Dilma durante o lançamento do Programa do Emagrecimento.

Para diminuir o peso dos brasileiros em 30%, o governo diminuirá o salário das pessoas em 30%. O Senado e a Câmara Federal aprovaram a ideia, mas alguns opositores criticaram: “Se retirarem 30% do salário do povo, ninguém vai emagrecer, mas sim morrer de fome, porque o teto salarial já obriga o brasileiro a fazer regime forçado”, disse um Senador da oposição.

Reduzam o salario da presidente ela tá obesa.

Psicólogo que provocou o acidente de Carla Lopes presta depoimento na Central de Policia

O psicólogo Eduardo Henriques Paredes do Amaral, 32 anos, prestou depoimento na manhã desta quarta-feira (31), ao delegado Nélio Carneiro, na Central de Polícia, em João Pessoa.

O delegado Nélio Carneiro informou que o psicólogo continua sendo o principal suspeito pela morte de Maria José dos Santos, 50 anos, no dia 21 de junho de 2010. "Agora, ele realmente está sendo investigado e apontado como o principal suspeito."

O inquérito deve ser concluído em, no máximo, 10 dias.

o advogado de defesa de Eduardo Paredes, Abraão Beltrão, informou a imprensa que naquela noite de 21 de junho de 2010, Eduardo teria ido a uma festa com o primo e só bebido refrigerante. Com o primo, que ele não quis identificar, teria ingerido bebida alcóolica, ele se ofereceu para levar o carro.

Ainda segundo o advogado, Paredes teria dado carona a duas mulheres que moravam no bairro de Mangabeira, na Capital. Ele as deixou em casa e, na volta, o carro teria dado uma pane elétrica no bairro dos Bancários. Como a bateria do celular dele havia descarregado, ele estacionou o carro e foi para um orelhão tentar falar com o primo.

Quando voltou ao local que estava o carro, notou que ele havia sido roubado. Segundo Abraão, Eduardo conseguiu ligar novamente para o primo e pedir ajuda. Ele ainda teria acionado a seguradora no mesmo momento do crime, por volta das 03h da manhã.

Eduardo Paredes só prestou queixa à polícia cerca de 12 horas depois, por volta das 15h.

Eduardo é o principal acusado de provocar o acidente de trânsito que matou a defensora pública Fátima Lopes, no dia 24 de janeiro de 2010. Eduardo Paredes também está sendo suspeito de provocar um outro acidente, no dia 21 de junho do ano passado, na Avenida Hilton Souto Maior, no bairro de Mangabeira.
De acordo com denúncias, Paredes pode estar envolvido em um atropelamento ocorrido na madrugada do dia 21 de junho do ano passado, na Avenida Hilton Souto Maior, no bairro de Mangabeira, que resultou na morte de Maria José dos Santos, de 50 anos, e ferimentos em seu namorado Aluísio Marcos da Silva, de 49 anos, policial militar reformado.

Segundo informou o delegado Nélio, o psicólogo está sendo investigado como possível condutor do veiculo atropelador, um Citroen C4 Palace, placas MOA 3793-PB.

“Estamos investigando para descobrir se de fato o Eduardo dirigia o veículo que atropelou o casal, já que ele alegou que o carro tinha sido roubado pouco tempo antes, no bairro dos Bancários, após ter sofrido um problema mecânico”, explicou a autoridade policial, ressaltando que o inquérito estava na Justiça que decidiu reabrir o caso.

Caso Fátima Lopes

Fátima Lopes

O psicólogo Eduardo Henriques Paredes do Amaral é acusado de provocar o acidente automobilístico ocorrido na manhã do dia 24 de Janeiro de 2010, na Avenida Epitácio Pessoa, que resultou na morte da defensora pública Fátima Lopes e ferimentos em seu esposo engenheiro Carlos Martinho Vasconcelos.


Sequestradora de criança na Paraíba foi pega em Pernambuco

Cleone Teles da Conceição
Cleone Teles

Cleone Teles da Conceição foi presa nesta segunda-feira (29) no município de Sertânia, em Pernambuco (próximo à divisa com a Paraíba), após sequestrar uma criança de dois anos no municípo de Monteiro, no Cariri paraibano.

De acordo com informações da Polícia, uma ação integrada entre as corporações dos dois estados resultou na rápida prisão da sequestradora.

Cleone sequestrou a criança ao encontrar três irmãos que eram cuidados pela irmã mais velha de 13 anos brincando na rua. Ela prometeu doces e sorvetes para que os três a acompanhassem. Após distribuir as guloseimas, Cleone conseguiu ficar com a criança menor de dois anos.

Se passando pela mãe, ela usou um mototaxi para ir até a divisa entre a Paraíba e Pernambuco e depois seguiu de ônibus para o município de Sertânia.

Após investigações, as Polícias da Paraíba e Pernambuco conseguiram localizar a sequestradora em Sertânia. Cleone já estava planejando sair de cidade.

A criança foi devolvida aos pais, em Monteiro. Em depoimento, a sequestradora confessou o crime e disse que teve uma gravidez frustrada no ano passado e que pretendia criar a criança sequestrada como se fosse seu filho, na sua cidade, Calumbi, em Pernambuco.

Ela vai responder pelo crime de subtração de incapaz e pode ser condenada a seis anos de prisão.

Bandidos assaltam e matam idoso de 70 anos em João Pessoa


Dois elementos de 18 e 19 anos de idade foram presos na noite da tera-feira (30) em João Pessoa, sob suspeita de envolvimento em três assaltos seguidos de um assassinato em frente a uma faculdade. O crime aconteceu na BR-230, no bairro Pedro Gondim.

De acordo com a Delegacia de Homicídios da capital, a vítima do assassinato foi um idoso que presenciou os assaltos. Dois jovens teriam se aproximado da faculdade à bordo de uma motocicleta e assaltado três estudantes que chegavam para assistir às aulas.

Antes de fugir, os assaltantes atiraram para assustar os pedestres, porém os tiros atingiram Samuel Batista de Vasconcelos, de 70 anos, que caminhava em direção a uma passarela para atravessar a rodovia. O idoso morreu no local.

Horas mais tarde, policiais militares encontraram os dois suspeitos de participação nos crimes em um bairro próximo, o São José. Um dos jovens teria dirigido a moto e facilitado a fuga, enquanto o outro se encarregava de roubar os objetos e disparar tiros para fugir sem que a dupla fosse seguida. Também foram recuperados dentro de uma casa os objetos que teriam sido furtados dos estudantes.

Os dois jovens foram levados para a Delegacia de Homicídios de João Pessoa e passaram a noite detidos. Eles deverão ser submetidos a um processo de reconhecimento nesta quarta-feira (31) por parte das vítimas dos assaltos.