quarta-feira, 13 de julho de 2011

A Cruz Vermelha administra o trauma e dobra o numero de atendimento

O Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa deve dobrar o número de atendimentos – saindo do atual patamar, de 4.500/mês, para 9 mil pacientes mensais nos próximos seis meses. As cirurgias, que atualmente atingem média mensal de 350, devem subir para 600/mês.

Estas são algumas metas estabelecidas entre a Saúde estadual e os gestores da Cruz Vermelha, que passa a administrar o maior hospital da Paraíba.

Os dados foram divulgados hoje secretário Waldson Sousa (Saúde) em coletiva concedida no Trauma. Além de antecipar as metas do acordo, ele voltou a afirmar que o contrato não significa uma terceirização.

Sousa explicou que, apesar de ser gerenciado pela Cruz Vermelha, um conselho será instalado para nortear as ações, que serão fiscalizadas pela Saúde estadual.

O secretário também informou que a Cruz Vermelha contratada pelo Governo da Paraíba é a mesma instituição conhecida internacionalmente e os executivos presentes no Estado fazem parte de seccional no Rio Grande do Sul.

Ele rebateu denúncias de corrupção na organização.

“É uma informação desqualificada porque essa organização não tem fim lucrativo”, garantiu.

Também presente na coletiva, o gestor da Cruz Vermelha, Edmon Gomes, além de reforçar que desconhece denúncias de desmandos, já conseguiu realizar melhorias no Trauma local.

“Não existe mais pacientes nos corredores”, garantiu.

Gomes ainda confirmou que não convocará médicos de outros estados e que formalizará o vínculo dos profissionais de saúde que atuam com contratados.

“Todos passarão a ter vínculo pelo regime CLT”, finalizou.


Polícia apreende 18 quilos de drogas enterradas dentro de tonel

    Políciais militares da Força Tática do 7º Batalhão aprenderam, neste domingo (22), aproximadamente 18 kg de uma substância se...