sexta-feira, 17 de junho de 2011


A Polícia Civil do Rio Grande do Sul libertou na noite de quinta-feira (16) uma socióloga de 34 anos e o filho dela, um menino de 2 anos, que eram mantidos em cárcere privado havia três dias em um ponto de venda de drogas no Campo da Tuca, na Zona Leste de Porto Alegre.

Segundo o delegado Rodrigo Zucco, do Departamento de Investigação do Narcotráfico (Denarc) gaúcho, a mulher é viciada em crack e foi até o local na segunda-feira (14) adquirir drogas, quando foi detida pelos criminosos.

“Ela é de classe média-alta e estava bem-vestida, em um carro Fox, modelo novo, e usava joias. Os traficantes renderam ela e a doparam, vendendo o carro e todas as roupas e joias que ela usava”, diz o delegado ao G1.

criança resgate (Foto: Denarc-RS/Divulgação)Criança e mulher foram retiradas de casebre onde
havia venda de drogas (Foto: Denarc-RS/Divulgação)

A família da socióloga procurou a polícia após o desaparecimento informando que ela era viciada em crack e poderia estar em algum ponto de tráfico. “Recebemos a informação de onde seria o local do cativeiro e passamos a monitorar. Quando chegamos lá, ela estava dopada, usando roupas sujas e a criança estava chorando, sem comida, e passando frio”, acrescenta Zucco.

A polícia acredita que a intenção dos traficantes era exigir o resgate dos reféns aos familiares após alguns dias do desaparecimento. O menino foi entregue á avó materna, que tem a guarda da criança. A socióloga foi internada compulsoriamente para tratamento sob determinação médica e da família.

Um homem, proprietário da casa e que fazia a guarda dos reféns, foi preso pelo Denarc.

Prefeita de Conde discute medidas para ampliar a segurança no município

  A prefeita de Conde Márcia Lucena reuniu-se na manhã desta terça-feira (5) com autoridades policiais do Estado para discutir a amp...