sábado, 11 de junho de 2011

Bombeiros fazem campanha para arrecadar 600 mil assinaturas a favor da anistia


Os Bombeiros do Rio de Janeiro farão uma campanha para arrecadar 600 mil assinaturas no Estado, informou na tarde deste sábado (11) o deputado estadual Flávio Bolsonaro (PP). Com a lista completa, os parlamentares farão um projeto de lei pedindo a anistia dos agentes que ficaram presos uma semana e foram denunciados pelo Ministério Público do Rio.

A lista de assinaturas passará por diversos municípios de todo o Estado fluminense. Os bombeiros esperam que a ajuda da população mais uma vez impulsione medidas benéficas à manifestação da classe que luta por melhorias de trabalho e aumento salarial.

Por volta das 9h deste sábado (11), cerca de 400 bombeiros deixaram a prisão marchando e cantando o hino dos bombeiros. Com cartazes pedindo a anistia aos presos, muitos choraram enquanto cantavam o hino dos bombeiros e o hino nacional. Uma queima de fogos homenageou os militares.

Um dos agentes falou rapidamente com a equipe da Rede Record e bateu continência antes de se despedir para continuar a manifestação.

- É muita emoção. Só queremos a liberdade, voltar para nossas famílias, nossos amigos e ao trabalho. Sabíamos que éramos queridos, mas não tanto.

Entenda o caso

Por volta das 20h da última sexta-feira (3), cerca de 2.000 bombeiros - muitos acompanhados de mulheres e crianças - ocuparam o Quartel Central da corporação, no centro do Rio de Janeiro. O protesto, que havia começado no início da tarde em frente à Alerj (Assembleia Legislativa), durou toda a madrugada.

A principal reivindicação da categoria é aumento salarial de R$ 950 para R$ 2.000 e vale-transporte. A causa já motivou dezenas de paralisações e manifestações desde o início de abril. Seis líderes dos movimentos chegaram a ser presos administrativamente em maio, mas foram liberados.

Professora é flagrada em motel com aluno de 15 anos; marido chamou a polícia

Uma professora de 38 anos foi detida na companhia de um aluno de 15 anos em um motel na Rodovia Lúcio Meira, em Barra do Piraí, no Sul Fluminense, a 120 quilômetros da capital. Foi o marido da professora quem fez a denúncia à polícia e avisou à imprensa - inclusive o Estado.

"Vai dar na primeira página de todos os jornais. Pode ir na delegacia, que ela já está lá", disse no telefonema dado no fim da manhã, numa atitude que surpreendeu até mesmo os policiais que registraram a ocorrência.

O casal vive em Volta Redonda, cidade vizinha de Barra do Piraí. Segundo a Polícia Militar, desconfiado de que a mulher estava mantendo um caso extraconjugal, o marido instalou um aparelho GPS no carro dela e a seguiu até o Motel Chalé, no bairro Califórnia.

Prefeita de Conde discute medidas para ampliar a segurança no município

  A prefeita de Conde Márcia Lucena reuniu-se na manhã desta terça-feira (5) com autoridades policiais do Estado para discutir a amp...