quarta-feira, 13 de abril de 2011

Vai faltar água no Conde


A Coordenação da CAGEPA (companhia de água e esgoto da Paraíba), da cidade de Conde informa aos usuários que:
Devido as fortes chuvas, o rio Boa Água transbordou e cobriu quatro bombas, por conta deste incidente tivemos que pará o bombeamento, uma vez que a água ficou muito poluída. Logo que baixar o volume de água do rio, voltaremos ao funcionamento normal.
Atenciosamente a CAGEPA.

Família responsabiliza médico por morte de bebê indígena na Frei Damião

Maternidade Frei Damião
Maternidade Frei Damião

Um bebê indígena morreu após a mãe entrar em trabalho de parto e, segundo a avó da criança, não ter sido atendida devidamente pelo médico da maternidade Frei Damião, em João Pessoa.

De acordo com denúncia da repórter Ívyna Souto, do Portal ClickPB, a avó da criança contou que trouxe a filha à Frei Damião no último sábado (9) sentindo dores e o médico que teria atendido teria dito que o bebê não nasceria naquele momento, aconselhando-as a voltar para casa, uma aldeia em Marcação, no Litoral Norte do Estado.

Mãe e avó voltaram para casa com a gestante ainda sentindo dores. Na madrugada do domingo (5), a grávida começou a sangrar e a mãe dela alugou um carro e a trouxe para ser atendida desta vez na maternidade Cândida Vargas, também na Capital.

Na Cândida Vargas, o médico que atendeu a jovem indígena disse que o bebê não apresentava sinais de vida e ela teve que fazer uma cesariana para retirada da criança morta.

A Fundação Nacional do Índio ao tomar conhecimento do caso passou a investigá-lo, mas o médico da Frei Damião ainda não teria sido identificado.

A família irá responsabilizar judicialmente o médico da Frei Damião por negligência médica.

A maternidade ainda não teria se manifestado sobre o fato.

Três prefeitos da Paraíba escapam de ter seus mandatos cassados no Tribunal Regional Eleitoral


O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) manteve nos cargos, durante sessão desta terça-feira (12), os prefeitos dos municípios de Fagundes, Gilberto Muniz Dantas; de Pitimbú, José Rômulo Carneiro e de Gurjão, José Martinho Cândido. Os juízes entenderam que não existiam provas suficientes contra os gestores e indeferiram os pedidos de cassação dos mandatos.

No primeiro caso, o prefeito de Fagundes estava sendo acusado pela Coligação “Muda Fagundes” de ter supostamente ajudado a sua mulher a assumir uma vaga na Câmara Municipal depois de renúncia de um dos vereadores. O relator do processo, o juiz João Ricardo Coelho, entendeu que as provas que constavam nos autos não eram suficientes para cassar o mandato do prefeito. O voto do relator foi acompanhando pelo restante da Corte.

No caso de Pitimbú, o prefeito estava sendo acusado de captação ilícita de sufrágio e uso de bens públicos na época da eleição. Assim como no caso de Fagundes, o relator João Ricardo Coelho também entendeu que não existiam provas substanciais para que fosse cassado o mandato do gestor municipal. Todos os juízes acompanharam o voto do relator pela manutenção do mandato.

O deputado Branco Mendes (DEM) justifica a falta na Assembleia Legislativa


Mais uma vez a falta de quórum na Assembleia Legislativa prejudicou a votação de projetos encaminhados pelo Poder Executivo. Nesta quarta-feira (13) deveriam ter sido votados dois projetos considerados importantes para o governo estadual, o que cria o Empreender Paraíba e o Paraíba Integrada. Entretanto, nem mesmo os deputados estaduais da bancada de situação estavam presentes na Casa Legislativa.

O deputado Branco Mendes (DEM) justificou a ausência da base situacionista. “Muitos deputados tiveram que fazer viagens de urgência. O próprio líder da bancada teve que ir à Sousa acompanhar o governador Ricardo Coutinho que está na cidade hoje (quarta-feira)”, informou o democrata.

O “Paraíba Integrada” promove a integração nos ônibus intermunicipais do Estado e o Empreender é um programa de micro-crédito para pequenos e micro empreendedores.