quinta-feira, 24 de março de 2011

No Conde: Casal de idoso tem sua privacidade violada pela proprietária do imóvel

O inquilino Olavo Camilo de Souza Araújo conhecido como sapateiro irmão Camilo o mesmo consertar sapatos em sua residência próximo a fabrica de cola no loteamento Nossa Senhora da Conceição na cidade de Conde, de 54 anos o aposentado na manhã do dia 17 de março, quinta-feira passada, teve a casa invadida pela proprietária (do imóvel) a srª. Guiomar Pereira (professora), se achando no direito pediu ao morador licença para fazer algumas reformas na casa, retirou todo o telhado para mudar o madeiramento deixando a casa a céu aberto.

Sr. Camilo ficou aborrecido pela demora do serviço, procurou a nossa equipe, pedindo ajuda. Já faz 08 dias que esta ao relento como nas fotos, seus móveis e pertences coberto apenas com plásticos, dormindo no chão sem poder armar a cama, e para completar hoje choveu e molhou tudo. Ele e sua esposa que também é uma senhora de idade nos falaram que o aluguel estava todo em dia e que esta procurando uma casa para alugar por que já não aguenta mais tanta humilhação.






Assim que a reportagem foi ao ar na Rádio J.A a população ficou indignada com o que aconteceu com o evangélico Camilo, O assessor(Donato Maranhão) do vice- prefeito Dr. Quintino ligou na hora oferecendo um advogado para esclarecer o caso e procurar os direitos do irmão Camilo.

“Ora mesmo que o inquilino estivesse em débito, a lei é clara. O proprietário do imóvel teria que por escrito, pedir ao inquilino que saísse do imóvel, o mesmo ainda teria que dar um prazo de 03 meses (que corresponde a 90 dias), só ai é que ele seria despejado da residência”. Com a ordem de despejo. Isso chama-se " invasão de domícilio", mesmo que ela seja a proprietária.

Você pode conferir nas fotos o absurdo que a proprietária (do imóvel) a Guiomar cometeu ao casal de idoso.

Até o fechamento dessa reportagem( 24 de março) o caso ainda não tinha sido resolvido.

Ficha limpa nas eleições de 2010 STF invalida


Por 6 votos a 5, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quarta-feira (23) que a Lei da Ficha Limpa não deveria ter sido aplicada às eleições do ano passado. A norma, que barra a candidatura de políticos condenados por decisões de colegiados, entrou em vigor em junho de 2010, e tem seus efeitos adiados para as eleições de 2012.

Os ministros julgaram recurso do ex-secretário municipal de Uberlândia Leonídio Bouças (PMDB-MG), condenado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG) por improbidade administrativa. Bouças teve o registro de candidato deputado estadual negado pela Justiça Eleitoral com base na lei e recorreu ao Supremo.

A maioria dos ministros do STF entendeu que a lei interferiu no processo eleitoral de 2010 e não poderia ser aplicada em uma eleição marcada para o mesmo ano de sua publicação.

A norma entrou em vigor no dia 7 de junho do ano passado, quatro meses antes do primeiro turno eleitoral. De acordo com o artigo 16 da Constituição Federal, uma lei que modifica o processo eleitoral só pode valer no ano seguinte de sua entrada em vigor.

Com o julgamento desta quarta, os ministros estão agora autorizados a decidir de forma individual outros recursos semelhantes com base na posição fixada pelo plenário. Tramitam no STF 30 recursos que atacam a Lei da Ficha Limpa.

Com isso, a composição do Congresso Nacional deve ser alterada, porque políticos que concorreram sem registro e obtiveram votos suficientes para se eleger poderão reivindicar os mandatos para os quais foram eleitos.

Nesses casos, a Justiça Eleitoral – em Brasília e nos estados – terá de refazer o cálculo dos votos do legislativo para ver quem deve deixar o cargo e quem terá o direito de assumir.

Na prática, a decisão beneficiará políticos com processos semelhantes, como o ex-deputado Jader Barbalho (PMDB-AP) e Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), por exemplo, que concorreram nas últimas eleições e, mesmo barrados pela Lei da Ficha Limpa, obtiveram votos suficientes para se eleger ao Senado por seus estados.

De virada, Flu e Deco renascem na Libertadores: 3 a 2 sobre o América


O Fluminense entrou em campo, nesta quarta-feira, sabendo que a vitória era essencial para continuar dependendo apenas de si na Libertadores. A torcida, que compareceu em pequeno número (13.158 presentes), fez seu papel e apoiou do primeiro ao último minuto. Até jogadores que vinham sendo vaiados, como Julio Cesar, tiveram seus nomes gritados. Mas foi sofrido. Evocando mais uma vez o lema “time de guerreiros”, o Tricolor ficou duas vezes atrás do placar, mas conseguiu a vitória sobre o América-MEX por 3 a 2 e segue vivo na competição, graças a Deco. Fora do time há dois meses, por conta de uma lesão na coxa, o meia marcou o gol da vitória aos 42 do segundo tempo. Também foi dele o passe para o gol de Araújo, que empatou a partida aos 34 (Gum fez o outro do Flu. Sanchez e Digão, contra, marcaram para o time mexicano).

Com o resultado, o Fluminense fica com cinco pontos e assume a terceira posição do Grupo 3. O América-MEX segue em segundo, com seis, logo atrás do Argentinos Juniors, que tem sete.

Perdemos 90% do enxoval', diz pai de bebê que nasceu com 6,7 kg na BA


Perdemos 90% dos enxoval que compramos para nosso filho. Só conseguimos usar algumas poucas peças, as maiores", disse Carlos Eduardo Mendes Correia, 22 anos, pai do bebê Gustavo, que nasceu no sábado (19), com 6,7 quilos e 54 centímetros. A mãe, a dona de casa Ana Lúcia da Silva Pereira, 22 anos, recebeu alta nesta quarta-feira (23), mas a criança, que nasceu de cesariana, permanece internada no Hospital e Maternidade Iperba, em Salvador.

O menino provocou um susto na mãe, que não esperava por uma criança tão grande. "Ela ficou assustada com o tamanho e com o peso dele", disse o pai. Ele afirmou ainda que o enxoval que não serviu para o filho será doado para uma amiga, que acabou de ter um filho. "Acho que o material vai ter mais serventia para ela."

Vereadores moralistas querem fechar a locadora de mulher de Cajazeiras


Os raparigueiros de Cajazeiras e vizinhança que esperavam com ansiedade a inauguração da locadora de mulher na cidade, nesta sexta, estão correndo o risco de perder a festa por causa da moralista Câmara de Vereadores, que quer barrar o empreendimento sob a alegação de que a tal locadora poderá concorrer para o aumento do tráfico de mulheres e do consumo de drogas.

Alguns vereadores, a exemplo do presidente da Câmara, Marcos Barros (DEM), e do colega de bancada, Moacir Menezes (DEM), se posicionaram contra o novo negócio na cidade. Moacir chamou atenção para o problema da prostituição e do tráfico de drogas, uma vez que, segundo o parlamentar, esse tipo de negócio pode facilitar essas práticas ilícitas. Na tribuna da Casa, ele disse que é preciso saber o que existe por trás de tudo e alertou os colegas para os problemas futuros que este comércio pode gerar no município.

O parlamentar convocou a sociedade organizada para tomar uma posição e afirmou que, se preciso, irá acionar o Ministério Público para que haja uma investigação sobre o que está buscando se implantar em Cajazeiras. "Debatemos nessa Casa o combate às drogas e precisamos agora, também, combater a prostituição", disse Moacir. O presidente da Câmara apoia o colega vereador no caso em questão.

Já para o vereador Severino Dantas (PT), o nome do estabelecimento (locadora de mulher) já é um desrespeito e uma afronta às mulheres de Cajazeiras. Pivô da polêmica, a dona do estabelecimento, Carla Simone Braga, afirmou que não vê nenhum problema em abrir um tipo de negócio que já é comum em toda a Região Nordeste. "Não vim causar transtornos, nem afrontar a sociedade de Cajazeiras", disse, negando a existência de mulheres com menos de 18 anos no "negócio".

Valeu a pena esperar a volta”, diz Cássio, que promete honrar mandato de senador


O ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB) está em Brasília onde acompanha o julgamento da Lei da Ficha Limpa pelo Supremo Tribunal Federal. Ele está acompanhado do vice-governador Rômulo Gouveia e do deputado federal Romero Rodrigues (ambos do PSDB). O tucano assistiu o julgamento de uma dos apartamentos do Hotel Meliá, na Capital da República.

“Valeu a pena esperar a volta”, disse o tucano, em lágrimas, após voto do Ministro. De mão ao telefone, Cássio ligou imediatamente para o pai, o ex-governador Ronaldo Cunha Lima, com que desabafou.

Poucos minutos depois do voto de Fux, manifestações começaram a ser registradas em bairros da periferia de Campina Grande. Entre os familiares, um dos mais empolgados na comemoração é o irmão do tucano, o advogado Ronaldinho Cunha Lima.

Cássio deve chegar em Campina nesta quinta-feira. "Chego em Campina Grande no vôo da Gol por volta das 16:50 hs". Após o voto do ministro Luiz Fux, no Supremo Tribunal Federal, campinenses já comemoram a possível posse de Cássio Cunha Lima no Senado.

PRF aponta irregularidades em veículos escolares de 20 Municípios e do Estado

O Ministério Público da Paraíba recebeu, na última segunda-feira (16), um relatório da Polícia Rodoviária Federal com informações rela...