quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Salários atrasados gera tumulto de servidores no Banco do Brasil de Monteiro


Centenas de funcionários da Prefeitura Municipal de Monteiro que foram a agencia do Banco do Brasil na manhã desta terça-feira, sacar os salários referentes ao mês de outubro, ficaram revoltados com a falta de informação por parte da administração municipal.

O fato é que a Secretária de Administração e de Finanças do município de Monteiro, Renata Sarmento, havia confirmado ontem que nesta terça-feira (09), estaria creditado nas contas dos servidores municipais o pagamento da remuneração referente ao mês de outubro, o que não ocorreu.

Foram pagos hoje apenas os salários referentes "a verba carimbada" do Governo Federal para a área da saúde. A maioria dos servidores ficou mesmo sem pagamento. A insatisfação é muito grande entre os funcionários.

Ainda há a informação, não confirmada pela falta do crédito em conta, de que todas as gratificações foram cortadas, inclusive a dos funcionários efetivos que têm mais de 10 anos de serviço público e que já haviam sido incorporadas ao salário.

Veneziano revela desejo de firmar parceria com Ricardo Coutinho

A possibilidade de manter e firmar novas parcerias com o governo do Estado, a partir de 2011, foi levantada nesta quarta-feira, 10, pelo prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo, ao ser questionado pela imprensa sobre como será o seu relacionamento com o futuro governador da Paraíba, Ricardo Coutinho.


“Renovo minhas esperanças de formular parcerias efetivas com o governador Ricardo Coutinho. Espero, ainda, que o futuro governante estadual atende às justas reivindicações de todos os paraibanos”, destacou.

Em relação ao vice-governador eleito, o deputado federal Rômulo Gouveia, Veneziano disse esperar que “ele faça, agora, não condição de vice, o que não fez por Campina Grande ao longo do seu mandato de deputado federal”. Em seguida, questionou: “Quem sabe se não é uma boa oportunidade para ele se recompor com a cidade?”.

De acordo com o prefeito campinense, o relacionamento com o futuro governo será responsável e respeitosa, pois “haverá de fazer, no campo político, uma oposição civilizada e responsável”, garantindo que da parte dele e de seus aliados jamais “serão criados transtornos” para o futuro governante

Para internautas, José Maranhão não vai facilitar transição de Ricardo


Os internautas paraibanos estão pessimistas quanto a uma relação amistosa neste período de transição entre o governador José Maranhão (PMDB) e o futuro governador Ricardo Coutinho (PSB).

Nada menos do que 62,79% dos votantes da última enquete do portal MaisPB acreditam que o peemedebista não vai facilitar a transição, enquanto que 37,21% acreditam que haverá um processo tranquilo na mudança de cargo.

Ricardo Coutinho foi eleito governador numa disputa contra José Maranhão, mas só assume o Governo em janeiro de 2011. Neste meio termo, ele pretendia se inteirar sobre as informações estatais e chegou a nomear uma comissão de transição com cinco nomes.

Ele espera agora que o atual governador nomeie sua própria equipe, para que ambas conversem sobre os assuntos essenciais do Estado. Algo que até agora não aconteceu.

O leitor, agora, já pode votar na outra enquete: Você acha que o julgamento de Cássio no STF acontece antes da posse dos senadores?

É importante lembrar que as enquetes não têm valor científico e expressam exclusivamente a opinião do leitor do portal.

Banco de Silvio Santos é acusado de fraude bilionária

Depois de descoberta fraude de R$ 2,5 bilhões na contabilidade do Panamericano, pertencente ao Grupo Silvio Santos, o banco pediu empréstimo a Caixa Econômica Federal. O rombo corresponde a cerca de 40% de um montante de R$ 6,5 bilhões, dos quais R$ 1 bilhão estava aplicado em consignado, e o restante em crédito.

O banco vai ficar com pouco mais de R$ 3 bilhões em caixa. Antes do aporte, o banco já tinha R$ 1,2 bilhão em caixa. O problema do Panamericano não foi de solvência, mas sim de desequilíbrio patrimonial.

Segundo o iG apurou, o que levou o Banco Central a determinar o aporte de R$ 2,5 bilhões no banco foi um problema contábil de desequilíbrio entre ativo e passivo.

Ou seja, o que o BC identificou, foi uma inconsistência contábil patrimonial, e não um problema financeiro.

SBT como garantia

Um dos principais motivos que levaram o Banco Central e a Caixa Econômica Federal a aprovar o empréstimo de R$ 2,5 bilhões ao Grupo Silvio Santos para salvar o Panamericano foi o fato de o empresário ter dado como garantia a sua TV, o SBT, que é a terceira no ranking de audiência no País.

Segundo o iG apurou, só o SBT fatura por ano R$ 2,5 bilhões, que foi o valor do empréstimo contraído por Silvio Santos junto ao Fundo Garantidor de Crédito para ser injetado no Panamericano.

Caixa pode assumir banco

A Caixa Econômica Federal deve se tornar a controladora do banco Panamericano, depois de descoberta a fraude de R$ 2,5 bilhões na instituição. O banco estatal já detém 49% do capital votante e 20,69% das ações preferenciais, mas não tinha ingerência na gestão do banco.

Com a descoberta da fraude, toda a diretoria do Panamericano foi afastada e novos diretores foram nomeados hoje mesmo. Toda a nova diretoria já foi indicada pela Caixa. O novo diretor superintendente, Celso Antunes da Costa, era diretor da Nossa Caixa.

Vereadores de oposição de Alhandra fazem duras cobranças ao prefeito Renato Mendes

O vereador Edielson Nunes do PMDB da cidade de Alhandra usou da tribuna da casa na noite desta segunda-feira (20.11), cobrando ...