sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Homem faz filho refém em troca de crack


O viciado em drogas, Janderson Silva Ribeiro, de 18 anos, foi preso na madrugada desta quinta-feira (28) no bairro Castelo Branco, em João Pessoa, acusado de manter o filho de dois meses refém.

Janderson pediu R$ 10,00 à mulher para comprar crack, mas ela disse que não tinha a quantia. Inconformado, o rapaz tomou o filho dos braços da mãe e falou que só o devolveria em troca do dinheiro.Desesperada, a mulher acionou a polícia.

Quando a polícia chegou ao local, Janderson estava trancado com a criança no quarto e se recusou a entregá-la. Após esgotar as negociações, os policiais arrombaram a porta.

O viciado se entregou e devolveu a criança, que estava cheia de hematomas nos braços, à mãe.

Janderson foi levado à Delegacia da Infância e Adolescente e será transferido para o presídio. Ele confessou que já tem passagem pelo Centro Educacional do Adolescente (CEA) por assalto e tentativa de homicídio.

Escola Pública de Trânsito vai garantir CNH gratuita para candidatos carentes

Escola Pública de Trânsito
(Foto: Secom PB)

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran/PB) estará oferecendo, dentro em breve, cursos gratuitos para os candidatos à Carteira Nacional de Habilitação (CNH) que obedeçam aos critérios de carência determinados por lei. O benefício será garantido pela Escola Pública de Trânsito, que já se encontra em construção nas dependências da sede do órgão, no bairro de Mangabeira.

A implantação da Escola Pública de Trânsito foi determinada por um decreto governamental publicado no Diário Oficial do dia 16 de outubro. Caberá à escola a formação dos candidatos à CNH, bem como a realização de cursos de capacitação e reciclagem. As funções da Escola Pública de Trânsito são bem mais amplas e envolvem ações educativas e atividades permanentes de pesquisa, sobretudo o que envolve o Sistema Nacional de Trânsito.

Escola Pública de Trânsito
(Foto: Secom PB)

Segundo o diretor de Engenharia de Trânsito do Detran, Cristóvão Amaro, o quadro docente será composto por servidores do próprio órgão, que atualmente estão lotados em outros setores, a exemplo da Divisão de Educação para o Trânsito.

Antes mesmo da conclusão da sede, o Detran já adquiriu veículos que serão colocados à disposição da Escola Pública de Trânsito. Nesta sexta-feira, foram apresentados 2 veículos e 2 motocicletas que serão utilizados pelos alunos durante as aulas práticas.

Mais chances de inclusão no mercado de trabalho

Para a chefe da Divisão de Educação para o Trânsito, Francisca Leite, a implantação da Escola Pública de Trânsito é uma reivindicação antiga e que vai beneficiar principalmente candidatos carentes que, através do acesso à Carteira de Nacional de Habilitação, terão mais chances de inclusão no mercado de trabalho. Ela lembrou que, ao oferecer cursos de formação, capacitação e reciclagem para os motoristas paraibanos, o Detran dá um passo importante na construção de um trânsito melhor e mais humano.

Reboque vai evitar pagamento de taxas por veículos apreendidos

Outra novidade foi a aquisição de um caminhão do tipo reboque para transportar os veículos apreendidos durante as ‘blitzen’. O caminhão plataforma ficará à disposição da Divisão de Policiamento de Trânsito, evitando que os proprietários de veículos apreendidos durante as fiscalizações paguem a taxa de reboque. Até então, o reboque era feito por empresas privadas que cobram cerca de 60 reais para transportar carros e motos para o pátio da Companhia de Policiamento de Trânsito ( CPTran).

Coligação de Maranhão acusa prefeitura de João Pessoa de distribuição de cheques


A Prefeitura municipal de João Pessoa está sendo acusada pela coligação Paraíba Unida, que apoia a candidatura do governador José Maranhão (PMDB), de distribuição de cheques para pessoas residentes em outros municípios da Paraíba, com o objetivo de beneficiar a candidatura do ex-prefeito Ricardo Coutinho, da coligação Uma Nova Paraíba.

Conforme a denúncia, tem ocorrido na prefeitura da Capital uma distribuição de auxílios financeiros a mais de 500 famílias, “sem que para isso haja qualquer previsão legal, critério ou mesmo comprovação da destinação dos gastos”.

O caso será apurado pelo Tribunal Regional Eleitoral por meio de uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE). A coligação Paraíba Unida questiona o interesse do prefeito de João Pessoa, Luciano Agra, em ajudar financeiramente pessoas que moram em vários municípios da Paraíba.

“A realidade é que a prefeitura de João Pessoa está sendo inescrupulosamente usada como aparelho de obtenção ilegal de votos, através da concessão de benefícios pecuniários sem qualquer previsão legal, através de cheques”, diz na ação a coligação adversária.

Os benefícios seriam distribuídos com base na lei municipal 9.680/2001, que estabelece condições legais, critérios e requisitos para concessão de ajudas emergenciais a pessoas carentes. No entanto, no entender da coligação Paraíba Unida, as ajudas pecuniárias foram concedidas sem qualquer critério objetivo pela administração municipal.

Um dos beneficiados, de nome Valdery do Nascimento Júnior, recebeu R$ 600,00 no ano de 2009 e em 2010 passou a receber a importância de R$ 1.200,00. O mais grave, segundo a denúncia, é que muitos dos beneficiários não residem nos endereços fornecidos pela prefeitura.

Os autores da ação denunciam ainda a nomeação indiscriminada de eleitores para cargos públicos, numa clara demonstração de utilização da máquina pública em benefício da candidatura de Ricardo Coutinho ao Governo do Estado.