sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Comerciante denuncia 12 policiais por prática de ameaças e tortura


O comerciante Pedro Augusto Costa Nunes, 21 anos, afirma ter sido espancado e ameaçado por um grupo de 12 policiais civis que teriam invadido a casa onde ele mora com a família no bairro do Jardim Paulistano. A vítima acredita que foi pego por engano, já que possui um sobrinho processado por homicídio e que também está sendo acusado de assaltar lojas no Cariri do Estado.

A agressão teria começado por volta das 6h, quando os policiais chegaram na casa localizada na rua Severino Galileu e arrombado a porta da frente, de acordo com informações da família. Havia seis pessoas dormindo na residência quando foram surpreendidos pela invasão e retirados da cama a força. Entre as vítimas está uma criança de seis anos e uma idosa de 63 anos que teve de ser levada ao hospital com um principio de enfarte. Os supostos policiais teriam revirado móveis, roupas e armários à procura de dinheiro e armas.

Comerciante denuncia 12 policiais por prática de ameaças e tortura


O comerciante Pedro Augusto Costa Nunes, 21 anos, afirma ter sido espancado e ameaçado por um grupo de 12 policiais civis que teriam invadido a casa onde ele mora com a família no bairro do Jardim Paulistano. A vítima acredita que foi pego por engano, já que possui um sobrinho processado por homicídio e que também está sendo acusado de assaltar lojas no Cariri do Estado.

A agressão teria começado por volta das 6h, quando os policiais chegaram na casa localizada na rua Severino Galileu e arrombado a porta da frente, de acordo com informações da família. Havia seis pessoas dormindo na residência quando foram surpreendidos pela invasão e retirados da cama a força. Entre as vítimas está uma criança de seis anos e uma idosa de 63 anos que teve de ser levada ao hospital com um principio de enfarte. Os supostos policiais teriam revirado móveis, roupas e armários à procura de dinheiro e armas.

O comerciante Pedro Nunes afirma ter sido algemado e obrigado a entrar a força em uma viatura. “Eles me levaram enganado, queriam que eu entregasse uma pistola e eu não sabia onde estava”, relata. Ele disse ter sido levado ao lixão localizado no bairro do Serrotão, onde ficou por mais de duas horas sob o poder dos policiais. “Botaram seis sacos na minha cabeça, começaram a me sufocar e atirar no chão. Fiquei algemado e de joelhos enquanto me chutavam”, afirma mostrando marcas de ferimentos nas pernas, braços, costas e barriga.

Confira a agenda dos seis candidatos ao Governo da Paraíba desta sexta-feira




Ricardo Coutinho (PSB) - De manhã grava participa de caminhada pelo Renascer, em Cabedelo . À tarde participa de entrevista Rádio Arapuan. À noite faz comícios nos municípios de Coremas, São Bento e Catolé do Rocha.

Marcelino Rodrigues (PSTU) - Durante a manhã faz panfletagem com trabalhadores em agências dos Correios. À tarde, grava para o guia.

José Maranhão (PMDB) - Na parte da manhã faz adesivagem e panfletagem no Rangel e visita ao mercado público do bairro. À tarde participa de buzinaço de carros e motos entre os bairros de Mangabeira e Valentina Figueiredo. À noite, faz comício em Queimadas.

Chico Oliveira (PCB) – Não foi fornecida a agenda do candidato.

Lourdes Sarmento (PCO) - Pela manhã, reunião com o partido. Ao meio dia, concede entrevista. À noite, com o presidenciável Rui Pimenta, vai a debate em sindicato na capital.

Nelson Junior (PSOL) - Pela manhã e tarde, faz panfletagem no centro da cidade. À noite, participa de debate no curso de Comunicação.

Candidatos criticam falta de Maranhão


No primeiro bloco os candidatos se apresentaram e revelaram porque desejam governar a Paraíba. A apresentação foi iniciada pelo candidato do PSTU, Marcelino Rodrigues, que criticou a falta do candidato José Maranhão (PMDB) e revelou ser candidato para mudar a realidade da Paraíba. Ricardo Coutinho (PSB) também criticou a ausência do peemedebista e disse que querer governar o Estado para colocar a Paraíba no rumo do desenvolvimento.

Logo após, Lourdes Sarmento (PCO) disse que quer governar para colocar a máquina a serviço da luta dos trabalhadores da cidade e do campo. Nelson Júnior (PSOL) afirmou que é candidato porque o seu partido tem um novo projeto para a Paraíba. Já Chico Oliveira (PCB) disse ter uma grande meta, fazer com que o Estado funcione.

Cássio entra com representação para que TRE investigue


O candidato a senador Cássio Cunha Lima (PSDB) ingressou com uma representação no Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) pedindo que se investigue o falso torpedo, divulgado nessa quarta-feira (22), que anunciava a sua desistência. O presidente do TRE, Genésio Gomes, já acatou a representação e a encaminhou para o Ministério Público Eleitoral.

Na representação Cássio alegou que foi prejudicado com a falsa informação, motivo que o levou a cobrar providências urgentes.

Na manhã desta quarta-feira várias pessoas foram surpreendidas com mensagens em seus celulares que anunciavam a desistência da candidatura a senador de Cássio Cunha Lima. Os torpedos, enviados via internet, colocavam como fonte da informação a Assessoria de Comunicação do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE).

A mensagem recebida por diversas pessoas dizia que: “Cássio Cunha Lima acaba de protocolar sua desistência na Secretaria do Judiciário do TRE da Paraíba. 3512.1200 ASCOM TRE”. Por conta disso, a Corte deverá investigar de qual computador partiu a mensagem que usa o nome do Tribunal Eleitoral da Paraíba.

Polícia: jovem mata mãe a pauladas por ser impedido de beber


A Polícia Civil prendeu na manhã desta quarta-feira um suspeito de matar a mãe a facadas e pauladas em Manaus. Caio César Lins Pego, 22 anos, teria cometido o crime contra a dona de casa Lindalva Lins Pego, 48 anos, na casa onde moravam, no bairro Tancredo Neves, zona leste da cidade. Além dos dois, outras quatro pessoas, irmãs de Caio, residiam no local. Ele teria discutido ela, que não o teria deixado sair de casa para beber.

O crime teria ocorrido de madrugada, e vizinhos avisaram a polícia, que prendeu Caio em flagrante. Os policiais da Delegacia de Homicídios e Sequestros apreenderam ainda uma faca e um pedaço de pau que poderiam ter sido usados pelo suspeito.

Uma nota da assessoria de imprensa da Polícia Civil do Estado afirma que Caio confessou o crime, mas negou que fosse usuário de drogas.


A nota afirma ainda que Caio alega estar "arrependido e que tem freqüentes surtos de raiva, que não sabe explicar". O suspeito será encaminhado, na quinta-feira, à Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, e deve responder a processo por homicídio qualificado.

PRF aponta irregularidades em veículos escolares de 20 Municípios e do Estado

O Ministério Público da Paraíba recebeu, na última segunda-feira (16), um relatório da Polícia Rodoviária Federal com informações rela...