segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Maranhão e Veneziano fazem carreata hoje em Campina Grande



O governador José Maranhão voltou a Campina Grande hoje para realizar mais uma carreata, a exemplo do que fez no mês passado. Ao lado dele, está o prefeito de Campina, Veneziano Vital do Rêgo Filho. A concentração do evento foi na avenida Manoel Tavares. De lá, a comitiva - que conta também com a presença dos integrantes da majoritária, Rodrigo Soares (PMDB), candidato a vice-governador, e Wilson Santiago (PMDB) e Vitalzinho (PMDB) – seguiu para a avenida Canal.

Na chegada à concentração, Zé Maranhão destacou a parceria do Governo do Estado com a Prefeitura Municipal de Campina, por meio de Veneziano. Essa união, de acordo com o governador, tem trazido benefícios e melhorias para Campina Grande, a exemplo da conclusão do Hospital de Trauma e Emergência da cidade, das obras de esgotamento sanitário e do reforço para o melhoramento do abastecimento de água da cidade (através da Adutora São José, que reforçará o abastecimento da cidade pelos próximos 30 anos).

Cássio diz que está cansado das perseguições: “querem destruir minha vida como homem público”



O ex-governador e candidato ao Senado Federal, Cássio Cunha Lima (PSDB), disse que se sente desgastado com as constantes perseguições políticas que tem sofrido. Segundo o tucano, estão querendo acabar com a sua vida política na Paraíba.

“A Paraíba precisa mudar a forma de fazer política. Estamos lutando para mudar essa realidade, mas estou cansado das constantes perseguições. O momento tem sido difícil porque me perseguem para me destruir minha vida como homem público”, desabafou o ex-governador.

Cássio disse ainda que apesar das investidas dos adversários políticos vai lutar até o final para manter a sua candidatura. Segundo ele, caso o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não deferir sua candidatura o caso será levado ao Superior Tribunal Federal (STF). “Não tenho plano ‘B’ e vou lutar para disputar essa eleição e principalmente, lutar para que o povo da Paraíba tenha o direito de votar”, frisou.

Marina Silva tenta impulsionar candidatura ao menos no Acre




Dois meses depois do início oficial da campanha, Marina Silva chegou
neste fim de semana pela primeira vez a sua terra natal numa situação
incômoda: até mesmo no Acre, a candidata do Partido Verde está em
terceiro lugar na corrida presidencial.

Sem apoio de antigos companheiros, Marina cumpre agenda no Acre
Acompanhe a Folha Poder no Twitter
Conheça nossa página no Facebook

O empenho do PT local para vitaminar a candidatura de Dilma Rousseff é
apontado por aliados de Marina como principal fator para o mau
desempenho da acriana no Estado. Na mais recente pesquisa Ibope, a
senadora tem 19% das intenções de voto do eleitorado local, contra 32%
de Dilma e 34% de José Serra (PSDB).

TSE já concedeu envio de tropas federais para 120 municípios dos 151 solicitados O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu 151 pedidos para que tro



O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu 151 pedidos para que tropas federais atuem na segurança das eleições do próximo dia 3 de outubro. Deles, o tribunal já concedeu 120 pedidos. O estado que mais solicitou a atuação das tropas federais foi o Pará, com requisições de 106 municípios.

Além do Pará, a força federal atuará em 23 municípios da Região Norte – 11 no Amapá, dez em Rondônia e dois no Tocantins, especificamente em seções eleitorais localizadas em aldeias indígenas.


Os pedidos estão sendo analisados em sessões administrativas pelo plenário do TSE. A requisição de força federal está prevista no Código Eleitoral e pode ser solicitada ao tribunal para garantir tranquilidade na votação e na apuração dos resultados.
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu 151 pedidos para que tropas federais atuem na segurança das eleições do próximo dia 3 de outubro. Deles, o tribunal já concedeu 120 pedidos. O estado que mais solicitou a atuação das tropas federais foi o Pará, com requisições de 106 municípios.

Além do Pará, a força federal atuará em 23 municípios da Região Norte – 11 no Amapá, dez em Rondônia e dois no Tocantins, especificamente em seções eleitorais localizadas em aldeias indígenas.
Os pedidos estão sendo analisados em sessões administrativas pelo plenário do TSE. A requisição de força federal está prevista no Código Eleitoral e pode ser solicitada ao tribunal para garantir tranquilidade na votação e na apuração dos resultados.

Flu sofre virada, cai para o Guarani e vê ponta ameaçada


Neste domingo, o Fluminense perdeu a oportunidade de garantir sua diferença de quatro pontos em relação ao Corinthians e vencer o simbólico título do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. No Brinco de Ouro da Princesa, porém, a equipe carioca vacilou e tomou a virada do Guarani, sendo derrotada por 2 a 1.


Com isso, o Flu pode perder a liderança do torneio, uma vez que o Corinthians tem uma partida a menos pela competição - o confronto com o Vasco foi adiado devido às comemorações do centenário do clube paulista. A vitória deixa o Guarani com 26 pontos, na oitava colocação.


Esta foi a terceira derrota do time tricolor no campeonato. Os cariocas haviam perdido para Ceará e Corinthians na primeira e na terceira rodada, e desde então não encontraram reveses. Este é o terceiro jogo seguido em que a equipe das Laranjeiras abre vantagem e cede gol ao adversário - contra São Paulo e Palmeiras, ficou em empates.


O Flu não contou com Leandro Euzébio e Belletti, suspensos pelo terceiro cartão amarelo. No lugar da dupla, André Luis foi escalado, e Valencia fez sua estreia com a camisa tricolor. Além da derrota, o time do técnico Muricy Ramalho perdeu o atacante Emerson, que sentiu lesão na coxa esquerda.