quinta-feira, 13 de maio de 2010

UMA DAS MAIS BELAS PRAIS DE CONDE PARAIBA




As praias mais bonitas do Brasil. O minicípio de Conde fica ao sul de João Pessoa e guarda as melhores praias da Paraíba.
À Praia Coqueirinho é diferente, Os coqueiros chamam a atenção .

A praia é bonita, um verdadeiro paraíso paraibano. Uma enseada repleta de falésias e coqueiros e com um mar propício para banho (por ser enseada

não é mar aberto). Várias barracas de praia e guarda-sóis.

venha passar o dia inteiro com sua familia vocÊ não

vai se arrepender.

COQUEIRINHO E NOTA 1000. POSTADA POR

ANA MARIA GOMES JORNALISTA DRT 2.976

Polícia realiza Operação Quark e já prendeu quinze pessoas


Em conjunto com a Polícia Federal e o Ministério Público da Paraíba, mais de 200 homens das Polícias Civil e Militar estão realizando a Operação Quark que teve início na madrugada desta quinta-feira (13), sendo cumpridosvários mandados de prisãoque foram expedidos pela Justiça contra pessoas em diferentes cidades da Paraíba, tendo sido presas até agora quinze pessoas.Foram presos envolvidos com o tráfico de drogas, furto e roubo de veículos, além de outros crimes. A Operação Quark deve continuar durante todo o dia de hoje e concentra suas ações no Vale do Paraíba, Brejo, Vale do Mamanguape, Litoral e municípios de fronteira com Pernambuco e Rio Grande do Norte.

Na Paraíba, os mandados são sexecutados em sete municípios: João Pessoa, Campina Grande, Santa Rita, Sapé, Guarabira, Rio Tinto e Baía da Traição. Trinta delegados de polícia da Paraíba estão liderando as equipes de execução com o apoio da Polícia Militar. Nas áreas indígenas, os delegados estão sendo acompanhados pela Polícia Federal e pela Polícia Rodoviária Federal. Ao todo, cerca 300 policiais estão participando da operação intitulada “Quark”.postada por ana maria gomes jornalista drt 2.976

20h31 Quinta-Feira, 13 de Maio de 2010 tamanho do texto A- A+ Incêndio de grandes proporções acontece neste momento depósito da Emlur, em JP



Um incêndio de grandes proporções está acontecendo neste momento no depósito da Emlur, localizado nas proximidades do cemitério Santa Catarina, no Bairro dos Estados.

De acordo com as primeiras informações, o fogo teria começado há vinte minutos na sala de Artes da Emlur, onde é realizada a reciclagem de vários materiais. Todas as unidades do Corpo de Bombeiros foram acionadas para o local.

Segundo um bombeiro que se encontra na localidade e não quis se identificar, a descrição que se pode fazer do ambiente “é de um verdadeiro inferno”.

Representantes da prefeitura de João Pessoa também se deslocaram até o local para acompanhar os trabalhos de socorro.postada pela jornalista ana maria gomes drt 2.976.

13 de maio DIA DA libertação dos escravos






Na época em que os portugueses começaram a colonização do Brasil, não existia mão-de-obra para a realização de trabalhos manuais. Diante disso, eles procuraram usar o trabalho dos índios nas lavouras; entretanto, esta escravidão não pôde ser levada adiante, pois os religiosos se colocaram em defesa dos índios condenando sua escravidão. Assim, os portugueses passaram a fazer o mesmo que os demais europeus daquela época. Eles foram à busca de negros na África para submetê-los ao trabalho escravo em sua colônia. Deu-se, assim, a entrada dos escravos no Brasil.

Processo de abolição da escravatura no Brasil

Os negros, trazidos do continente Africano, eram transportados dentro dos porões dos navios negreiros. Devido as péssimas condições deste meio de transporte, muitos deles morriam durante a viagem. Após o desembarque eles eram comprados por fazendeiros e senhores de engenho, que os tratavam de forma cruel e desumana.

Apesar desta prática ser considerada “normal” do ponto de vista da maioria, havia aqueles que eram contra este tipo de abuso. Estes eram os abolicionistas (grupo formado por literatos, religiosos, políticos e pessoas do povo); contudo, esta prática permaneceu por quase 300 anos. O principal fator que manteve a escravidão por um longo período foi o econômico. A economia do país contava somente com o trabalho escravo para realizar as tarefas da roça e outras tão pesados quanto estas. As providências para a libertação dos escravos deveriam ser tomadas lentamente.

A partir de 1870, a região Sul do Brasil passou a empregar assalariados brasileiros e imigrantes estrangeiros; no Norte, as usinas substituíram os primitivos engenhos, fato que permitiu a utilização de um número menor de escravos. Já nas principais cidades, era grande o desejo do surgimento de indústrias.Visando não causar prejuízo aos proprietários, o governo, pressionado pela Inglaterra, foi alcançando seus objetivos aos poucos. O primeiro passo foi dado em 1850, com a extinção do tráfico negreiro. Vinte anos mais tarde, foi declarada a Lei do Ventre-Livre (de 28 de setembro de 1871). Esta lei tornava livre os filhos de escravos que nascessem a partir de sua promulgação.

Em 1885, foi aprovada a lei Saraiva-Cotegipe ou dos Sexagenários que beneficiava os negros de mais de 65 anos.Foi em 13 de maio de 1888, através da Lei Áurea, que liberdade total finalmente foi alcançada pelos negros no Brasil. Esta lei, assinada pela Princesa Isabel, abolia de vez a escravidão no Brasil. POSTADA PELA JORNALISTA ANA MARIA GOMES DRT 2.976

Ricardo mostra preocupação com dívida do Maranhão III

Ricardo mostra preocupação com dívida de R$ 800 milhões contraída pelo Governo Maranhão III

O socialista disse que esta deve ser uma preocupação não apenas dele, mas sim, de toda a Paraíba

ricardo-coutinho121_20100202_173344O presidente estadual do PSB e pré-candidato ao Governo do Estado, Ricardo Coutinho, declarou que está preocupado com a dívida que será deixada para o próximo governador da Paraíba, diante dos seis empréstimos, que juntos significam débito de mais de R$ 800 milhões, contraídos pela atual administração estadual em apenas 15 meses.

Ricardo Coutinho falou sobre o assunto durante entrevista concedia ao radialista Ademar Nonato, da rádio Sousa 104 FM, na tarde desta quarta-feira (12). O socialista disse que esta deve ser uma preocupação não apenas dele, mas sim, de toda a Paraíba, já que é uma ação que pode comprometer seriamente as finanças do Estado nos próximos anos, ultrapassando os índices estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Para ele, a Assembleia Legislativa está correta em pautar essa discussão, algo que também deveria ser manifestado por outros órgãos e entidades da sociedade civil. “Acho que a Assembleia está certíssima em pautar esse debate e tentar não permitir que ninguém, nem o atual governante, nem qualquer outra pessoa que seja, busque inviabilizar o Estado para outra década”, comentou.Ricardo lembrou que em janeiro de 2003, o Estado tinha cerca de 16% de sua receita comprometida com o pagamento de dívida pública. Em fevereiro de 2009, mês da saída do ex-governador Cássio Cunha Lima, esse percentual caiu para 6%. “Foi garantida assim, capacidade de pagamento e permitindo que houvesse capacidade de investimento maior”, assinalou.

Segundo o socialista, o atual Governo teria a obrigação de se pronunciar diante a sociedade e mostrar que conseguiu reduzir essa dívida e não elevá-la. “Uma coisa é realizar a solicitação de um, dois empréstimos, outra é contrair seis, em apenas um ano e três meses.

DA REDAÇÃO WAGNER ASSUNÇÃO

13 DE MAIO DIA DA LIBERTAÇÃO LEI ÁUREA






Abolição da Escravatura - Lei Áurea
A História da Abolição da Escravatura, a Lei Áurea, Movimento Abolicionista, 13 de maio, libertação dos escravos, História do Brasil, abolição dos escravos, escravidão no Brasil, os abolicionistas, escravos no Brasil, Lei do Ventre Livre, Lei dos Sexagenários, abolição da escravidão no Brasil

Na época em que os portugueses começaram a colonização do Brasil, não existia mão-de-obra para a realização de trabalhos manuais. Diante disso, eles procuraram usar o trabalho dos índios nas lavouras; entretanto, esta escravidão não pôde ser levada adiante, pois os religiosos se colocaram em defesa dos índios condenando sua escravidão. Assim, os portugueses passaram a fazer o mesmo que os demais europeus daquela época. Eles foram à busca de negros na África para submetê-los ao trabalho escravo em sua colônia. Deu-se, assim, a entrada dos escravos no Brasil.

Processo de abolição da escravatura no Brasil

Os negros, trazidos do continente Africano, eram transportados dentro dos porões dos navios negreiros. Devido as péssimas condições deste meio de transporte, muitos deles morriam durante a viagem. Após o desembarque eles eram comprados por fazendeiros e senhores de engenho, que os tratavam de forma cruel e desumana.

Apesar desta prática ser considerada “normal” do ponto de vista da maioria, havia aqueles que eram contra este tipo de abuso. Estes eram os abolicionistas (grupo formado por literatos, religiosos, políticos e pessoas do povo); contudo, esta prática permaneceu por quase 300 anos. O principal fator que manteve a escravidão por um longo período foi o econômico. A economia do país contava somente com o trabalho escravo para realizar as tarefas da roça e outras tão pesados quanto estas. As providências para a libertação dos escravos deveriam ser tomadas lentamente.

A partir de 1870, a região Sul do Brasil passou a empregar assalariados brasileiros e imigrantes estrangeiros; no Norte, as usinas substituíram os primitivos engenhos, fato que permitiu a utilização de um número menor de escravos. Já nas principais cidades, era grande o desejo do surgimento de indústrias.Visando não causar prejuízo aos proprietários, o governo, pressionado pela Inglaterra, foi alcançando seus objetivos aos poucos. O primeiro passo foi dado em 1850, com a extinção do tráfico negreiro. Vinte anos mais tarde, foi declarada a Lei do Ventre-Livre (de 28 de setembro de 1871). Esta lei tornava livre os filhos de escravos que nascessem a partir de sua promulgação.

Em 1885, foi aprovada a lei Saraiva-Cotegipe ou dos Sexagenários que beneficiava os negros de mais de 65 anos.Foi em 13 de maio de 1888, através da Lei Áurea, que liberdade total finalmente foi alcançada pelos negros no Brasil. Esta lei, assinada pela Princesa Isabel, abolia de vez a escravidão no Brasil.postada pela jornalista ana maria gomes drt 2.976

Ex-prefeito de Mulungu diz que acusações do Ministério Público Federal não têm procedimento

Achilles Leal afirmou que comprovará judicialmente a utilização correta de verbas de convênios

sup_ideme_aquiles_coletiva_20100512_170722O ex-prefeito de Mulungu Achilles Leal Filho (PMDB) negou as acusações do Ministério Público Federal de que teria ocorrido irregularidades na aplicação de recursos públicos em Mulungu, no ano de 2001. Achilles Leal afirmou que comprovará judicialmente a utilização correta de verbas de convênios firmados entre a prefeitura e o Fundo Nacional de Saúde.

“Eu irei comprovar na Justiça que sou inocente e que houve lisura na aplicação dos recursos. Toda a veracidade dos fatos virá à tona”, declarou Achilles Leal Filho, que estará se reunindo com a assessoria jurídica para tratar do assunto. Serão levadas provas à Justiça Federal comprovando aplicação correta do dinheiro público.

Na última terça-feira (11), o procurador da República Yordan Moreira Delgado havia afirmado que está processando o ex-prefeito de Mulungu e mais três ex-gestores por prática de improbidade administrativa. No caso de Achilles Leal, o Ministério Público Federal acusa o ex-prefeito de irregularidades na execução de dois convênios para melhorias sanitárias em Mulungu, sendo um de R$ 56 mil e outro de R$ 75 mil.DA RADAÇÃO WAGNER ASSUNÇÃO

Corpo de paraibana morta no Rio já está sendo velado em Fagundes


Corpo de paraibana morta no Rio já está sendo velado em Fagundes


O corpo da paraibana Íris Bezerra de Freitas, de 21 anos, que foi morta, esquartejada e colocada numa mala supostamente pelo marido no Rio de Janeiro já chegou à Paraíba.
De acordo com informações do repórter Morib Macedo, da TV Correio de Campina Grande, o corpo da vítima já está sendo velado no antigo Clube Municipal Verônica Nascimento, em Fagundes, cidade natal de Íris. O sepultamento está marcado para as 9h da manhã desta quinta-feira (13), no cemitério municipal.
O corpo foi trazido numa urna funerária e chegou por volta das 15h no aeroporto João Suassuna, em Campina Grande, de onde seguiu para Fagundes.

Acompanharam o cortejo até Fagundes quatro batedores da Polícia Militar. Por volta das 16h, o corpo da jovem chegou até o local onde está sendo velado. Um grande número de pessoas já estava à espera do cortejo e houve um princípio de tumulto.

Muitas pessoas tentavam se aproximar para ver a jovem de perto, no entanto a urna estava lacrada devido ao estado avançado de decomposição do corpo.

O crime aconteceu no último fim de semana e o corpo de Íris foi encontrado pela Polícia dentro de uma mala num canal da praia do Leblon, no Rio de Janeiro, cidade onde a jovem estava morando.
O principal suspeito do crime, Rafael da Silva Lima, marido de Íris, teve a prisão preventiva decretada, mas está foragido.
De acordo com Maria Aparecida, irmã da jovem, os dois estavam casados há cerca de três anos e têm uma filha de dois anos. A criança foi levada para Recife pela avó paterna dias antes do crime. DA REDAÇÃO WAGNER ASSUNÇÃO