domingo, 11 de abril de 2010

Nasce a filha de Thiago Lacerda e Vanessa Lóes Imagem: AgNews


hiago Lacerda, o Bruno de "Viver a Vida", e Vanessa Loés estão radiantes. É que na madrugada desta quinta-feira (8) nasceu a tão esperada filha do casal com 3,595 kg e 49,5 cm.

A menina nasceu de parto normal na Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro, e, segundo assessoria de Thiago, tudo ocorreu na maior tranquilidade.

"O parto foi tranquilo e os dois estão super felizes e emocionados", disse o assessor de Thiago.

Lacerda e Vanessa que já são pais de Gael, casaram em fevereiro de 2007, depois de cinco anos e meio de namoro e muitas indas e vindas.

Ainda segundo a assessoria, o casal não escolheu o nome da criança.redação de ana maria gomes

Rio divulga locais de arrecadação de donativos



A Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria da Ordem Pública e da Guarda Municipal, iniciou ontem uma campanha de arrecadação de donativos a fim de auxiliar a população desabrigada após as chuvas que atingiram a cidade. A intenção é arrecadar colchonetes, alimentos não perecíveis, água e roupas. Ao todo, dez unidades da Guarda Municipal receberão os donativos.

Veja abaixo a listagem dos postos:

- Centro: Centro Administrativo São Sebastião (sede da prefeitura - Rua Afonso Cavalcanti, 455, Cidade Nova)

- São Cristóvão: sede da Guarda (Avenida Pedro II, número 111);

- Botafogo: base operacional da Guarda Municipal (Rua Bambina, número 37);

- Barra da Tijuca: 4ª Inspetoria (Avenida Ayrton Senna, número 2001);

- Madureira: 6ª Inspetoria (Rua Armando Cruz, s/nº);

- Praça Seca: 7ª Inspetoria (Praça Barão da Taquara, número 9);

- Lagoa: 2ª Inspetoria (Rua Professor Abelardo Lobo s/nº - embaixo do viaduto Saint Hilaire, na saída do Túnel Rebouças);

- Bangu: 5ª Inspetoria (Rua Biarritz, s/nº);

- Tijuca: 8ª Inspetoria (Rua Conde de Bonfim, número 267);

- Campo Grande: 13ª Inspetoria (Rua Minas de Prata, número 200).redação de ana maria gomes.

RJ terá mutirão para identificar vítimas com rapidez


Uma garagem de uma empresa de ônibus passou a funcionar como necrotério improvisado, no pé do Morro do Bumba. A ideia é acelerar os enterros. Só na tarde de ontem, 16 corpos aguardavam reconhecimento para liberação. A força-tarefa formada pelo Tribunal de Justiça, pelo Instituto Médico-Legal (IML), pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e pela Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Rio de Janeiro (Arpen-Rio) pretende desburocratizar o reconhecimento das vítimas do deslizamento.

"Temos hora para começar, mas não sabemos quando vamos terminar. Funcionaremos em diversos turnos, para que o serviço esteja disponível 24 horas", disse o defensor Petrúcio Malafaia, coordenador-geral da Defensoria Pública do Estado. Antes da implementação do IML improvisado, os corpos estavam sendo divididos entre o necrotério de Niterói e o do Rio.

Desde o início do dia, uma fila de vítimas do desabamento já se formava no entorno da garagem. Além do reconhecimento dos corpos, o serviço de emissão de segunda via de documentos era um dos mais aguardados, não só por moradores do Bumba como também por vítimas de desabamentos de outras comunidades.

Para o presidente da Arpen-Rio, Cláudio Almeida, a partir de hoje a liberação dos corpos e a emissão de documentos estará mais rápida. "A maior dificuldade das famílias, até agora, está na liberação dos corpos pelo próprio IML, por causa do reconhecimento das vítimas. Com relação à documentação, mobilizamos a Defensoria Pública e o Tribunal de Justiça para minimizar ao máximo os empecilhos para esses registros de óbito", disse. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. rredação de ana maria gomes.

Presidente e autoridades polonesas morrem em acidente aéreo


SMOLENSK, Rússia (Reuters) - O presidente da Polônia, Lech Kaczynski, o presidente do banco central e o comandante militar do país morreram neste sábado, quando o avião em que estavam caiu em meio a uma densa neblina quando se aproximava de um aeroporto na Rússia.

O acidente vitimou, ao todo, 96 pessoas. Não há sobreviventes.

A morte de Kaczynski, que ao lado de seu irmão era uma força dominante da política polonesa, traz incerteza política. A eleição presidencial, marcada para outubro, agora precisa ser feita dentro de dois meses, segundo a Constituição.

A primeira-dama e muitos outros funcionários de alto escalão do governo também estavam a bordo do antigo Tupolev Tu-154 que caiu em uma floresta a cerca de dois quilômetros do aeroporto da cidade russa de Smolensk.

É possível que o acidente tenha sido causado por erro do piloto, disse Andrei Yevseyenkov, porta-voz do governo local de Smolensk. Oficiais locais disseram que o avião atingiu o topo de árvores durante a queda.

"As consequências políticas serão duradouras, e isso possivelmente vai mudar todo o cenário futuro da política polonesa", disse Jacek Wasilewski, professor da Escola Superior de Psicologia Social, em Varsóvia.

Kaczynski, de 59 anos, foi aliado do líder do partido Solidariedade, Lech Walesa, e junto com seu irmão fundou o partido Lei e Justiça, de direita. Ele deixou o partido quando se tornou presidente em 2005, mas continuou a apoiá-lo.

Uma fonte do partido disse que o irmão gêmeo do presidente, Jaroslaw Kaczynski, não estava a bordo do avião.

Embora o cargo do presidente seja fundamentalmente simbólico, ele pode vetar leis. Lech Kaczynski enfureceu o governo do primeiro-ministro Donald Tusk muitas vezes ao bloquear projetos de leis, como o que reformava o sistema de saúde do país.redação de ANA Mª GOMES