domingo, 11 de abril de 2010

Nasce a filha de Thiago Lacerda e Vanessa Lóes Imagem: AgNews


hiago Lacerda, o Bruno de "Viver a Vida", e Vanessa Loés estão radiantes. É que na madrugada desta quinta-feira (8) nasceu a tão esperada filha do casal com 3,595 kg e 49,5 cm.

A menina nasceu de parto normal na Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro, e, segundo assessoria de Thiago, tudo ocorreu na maior tranquilidade.

"O parto foi tranquilo e os dois estão super felizes e emocionados", disse o assessor de Thiago.

Lacerda e Vanessa que já são pais de Gael, casaram em fevereiro de 2007, depois de cinco anos e meio de namoro e muitas indas e vindas.

Ainda segundo a assessoria, o casal não escolheu o nome da criança.redação de ana maria gomes

Rio divulga locais de arrecadação de donativos



A Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria da Ordem Pública e da Guarda Municipal, iniciou ontem uma campanha de arrecadação de donativos a fim de auxiliar a população desabrigada após as chuvas que atingiram a cidade. A intenção é arrecadar colchonetes, alimentos não perecíveis, água e roupas. Ao todo, dez unidades da Guarda Municipal receberão os donativos.

Veja abaixo a listagem dos postos:

- Centro: Centro Administrativo São Sebastião (sede da prefeitura - Rua Afonso Cavalcanti, 455, Cidade Nova)

- São Cristóvão: sede da Guarda (Avenida Pedro II, número 111);

- Botafogo: base operacional da Guarda Municipal (Rua Bambina, número 37);

- Barra da Tijuca: 4ª Inspetoria (Avenida Ayrton Senna, número 2001);

- Madureira: 6ª Inspetoria (Rua Armando Cruz, s/nº);

- Praça Seca: 7ª Inspetoria (Praça Barão da Taquara, número 9);

- Lagoa: 2ª Inspetoria (Rua Professor Abelardo Lobo s/nº - embaixo do viaduto Saint Hilaire, na saída do Túnel Rebouças);

- Bangu: 5ª Inspetoria (Rua Biarritz, s/nº);

- Tijuca: 8ª Inspetoria (Rua Conde de Bonfim, número 267);

- Campo Grande: 13ª Inspetoria (Rua Minas de Prata, número 200).redação de ana maria gomes.

RJ terá mutirão para identificar vítimas com rapidez


Uma garagem de uma empresa de ônibus passou a funcionar como necrotério improvisado, no pé do Morro do Bumba. A ideia é acelerar os enterros. Só na tarde de ontem, 16 corpos aguardavam reconhecimento para liberação. A força-tarefa formada pelo Tribunal de Justiça, pelo Instituto Médico-Legal (IML), pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e pela Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Rio de Janeiro (Arpen-Rio) pretende desburocratizar o reconhecimento das vítimas do deslizamento.

"Temos hora para começar, mas não sabemos quando vamos terminar. Funcionaremos em diversos turnos, para que o serviço esteja disponível 24 horas", disse o defensor Petrúcio Malafaia, coordenador-geral da Defensoria Pública do Estado. Antes da implementação do IML improvisado, os corpos estavam sendo divididos entre o necrotério de Niterói e o do Rio.

Desde o início do dia, uma fila de vítimas do desabamento já se formava no entorno da garagem. Além do reconhecimento dos corpos, o serviço de emissão de segunda via de documentos era um dos mais aguardados, não só por moradores do Bumba como também por vítimas de desabamentos de outras comunidades.

Para o presidente da Arpen-Rio, Cláudio Almeida, a partir de hoje a liberação dos corpos e a emissão de documentos estará mais rápida. "A maior dificuldade das famílias, até agora, está na liberação dos corpos pelo próprio IML, por causa do reconhecimento das vítimas. Com relação à documentação, mobilizamos a Defensoria Pública e o Tribunal de Justiça para minimizar ao máximo os empecilhos para esses registros de óbito", disse. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. rredação de ana maria gomes.

Presidente e autoridades polonesas morrem em acidente aéreo


SMOLENSK, Rússia (Reuters) - O presidente da Polônia, Lech Kaczynski, o presidente do banco central e o comandante militar do país morreram neste sábado, quando o avião em que estavam caiu em meio a uma densa neblina quando se aproximava de um aeroporto na Rússia.

O acidente vitimou, ao todo, 96 pessoas. Não há sobreviventes.

A morte de Kaczynski, que ao lado de seu irmão era uma força dominante da política polonesa, traz incerteza política. A eleição presidencial, marcada para outubro, agora precisa ser feita dentro de dois meses, segundo a Constituição.

A primeira-dama e muitos outros funcionários de alto escalão do governo também estavam a bordo do antigo Tupolev Tu-154 que caiu em uma floresta a cerca de dois quilômetros do aeroporto da cidade russa de Smolensk.

É possível que o acidente tenha sido causado por erro do piloto, disse Andrei Yevseyenkov, porta-voz do governo local de Smolensk. Oficiais locais disseram que o avião atingiu o topo de árvores durante a queda.

"As consequências políticas serão duradouras, e isso possivelmente vai mudar todo o cenário futuro da política polonesa", disse Jacek Wasilewski, professor da Escola Superior de Psicologia Social, em Varsóvia.

Kaczynski, de 59 anos, foi aliado do líder do partido Solidariedade, Lech Walesa, e junto com seu irmão fundou o partido Lei e Justiça, de direita. Ele deixou o partido quando se tornou presidente em 2005, mas continuou a apoiá-lo.

Uma fonte do partido disse que o irmão gêmeo do presidente, Jaroslaw Kaczynski, não estava a bordo do avião.

Embora o cargo do presidente seja fundamentalmente simbólico, ele pode vetar leis. Lech Kaczynski enfureceu o governo do primeiro-ministro Donald Tusk muitas vezes ao bloquear projetos de leis, como o que reformava o sistema de saúde do país.redação de ANA Mª GOMES

Polícia apreende 18 quilos de drogas enterradas dentro de tonel

    Políciais militares da Força Tática do 7º Batalhão aprenderam, neste domingo (22), aproximadamente 18 kg de uma substância se...