quinta-feira, 6 de agosto de 2009

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), cumprimenta o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) na última terça-feira (4)


Discurso de Sarney
A reunião do conselho começou pouco depois das 15h, mas foi interrompida para que o presidente do Senado fizesse o seu discurso no plenário. Depois de ouvir a defesa de Sarney sobre as principais acusações protocoladas no conselho, os integrantes do colegiado partiram para o debate.
Um esquema especial de segurança foi armado pela Polícia do Senado para evitar confusões. Apenas senadores, assessores da Casa e jornalistas credenciados foram autorizados a acompanhar o encontro.

A terceira denúncia rejeitada também dizia respeito à Fundação José Sarney.


A terceira denúncia rejeitada também dizia respeito à Fundação José Sarney. O presidente do Senado teria usado o cargo para facilitar a celebração de contratos entre a Petrobras e a Fundação. Sarney teria dito em um discurso no plenário que era presidente da honra da instituição, mas no estatuto da entidade constava como presidente vitalício.Duque pediu para Gim Argello (PTB-DF) ler esta decisão. Neste caso, Duque destacou que os fatos são anteriores ao mandato e que por ser suspeita de crime comum deveriam ser analisadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). (REPORTAGEM WAGNER ASSUNÇÃO)

Sarney afirma não conhecer Rodrigo Cruz


Presidente do Senado negou conhecer o funcionário da Diretoria Geral que foi nomeado pela Casa durante discurso no plenário. Será que Sarney esqueceu que foi padrinho de casamento do rapaz?Foto: DIDA SAMPAIO/AE - 05/08/2009 (reportagem wagner Assunção)

Presidente do Conselho de Ética arquiva ações contra Sarney e Renan


O presidente do Conselho de Ética do Senado, Paulo Duque (PMDB-RJ), rejeitou
quatro pedidos de investigação contra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), e um contra o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), na sessão do órgão desta quarta-feira (5). A oposição anunciou que vai recorrer da decisão de Duque.
Em suas decisões, Duque alegou que as matérias não apresentavam evidências que justificassem a abertura de investigação contra Sarney e Renan.
Na primeira decisão, o presidente do conselho rejeitou a denúncia apresentada pelo senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) que pedia investigação de Sarney por supostamente ter beneficiado a empresa de um neto que atuava no mercado de crédito consignado no Senado.

(reportagem wagner Assunção)

Médicos divergem sobre distribuição de medicamento contra nova gripe


A distribuição do antiviral Tamiflu, principal medicamento para tratamento da nova gripe, é tema de controvérsia entre especialistas consultados pelo sistema j.a Alguns pedem que a distribuição seja ampliada e outros consideram que é preciso cautela, uma vez que o vírus pode criar resistência ao medicamento e tornar o combate à doença ainda mais complexo.
O Ministério da Saúde alterou três vezes a orientação sobre quem tem a palavra final na hora de receitar o remédio (veja abaixo infográfico com decisões tomadas no combate à doença). Agora, qualquer médico pode prescrever o Tamiflu, quando achar necessário.Até o início desta semana, a distribuição do antiviral era responsabilidade exclusiva dos hospitais de referência, da rede ambulatorial, de unidades básicas de saúde ou de centros ligados ao Programa Saúde da Família (PSF) – o que já era uma suavização da diretriz anterior, pela qual só as unidades de referência tinham o poder de ministrar o medicamento (e, ainda assim, somente a pacientes com sinais de agravamento ou de grupos de risco).(reportagem wagner Assunção)