quinta-feira, 6 de agosto de 2009

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), cumprimenta o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) na última terça-feira (4)


Discurso de Sarney
A reunião do conselho começou pouco depois das 15h, mas foi interrompida para que o presidente do Senado fizesse o seu discurso no plenário. Depois de ouvir a defesa de Sarney sobre as principais acusações protocoladas no conselho, os integrantes do colegiado partiram para o debate.
Um esquema especial de segurança foi armado pela Polícia do Senado para evitar confusões. Apenas senadores, assessores da Casa e jornalistas credenciados foram autorizados a acompanhar o encontro.

A terceira denúncia rejeitada também dizia respeito à Fundação José Sarney.


A terceira denúncia rejeitada também dizia respeito à Fundação José Sarney. O presidente do Senado teria usado o cargo para facilitar a celebração de contratos entre a Petrobras e a Fundação. Sarney teria dito em um discurso no plenário que era presidente da honra da instituição, mas no estatuto da entidade constava como presidente vitalício.Duque pediu para Gim Argello (PTB-DF) ler esta decisão. Neste caso, Duque destacou que os fatos são anteriores ao mandato e que por ser suspeita de crime comum deveriam ser analisadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). (REPORTAGEM WAGNER ASSUNÇÃO)

Sarney afirma não conhecer Rodrigo Cruz


Presidente do Senado negou conhecer o funcionário da Diretoria Geral que foi nomeado pela Casa durante discurso no plenário. Será que Sarney esqueceu que foi padrinho de casamento do rapaz?Foto: DIDA SAMPAIO/AE - 05/08/2009 (reportagem wagner Assunção)

Presidente do Conselho de Ética arquiva ações contra Sarney e Renan


O presidente do Conselho de Ética do Senado, Paulo Duque (PMDB-RJ), rejeitou
quatro pedidos de investigação contra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), e um contra o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), na sessão do órgão desta quarta-feira (5). A oposição anunciou que vai recorrer da decisão de Duque.
Em suas decisões, Duque alegou que as matérias não apresentavam evidências que justificassem a abertura de investigação contra Sarney e Renan.
Na primeira decisão, o presidente do conselho rejeitou a denúncia apresentada pelo senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) que pedia investigação de Sarney por supostamente ter beneficiado a empresa de um neto que atuava no mercado de crédito consignado no Senado.

(reportagem wagner Assunção)

Médicos divergem sobre distribuição de medicamento contra nova gripe


A distribuição do antiviral Tamiflu, principal medicamento para tratamento da nova gripe, é tema de controvérsia entre especialistas consultados pelo sistema j.a Alguns pedem que a distribuição seja ampliada e outros consideram que é preciso cautela, uma vez que o vírus pode criar resistência ao medicamento e tornar o combate à doença ainda mais complexo.
O Ministério da Saúde alterou três vezes a orientação sobre quem tem a palavra final na hora de receitar o remédio (veja abaixo infográfico com decisões tomadas no combate à doença). Agora, qualquer médico pode prescrever o Tamiflu, quando achar necessário.Até o início desta semana, a distribuição do antiviral era responsabilidade exclusiva dos hospitais de referência, da rede ambulatorial, de unidades básicas de saúde ou de centros ligados ao Programa Saúde da Família (PSF) – o que já era uma suavização da diretriz anterior, pela qual só as unidades de referência tinham o poder de ministrar o medicamento (e, ainda assim, somente a pacientes com sinais de agravamento ou de grupos de risco).(reportagem wagner Assunção)

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Conselho de Ética se reúne nesta quarta para analisar denúncias contra Sarney


O Conselho de Ética do Senado se reúne pela primeira vez após o fim do recesso parlamentar nesta quarta-feira (5), e deve analisar 11 pedidos de investigação contra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-MA).
No Conselho de Ética, seis denúncias apresentadas pelo senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) e cinco representações apresentadas por partidos, três do PSDB e duas do PSOL, pedem investigações contra o presidente da Casa por suspeita de quebra de decoro parlamentar.
O presidente do colegiado, Paulo Duque (PMDB-RJ), aliado de Sarney, comandará a reunião de quarta-feira e terá de decidir sobre o arquivamento das denúncias ou a abertura de processos. Duque poderá também unificar algumas das denúncias e representações.
Na terça-feira (4) , Duque afirmou que já tinha tomado uma decisão sobre as acusações contra Sarney. “Já está tudo decidido, está apenas em segredo. (...) Eu estou cumprindo um dever cívico, sem medo de nada. Estou preparado para tudo”, disse. Participarão da reunião 13 de seus 15 membros. Formalmente, o conselho deve ser integrado por 15 membros e 15 suplentes, eleitos para um mandato de dois anos. Desde julho, no entanto, sofreu duas baixas, com a renúncia dos senadores João Ribeiro (PR-TO) e Antonio Carlos Valadares (PSB-SE).(reportagem wagner assunção)

Simon diz que teve medo do olhar de Collor durante bate-boca na tribuna do Senado


Um dia depois de enfrentar os ataques da dupla Renan Calheiros (PMDB-AL) e Fernando Collor (PTB-AL) no plenário, o senador Pedro Simon (PMDB-RS) confessou nesta terça-feira (4) que teve medo do olhar transtornado do ex-presidente da República, que durante as quase duas horas de embate, ficou logo abaixo da tribuna olhando diretamente em sua direção, com o semblante muito crispado. Simon disse que em vários momentos lhe veio à memória a cena da tragédia que abalou Brasília na década de 1960, quando o pai de Collor, o então senador Arnon de Mello, assassinou, com um tiro no peito, o senador acreano José Kairala, em plena tribuna.
Segundo os registros da época, o senador alagoano disparou três tiros contra seu inimigo político, o senador Silvestre Péricles, a 5 metros de distância. Errou todos, mas atingiu sem querer Kairala, suplente que estava em seu último dia de mandato. Apesar do flagrante, a imunidade de Arnon de Mello o livrou de qualquer punição.

(reportagem wagner assunção)

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Reajuste do Bolsa Família é justiça com os mais carentes, diz Lula


Ao comentar o reajuste de 10% dos beneficiários do programa Bolsa Família, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje (3) que a medida representa “justiça” com a população carente brasileira. “ Foi uma atitude correta”, disse.
“Todas as categorias profissionais tiveram reajuste este ano em todo o Brasil e é justo que a gente dê um reajuste razoável para os que recebem o Bolsa-Família, porque isso vai ajudar no aumento de poder de compra deles”, afirmou em seu programa semanal Café com o Presidente. “Quanto mais o povo puder comprar, mais certeza nós temos de que a economia brasileira vai continuar crescendo”.
Lula também comentou a qualificação profissional dos beneficiários do programa. Na semana passada, ele participou da cerimônia de formatura de 457 pessoas, beneficiadas por um convênio entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e o setor de construção civil. Duas mulheres, segundo o presidente, tiveram a carteira de trabalho assinada.
“Essa é a melhor forma para a gente ir tirando as pessoas do Bolsa Família. Você vai formando profissionalmente as pessoas, a economia vai crescendo, mais gente vai precisar de empregados e empregadas”, disse, ao cobrar que mais empresários colaborem com a qualificação profissional de beneficiários.(reportagem wagner assunção)

Concursos com inscrições abertas nesta segunda somam quase 21 mil vagas


Pelo menos 29 concursos públicos em todo o país estão com inscrições abertas nesta segunda-feira (3) e somam quase 21 mil vagas para todos os níveis de escolaridade.
Além das vagas abertas, há concursos para formação de cadastro de reserva, ou seja, os aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso.
Os salários chegam a R$ 19.955,40 para juiz federal substituto no Tribunal Regional Federal da 1ª Região, que abrange os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Piauí, Rondônia, Roraima e Tocantins.
Nesta segunda-feira (3) abrem as inscrições para 600 vagas na Polícia Federal, um dos concursos mais esperados do ano, para os cargos de agente e escrivão e com salário de R$ 7,5 mil. Veja na tabela abaixo as informações sobre os concursos. (reportagem wagner assunção)

Após sair do hospital, Felipe Massa disse estar ansioso para chegar ao Brasil e continuar o processo de recuperação


Após sair do hospital, Felipe Massa disse estar ansioso para chegar ao Brasil e continuar o processo de recuperação para chegar ao Brasil e continuar o processo de recuperação .(reportagem wagner assunção)

Trailer do filme "Brüno"


Trailer legendado do filme "Brüno", com Sacha Baron Cohen, Gustaf Hammarsten e Clifford Bañagale. A comédia Bruno é o novo filme de Sacha Baron Cohen, o criador de Borat - O Segundo Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América. Direção: Larry Charles. © 2009 Everyman Pictures

Reforma eleitoral começa a tramitar no Senado


O projeto de lei que institui a reforma eleitoral (Projeto de Lei da Câmara 141/09), aprovado na Câmara dos Deputados em 8 de julho, já está na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) do Senado Federal, onde aguarda designação de relator. A matéria, cuja principal inovação é a liberação do uso da internet nas campanhas, terá ainda de ser aprovada pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) antes de seguir para o Plenário.
Para que valha para a as próximas eleições, a proposição terá de ser sancionada até 30 de setembro deste ano - um prazo considerado exíguo pelos analistas. A Câmara aprovou um texto substitutivo do deputado Flávio Dino (PCdoB-MA), coordenador do grupo de trabalho que apresentou em junho o anteprojeto da proposta, a pedido do presidente daquela Casa, deputado Michel Temer (PMDB-SP).
Além de liberar a internet para propaganda de candidatos e partidos, permite ainda que a rede mundial de computadores seja utilizada para captação de recursos para a campanha, por meio de cartão de crédito. O projeto determina que, a partir do dia 5 de julho do ano em que se realizarem as eleições, os candidatos poderão fazer campanha pela internet, pedindo votos e recursos para a campanha. Fraudes e erros cometidos pelos doadores de recursos pela internet, desde que não sejam de conhecimento dos candidatos, partidos ou coligações, não ensejarão a responsabilidade destes nem a rejeição de suas contas eleitorais.

Prefeitura começa a retirar barracas da calçada do Mercado Central


Seis barracas instaladas no calçadão do Mercado Central de João Pessoa, na Avenida Dom Pedro II foram retiradas na manhã deste domingo (2) por agentes da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb).
A ação, que faz parte das obras de recuperação e revitalização do local, deve continuar até o próximo dia 16, quando outros 23 fiteiros serão remanejados para o galpão na área interna do mercado.
Cerca de 80% das obras no local já estão concluídas e a previsão é que elas sejam concluídas até o final do segundo semestre.
Segundo o chefe da Divisão de Mercados da Sedurb, Antônio Cunha, a nova área, que será inaugurada até o final deste mês, abrigará os comerciantes que trabalham com alumínios, miudezas, ração animal, mídias digitais (CDs, DVDs, etc.) e bancas de revistas. Ele disse que, com a retirada das barracas, a Prefeitura poderá concluir as obras de reforma do calçadão da entrada principal do estabelecimento .(reportagem wagner assunção)

Diário Oficial traz remoção de Weick, José Edísio e Elson



O Diário Oficial do Estado trouxe em sua edição deste domingo, 2, a remoção de cargos anunciada pelo governador José Maranhão. Não houve surpresa na divulgação do ato governamental. A novidade é a nomeação de Élson Pessoa de Carvalho, então adjunto da Casa Civil; para a Controladoria Geral do Estado.
A função vinha sendo ocupado cumulativamente por Ruy Bezerra Cavalcanti Júnior, que passa a responder apenas pela Secretaria de Agricultura e Pesca. Os advogados Marcelo Weick Pogliese e José Edísio Simões Souto, responsáveis pela ação eleitoral que cassou o mandato do então governador Cássio Cunha Lima (PSDB), continuam prestigiado.
Weick deixa a Procuradoria Geral do Estado e assume a Secretaria da Casa Civil, em substituição ao advogado José Ricardo Porto – disputará a vaga de desembargador do Tribunal de Justiça. José Edísio, então presidente da Cagepa; ocupará a Procuradoria.
Já para o lugar de Edísio Souto na Cagepa, de acordo com o Diário Oficial do Estado, o governador José Maranhão nomeou o diretor administrativo do órgão, Alfredo Nogueira Filho.

PRF aponta irregularidades em veículos escolares de 20 Municípios e do Estado

O Ministério Público da Paraíba recebeu, na última segunda-feira (16), um relatório da Polícia Rodoviária Federal com informações rela...